Amenize os sintomas do sarampo com tratamentos naturais

O sarampo é provocado pelo vírus Morbili e é transmitido por secreções das vias respiratórias,…


Tratamentos para os sintomas do sarampo

Tratamentos para os sintomas do sarampo | Imagem: Reprodução

O sarampo é provocado pelo vírus Morbili e é transmitido por secreções das vias respiratórias, como espirros e tosse, que espalham gotículas pelo ar. Após doze dias da transmissão, podem aparecer os sintomas e estes costumam permanecer até o quarto dia após o aparecimento das placas avermelhadas na pele.

Como a doença se divide em fases após o contágio, até mesmo os médicos podem ter alguma dificuldade para diagnosticá-la a princípio. Após o contágio, os primeiros dez ou doze dias são assintomáticos, depois, vem sintomas que podem facilmente ser confundidos com gripe, mas, o que pode facilitar a identificação da doença pelo médico, são os pequenos pontinhos brancos, cercados por um anel vermelho que se localizam na boca, na parte interna das bochechas e perto dos dentes, são chamados de manchas de Koplik e podem ser vistas em exame com uma lanterninha.

Sintomas do sarampo

  • febre;
  • mal-estar;
  • tosse;
  • coriza;
  • inapetência;
  • conjuntivite;
  • manchas brancas na parte interna das bochechas;
  • manchas avermelhadas na pele.
  • otite, encefalite e pneumonia são complicações do sarampo.

Quando uma gestante se contamina com sarampo, pode ocorrer aborto ou parto prematuro. Além disso, essa doença é muito perigosa e causa a morte de grande número de crianças, especialmente se a criança contaminada estiver debilitada ou desnutrida.

O sarampo pode atingir o sistema nervoso central, causando encefalite, com sequelas como distúrbios motores e sensoriais e até retardo mental. A broncopneumonia é uma complicação muito grave, que pode até levar à morte. Ela encobre as manchas do sarampo sob um arroxeado na pele, é o chamado popularmente de “sarampo recolhido”. Deve ser tratado em hospital.


Vacina

Deve ser aplicada em duas doses, a partir do nono mês de vida da criança. Adultos que não tomaram a vacina e não tiveram a doença na infância, também devem ser vacinados, à exceção das gestantes e pessoas imunossuprimidas (com as defesas reduzidas, seja por efeito de tratamentos ou por doenças, como AIDS). Esta vacina costuma ser eficaz em 97% dos casos.

O tratamento do sarampo

Qualquer que seja o tratamento, visa amenizar os sintomas da doença. Existem métodos e remédios naturais que podem ajudar muito o paciente com sarampo a superar esta enfermidade:

  • beber muito líquido;
  • fazer repouso;
  • comer alimentos leves;
  • limpar os olhos com água morna ou soro fisiológico;
  • baixar a febre;
  • aumentar a imunidade;
  • CHÁ DE SABUGUEIRO: ele estimula a transpiração, por isso é interessante para ajudar a erupção a “sair”. Colhe-se as flores perto do meio-dia, quando os princípios ativos estão mais concentrados. Usa-se três colheres de sopa para um litro de água fervente. Beber quatro xícaras ao dia.
  • CALDO DE AVEIA: cozinhar em uma panela, uma xícara de aveia em um litro de água e colocar esse caldo numa banheira, completando com água morna. Esse banho ajuda a aliviar a coceira.
  • BANHO COM FOLHAS DE EUCALIPTO OU BARDANA E FLORES DE SABUGUEIRO: Faça um banho de imersão pela manhã e logo após, enxágue-se com água fria.
  • CHÁS DE MALVA, ASSA-PEIXE, LIMÃO E MEL, GUACO: esses chás combatem a tosse causada pelo sarampo.
  • EQUINÁCEA é uma planta que aumenta a imunidade, pode ser muito útil nos casos de sarampo.
  • CHÁ DE CAMOMILA:  ajuda a tranquilizar o paciente e melhorar seu sono, além de suas outras propriedades benéficas.

MAIS DICAS DE CUIDADOS:

  • a vacinação é a melhor arma contra o sarampo, por isso, não esqueça de vacinar seu filho.
  • Fique atento se seu filho conviver com outras crianças, principalmente em escolinhas e creches.  Procure saber a causa de alguma doença dessas crianças que convivem com seus filhos, já que o sarampo é uma doença altamente contagiosa e pode se transformar em epidemia;
  • Caso surjam manchas avermelhadas na pele de seu filho, não deixe de procurar atendimento médico imediatamente, mesmo que ela tenha sido vacinada contra o sarampo;
  • Informe-se se você teve a doença na infância ou  se foi vacinado. Em caso de dúvida é melhor procurar um centro de vacinação.

Reportar erro