Pimenta de cheiro: benefícios e receitas

A pimenta de cheiro é deliciosa e cheia de benefícios para a saúde. Aqui você aprenderá tudo de mais importante sobre essa especiaria de dar água na boca.

Confira quais são os benefícios, como usar na alimentação, quais são os cuidados necessários e até mesmo como plantar essa pimenta em casa, livre de agrotóxicos e produtos químicos.

Super conhecida no Nordeste brasileiro, a pimenta de cheiro é uma variedade de pimenta bastante saborosa e aromática. Seu nome científico é Capsicum spp, e é uma planta que traz consigo grande parte dos benefícios da classe das pimentas. Possui o formato de sino e coloração amarela quando maduras. Antes disso, são verdes.

Em suma, a pimenta de cheiro é usada apenas com propósitos culinários, mas a ciência descobriu vários benefícios saudáveis dessa especiaria nos últimos anos. Sendo assim, confira os principais benefícios comprovados desse alimento.

Benefícios da pimenta de cheiro

A pimenta de cheiro é fonte de capsaicina, uma substância saudável encontrada nas pimentas. Essa propriedade, junto as outras substâncias da composição dessa pimenta, compõem uma coleção de benefícios capazes de melhorar a saúde e prevenir doenças.

Pimentas de cheiro

As pimentas de cheiro melhoram o metabolismo, fazem bem à digestão e combatem inflamações (Foto: depositphotos)

Confira a seguir os benefícios comprovados pela ciência da pimenta de cheiro!

Melhora o metabolismo e ajuda no emagrecimento

Em primeiro lugar, é importante falar sobre o efeito termogênico que a capsaicina promove no corpo humano (1, 2, 3). Isso quer dizer que, ao consumir a pimenta de cheiro, a temperatura no nosso corpo aumenta, assim como o metabolismo é acelerado.

Além de prevenir a obesidade e melhorar diversas funções básicas do corpo, um bom metabolismo também é um dos segredos para a perda de peso saudável. O consumo regular da pimenta pode trazer benefícios para o emagrecimento, por exemplo. Mas não é só isso!

Além do efeito termogênico e a melhora metabólica, a pimenta de cheiro também possui pectina, uma substância considerada emagrecedora para a ciência (2). O estudo aponta que o consumo dessa substância está diretamente ligada com a sensação de saciedade.

Em suma, isso significa que ao comer pimenta de cheiro (ou receitas que levam essa pimenta), nosso estômago ficará satisfeito mais rápido e por mais tempo. Por isso, pode ser uma pimenta aliada das dietas de emagrecimento.

Além disso, outro estudo indica que a composição da pimenta de cheiro (assim, como outros tipos de pimenta que possuem capsaicina e pectina) são hipoglicêmicas (3). Isso significa que elas diminuem a glicose do organismo, o que também diminui a fome.

Faz bem para a digestão

É muito comum ouvir falar que quem sofre de problema no estômago não deve comer pimenta, mas isso depende do problema de cada pessoa. Por exemplo, quem possui úlcera (ou tendência a desenvolver esse problema) deve evitar o consumo de pimenta, mas ela pode ser de grande ajuda em caso de má-digestão, azia e inchaço (4).

A pimenta de cheiro, além de saborosa, possui propriedades nutritivas que estimulam o estômago a trabalhar melhor na digestão dos alimentos. Além disso, estimula a produção de suco gástrico, que age como facilitador no processo de digestão.

Previne o câncer

Outro grande benefício da pimenta de cheiro é que ela tem alto potencial antioxidante (1, 2). Isso significa que ela tem como uma das suas principais funções saudáveis inibir a ação dos radicais livres, substâncias malignas que dificultam o ciclo de vida saudável das células e trazem risco de doenças graves como o câncer.

Este benefício é o resultado da ampla composição medicinal da pimenta de cheiro, composta por fenóis, capsaicina, carotenoides, flavonoides, diidrocapsaicina e outras propriedades.

Entre as principais doenças que podem ser prevenidas com o consumo de alimentos antioxidantes estão o câncer, diabetes, hipertensão, Alzheimer, Mal de Parkinson, envelhecimento precoce e diversas doenças degenerativas e/ou autoimunes.

Trata dores no corpo

A composição da pimenta de cheiro também lhe dá o efeito analgésico, ideal para dores leves a moderadas. Uma pesquisa descobriu esse benefício ao estudar sobre os efeitos da capsaicina no corpo humano. (4)

Desse modo, o consumo moderado de pimenta de cheiro pode aliviar dores musculares e dores de cabeça, principalmente. Entretanto, procure um médico caso as dores persistam e incomodem.

Combate inflamações

A pimenta de cheiro também possui na sua composição propriedades anti-inflamatórias capazes de combater leves inflamações (4). Esse benefício ainda traz consigo um bônus: o alívio de dores na lombar, nos ombros e nas articulações. Essas dores podem ser causadas por pequenas inflamações no corpo.

Reduz o colesterol

Esse produto natural ainda é indicado para aquelas pessoas que encontram dificuldade para controlar o colesterol elevado, pois ela combate o LDL, conhecido como colesterol ruim (2). Isso tudo é graças à pectina presente em sua composição, uma propriedade excelente para regular os níveis de colesterol em excesso.

Faz bem para os olhos

A pimenta de cheiro é rica em vitamina A, uma substância fundamental para a saúde dos olhos e da visão (5). Além disso, a vitamina A é muito importante para o desenvolvimento dos ossos e dos músculos, sendo muito importante para o crescimento dos jovens.

Do mesmo modo, é recomendada para praticantes de musculação, pois ajuda no desenvolvimento dos músculos.

Conserva de pimenta de cheiro: Veja como fazer

A receita de conserva de pimenta de cheiro é muito famosa e pode ser usada como tempero para várias receitas, tanto as pimentas quanto o caldo da conserva, que pode ser usado como molho de pimenta para sopas e caldos. Veja como preparar:

  1. Primeiro, esterilize um pote de vidro (com tampa) para manter a pimenta em conserva. Escalde em água fervente por 15 minutos e o deixe secando virado com a boca para baixo. Lave a tampa bem lavada com sabão e água corrente. É importante que seja um pote de vidro e o mesmo esteja bem limpo, senão a conserva pode estragar
  2. Corte os talos das pimentas e lave em uma mistura de água e 1 colher (de chá) de bicarbonato de sódio. Enxágue em água corrente. Use a quantidade de pimenta suficiente para ocupar cerca de 80% do pote
  3. Em seguida, coloque as pimentas lavadas no pote, com o suco de 1/4 de limão, 1 colher (de chá) rasa de sal e complete o vidro com vinagre branco.
  4. Por fim, tampe bem, balance para misturar os ingredientes e guarde em um local sem luz por 15 dias
  5. Pronto, a pimenta de cheiro em conserva já pode ser consumida!

Receita de molho picante de pimenta de cheiro

Outra receita famosa onde a pimenta de cheiro é a protagonista é o molho picante. Ele é bem simples e fácil de preparar, além de ir muito bem com torradas, bolachas, carnes grelhadas e saladas. Veja como fazer:

  1. Em uma panela quente, adicione 1 fio de azeite e refogue 1 cebola picada. Quando a cebola suar (ficar amarelada), adicione 4 dentes de alho amassados e 180 g de pimenta de cheiro picada. Refogue
  2. Em seguida, tempere o refogado com 1 colher (de chá) de sal, 1 colher (de chá) de açúcar, 1 colher (de chá) de orégano e 80 ml de vinagre branco (essa quantidade corresponde a um pouco mais que 1/2 xícara). Continue mexendo até o vinagre reduzir
  3. Após isso, leve ao liquidificador e bata a mistura, adicionando 3 colheres (de sopa) de azeite aos poucos
  4. Pronto! Se quiser um molho mais uniforme, passe por uma peneira.
Molho verde sobre salmão

Esse molho de pimenta cai bem com alguma proteína animal (Foto: depositphotos)

Pimenta de cheiro faz mal? Cuidados e contraindicações

Depende. Em primeiro lugar, é importante salientar que a pimenta de cheiro pode ser muito prejudicial se for consumida de forma exagerada ou por quem tem problemas de estômago relacionados à lesões e acidez estomacal. Por outro lado, pode trazer vários benefícios se for consumida de forma regular e em poucas quantidades.

Além disso, existem pessoas que tem alergia às pimentas. Nesse caso, é importante se manter longe da pimenta de cheiro, pois seu consumo pode causar reações alérgicas graves.

Sendo assim, é importante perguntar a um especialista da área da saúde (médicos ou nutricionistas) se você está ou não autorizado(a) a consumir a pimenta de cheiro. Através de resultados de exames clínicos, é possível identificar se o consumo regular da pimenta de cheiro está liberado para o seu organismo.

Aprenda a plantar pimenta de cheiro em casa

A pimenta de cheiro é comum no Nordeste porque ela é uma pimenta de clima quente e ameno. Sendo assim, é importante que você veja qual é a melhor época do ano para plantar em casa. Evite os períodos frios e chuvosos. Fora isso, siga as instruções abaixo para plantar pimenta de cheiro em casa:

  1. Em um vaso de tamanho médio (com aproximadamente 60 cm de diâmetro) com terra natural ou adubada, coloque a semente de pimenta de cheiro e cubra com uma leve camada de terra solta. Mantenha na sombra
  2. Umedeça a terra (com um borrifador, de preferência) e cubra com filme plástico, pois vai ajudar a controlar a evaporação da água
  3. Todos os dias, borrife um pouco de água e mantenha o filme plástico até a semente germinar
  4. Quando houver a germinação o que leva geralmente de 10 a 15 dias, tire o filme plástico e continue borrifando água moderadamente, uma vez por dia. Nessa etapa, você deve mudar o vaso para um local onde a planta receba um pouco de luz do sol, mas evite lugares muito expostos, pois sol demais pode matar a muda
  5. Mantenha os cuidados diários e aguarde a planta crescer e gerar as pimentas. Você pode colher verde e esperar que elas amadureçam soltas do pé.
Referências

(1) BARDUZZI, J. F. “Extração e quantificação da capsaicina em pimenta dedo-de-moça“. 2011. Disponível em: https://cepein.femanet.com.br/BDigital/arqTccs/0811290529.pdf. Acesso em 10 jun. 2019.

(2) XU, H.; TAI, K.; WEI, T.; YUAN, F.; GAO, Y. “Physicochemical and in vitro antioxidant properties of pectin extracted from hot pepper (Capsicum annuum L. var. acuminatum (Fingerh.) residues with hydrochloric and sulfuric acids“. 2017. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28397347. Acesso em 10 jun. 2019.

(3) TUNDIS, R. et al. “Comparative study on the chemical composition, antioxidant properties and hypoglycaemic activities of two Capsicum annuum L. cultivars (Acuminatum small and Cerasiferum)“. 2011. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21792679. Acesso em 10 jun. 2019.

(4) SRINIVASAN, K. “Biological Activities of Red Pepper (Capsicum annuum) and Its Pungent Principle Capsaicin: A Review“. 2016. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25675368. Acesso em 10 jun. 2019.

(5) SELF NUTRITION DATA. “Spices, pepper, red or cayenne“. Tabela disponível em: https://nutritiondata.self.com/facts/spices-and-herbs/201/2. Acesso em 10 jun. 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
24 anos, é jornalista e produtor de conteúdo especializado. Atua com produção jornalística há 4 anos. Vencedor do prêmio de empreendedorismo digital “Academic Winner 2017”, promovido pela DeVry University na Califórnia, Estados Unidos. Tem no currículo trabalhos em emissoras de televisão, jornal impresso, revistas e internet. É pernambucano e tem como hobbies escrever, jogar videogames, cinema e estudos sociais.