Funcho: o que é, benefícios e como fazer o chá

Você já ouviu falar numa planta chamada funcho? E erva-doce, já ouviu falar? Para essa última pergunta é quase unânime a resposta ser positiva. Pois saiba que tratam-se da mesma espécie, uma das mais consumidas do planeta. A diferença é que a erva doce é derivada das sementes dessa planta. Já o funcho, das folhas e flores.

Essa erva, que recebe o nome científico de Foeniculum vulgare Mill., é uma planta herbácea aromática muito usada na culinária, e como planta medicinal devido às suas propriedades curativas, responsáveis por inúmeros benefícios para a saúde. Através do seu chá, é possível melhorar a digestão, aliviar cólicas em bebês e combater distúrbios do sono.

Mas não é só por meio do chá que se pode usufruir das vantagens dessa erva. Utilizar o funcho nas receitas é uma forma saborosa e versátil, podendo render pratos interessantes e ricos em nutrientes.

Conheça melhor essa planta, seus benefícios, como fazer seu chá e aprenda receitas com ela. Boa leitura!

5 maiores benefícios do funcho

O uso dos extratos dessa planta oferece diversas propriedades benéficas para o organismo pois tem ação carminativa (evita formação de gases), digestiva, antiespasmódica (aliviando cólicas), laxante suave e anti-inflamatória, para citar algumas.

Melhora a digestão

As sementes de funcho são empregadas como um remédio para melhorar a digestão. Isso é o que garante um estudo realizado em parceria com o Ministério da Saúde (1). Seu chá é um valioso digestivo, usado para evitar o desconforto na área superior do abdômen, descrito como sensação de queimação, inchaço, náuseas ou saciedade muito rápida depois de começar a comer, mas também contra a distensão abdominal.

Dessa forma, age como tônico digestivo, aumentando o apetite, equilibrando sucos gástricos e facilitando a digestão de proteínas, gorduras e carboidratos. Seu consumo serve para evitar a digestão pesada e a flatulência, bem como para aliviar dores de estômago e desconfortos descorrentes da barriga inchada.

O funcho é, inclusive, indicado como substituto do metoclopramida, remédio sintético, recomendado para tratar distúrbios no deslocamento gastrointestinal. (1) O mesmo estudo constatou sua eficácia em portadores de SII, ou Síndrome do Intestino Irritável. Para a melhoria no trato digestivo, a indicação é de consumir o chá dessa planta durante ou após as refeições.

Essa bebida também é muito lembrada quando o assunto é constipação intestinal. Isso se dá porque o funcho é considerado um laxante leve, absorvendo água das paredes do intestino e levando até o bolo fecal, tornando mais pastoso e de fácil eliminação.

Alivia cólica em bebês

A utilização do chá de funcho é clássica para bebês, para evitar espasmos, flatulência e cólicas. Segundo o material divulgado pelo Ministério da Saúde (1), esse é um dos benefícios apontados como de mais destaque dessa planta. A atividade carminativa, ou seja, de combate a cólicas intestinais, é sobretudo eficiente em desconfortos de recém-nascidos.

Essa erva consegue relaxar as contrações musculares do intestino aliviando as dores e demais desconfortos gastrointestinais do pequenos. Para tanto, existem duas formas de se conseguir resolver as cólicas do bebê utilizando o funcho. É sabido que até os seis meses, o bebê não deve ingerir nenhum líquido ou alimentos, apenas o leite materno, nesse caso é recomendado que a mãe tome o chá, dessa forma os benefícios da planta passarão para o leite materno.

Se o bebê tiver mais de 6 meses, o consumo deve ser feito de forma direta, mas sem exceder o limite diário. Ferva uma xícara de água, desligue o fogo e acrescente 1 ou 2 colheres (de sopa) da erva. Tampe e deixe descansar por 15 minutos. Divida a bebida em 3 ou 4 doses e ofereça a criança ao longo do dia.

Apesar de muito usado em crianças, o trato da cólica a partir desse chá serve também para adultos.

É anti-inflamatório

Essa bebida também é largamente apontada como anti-inflamatória, sobretudo porque é composta por inúmeros antioxidantes. Essas substâncias são capazes de atrasar ou suprimir a deterioração de células sadias a partir da oxidação causada por radicais livres. Sendo, portanto, utilizada popularmente na prevenção do câncer e para tratar enfermidades inflamatórias, como a artrite e o reumatismo. (1)

Acalma

Em material divulgado pelo Ministério da Saúde, os efeitos calmantes do extrato do funcho foram destacados. “Alguns transtornos neurológicos como a ansiedade e distúrbios de sono são tradicionalmente tratados com o funcho”. Estas atividades descritas para a erva conferem com as encontradas na literatura científica, onde se menciona a planta para acalmar a excitação nervosa e combater a insônia. (1)

Chá de funcho emagrece? desinchar

Sim. Na verdade o emagrecimento se dá de forma indireta. Vamos explicar!

Segundo um estudo realizado na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o funcho é diurético (2), ou seja, aumenta a produção e eliminação da urina. Esse é um mecanismo importante para combater a retenção de líquido no corpo, principalmente na região abdominal. Em poucos dias de uso, é possível perceber a redução das medidas corpóreas, mas não exatamente porque emagreceu, mas porque o corpo desinchou.

Como fazer chá de funcho

Xícara com chá de funcho

O chá de funcho é largamento utilizado para aliviar cólicas em bebês (Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • 1 xícara de água
  • 2 colheres (de sopa) das folhas de funcho, ou 1 colher (de chá) das sementes.

Modo de preparo

Ferva a água. Desligue o fogo e adicione a erva. Deixe descansar por 10 minutos. Depois é só consumir, de preferência sem a adição de açúcar. A indicação é a de tomar esse chá até três vezes ao dia.

Como consumir

O funcho é empregado para fins medicinais a partir do seu chá. Mas a industria farmacêutica o utiliza na preparação de artigos de perfumaria e como aromatizante. No entanto, ele é amplamente usado na culinária como tempero de carnes e saladas. (2) A base da haste dessa planta é servida como legume.

Contraindicação e efeitos colaterais

Nas doses recomendadas, o funcho não apresenta potencial de toxicidade em humanos. No entanto deve ser evitado por pessoas alérgicas a algum componente da planta e por epiléticos. Grávidas não devem consumir a erva pois ela aumenta as contrações uterinas podendo causar aborto.

De acordo com a secretária de saúde da cidade de Londrina (3), não foram relatados efeitos colaterais nas doses recomendadas. Em doses excessivas, pode causar agitação, alucinações e até convulsões.

Quem amamenta pode tomar chá de funcho?

Sim, inclusive é uma das indicações para uso, uma vez que o chá de funcho tem propriedade galactagoga, ou seja, estimula a secreção de leite materno. Esse chá ainda consegue diminuir as cólicas da mãe e do bebê. (3)

Bulbo e ramos de funcho

Além do uso medicinal, o funho é utilizado como tempero culinário (Foto: depositphotos)

Características do funcho e onde encontrar

Apesar de hoje ser encontrado em todo o mundo, o funcho é uma espécie nativa da Ásia e Europa Mediterrânea. No Brasil é cultivado nos estados do centro-sul e nordeste. (1)

Sua denominação muda a depender de onde for encontrado. No Brasil a planta é popularmente conhecida como funcho ou erva doce. Mas existem outras, como: hinojo, anís, cilantrillo, finocchio, fennel, funcho-de-bolonha, funcho-de-florença, funcho-da-itália, funcho doce, falso-anis, fiolho-doce, funcho-hortense, funcho-romano, finóquio, fiuncho.

Curiosidade: Os atletas da Grécia antiga e os gladiadores romanos mascavam sementes de funcho para obter energia e força. Os povos antigos também acreditavam que essa erva conseguia afastar maus espíritos.

Referências

(1) ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. MONOGRAFIA DA ESPÉCIE Foeniculum vulgare Mill. (FUNCHO), Ministério da Saúde, 2015. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/setembro/11/Monografia-Funcho.pdf . Acesso em: 20 de setembro de 2019.

(2) ARAÚJO, Rosilma de Oliveira. Investigação da atividade biológica de Foeniculum vulgare Mill (Umbelliferae/Apiaceae) como alternativa terapêutica, Universidade Federal de Pernambuco, 2010. Disponível em: https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/3085/1/arquivo1172_1.pdf . Acesso em: 20 de setembro de 2019.

(3) Secretária de Saúde de Londrina. Fitoterapia. Funcho, Prefeitura de Londrina – PR. Disponível em: http://www1.londrina.pr.gov.br/dados/images/stories/Storage/sec_saude/fitoterapia/publicacoes/funcho2.pdf . Acesso em: 20 de setembro de 2019. 

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Lívia Mota
Jornalista (DRT-PE: 4909), possui especialização em marketing e acumula experiência de mais de 10 anos no ramo da comunicação. Seu currículo reúne conhecimento nas áreas de produção e monitoramento de conteúdo para web, em comunicação empresarial interna e externa e na prestação de assessoria. Trabalhou no jornalismo impresso e digital com repórter, tendo passado pelas editorias de política, economia, cultura, polícia e cidades. Atualmente é editora da empresa iHaa Network, conglomerado de sites no qual o Remédio Caseiro faz parte.