Acelga: 5 receitas deliciosas e benefícios comprovados

A acelga é uma hortaliça pertencente a mesma família da beterraba. Além disso, ela possui um alto teor de fibras, promovendo um bom funcionamento do intestino.

100 gramas desse vegetal atendem a necessidade diária de vitamina A de um adulto. Essa mesma quantidade também apresenta razoável teor de vitamina C. (1)

Isso tudo sem contar com o cálcio encontrado nos diferentes tipos da verdura. Esse mineral é importante em diversas funções do organismo, principalmente no desenvolvimento e fortalecimento dos ossos.

Acelga branca

A acelga fortalece o sistema imunológico evitando gripes e resfriados (Foto: depositphotos)

Além de tantas propriedades e benefícios, essa hortaliça ainda se destaca pela versatilidade de receitas. Dessa maneira, ela pode ser consumida crua em saladas, refogada, marinada ou até mesmo como recheio de tortas.

Benefícios da acelga

Segundo a nutricionista Aline Quissak, a acelga é “um folhoso rico em vitaminas, minerais e antioxidantes”. Trata-se de uma hortaliça importante para todas as pessoas, principalmente para as crianças.

Desintoxica o organismo

A acelga realiza um processo de limpeza no organismo, conforme explica Quissak. “Ela é uma representante da família brassicas rica em isotiocianatos, que são poderosos fitoquímicos na desintoxicação e funcionam como ‘vassouras’ de limpeza das toxinas grudadas na gordura do corpo.”

Favorece o emagrecimento

Outro importante benefício dessa hortaliça é o de regular o estrogênio e a testosterona durante o emagrecimento, favorecendo esse processo. De acordo com a nutricionista, é comum haver um desequilíbrio hormonal durante as dietas, o que pode comprometer os resultados delas.

“A acelga não é um alimento milagroso para o emagrecimento. Mas ela irá auxiliar na saciedade e nos hormônios do apetite pelo alto teor de fibras, bem como regular o intestino facilitando a eliminação de gorduras advindas da reeducação alimentar e do exercício físico”, explica a profissional.

Ainda segundo Quissak, todos os alimentos provenientes da natureza, chamados de “comida de verdade”, podem ser inclusos em uma alimentação para emagrecimento. No entanto, é preciso ter o acompanhamento de um especialista em nutrição para obter resultados eficazes.

Auxilia no crescimento infantil

Para a nutricionista, esse vegetal auxilia no crescimento e desenvolvimento infantil por ser rico em antioxidantes, luteína e vitaminas do tipo A, C e K. Sendo todos esses componentes essenciais para um organismo saudável e imunologicamente forte.

Além disso, trata-se de um alimento perfeito “para que as crianças sejam educadas a ter um paladar diverso, completo e sem negatividade no sabor amargo ou azedo,  é uma forma acessível e nutritiva de trabalhar o paladar infantil”, completa a especialista em nutrição.

Fortalece o sistema imune

Como já foi mencionando, a acelga é rica em vitamina C. Esse nutriente é necessário à saúde pois aumenta a resistência do organismo contra infecções, principalmente as que afetam o funcionamento do aparelho respiratório, como gripes e resfriadosAlém de combater viroses, a vitamina em questão também favorece a cicatrização de ferimentos e evita doenças na boca. (2, 3)

Contribui com o trato gastrointestinal

Essa hortaliça é fonte de fibras, por essa razão influência todo o sistema gastrointestinal, desde a ingestão até a excreção. Por exemplo, os alimentos ricos nessa substância aumentam a mastigação facilitando o fluxo do suco gástrico, aumentando a secreção de saliva e apresentando um crescimento de volume. Tudo isso acaba aumentando a saciedade, mas também contribui com a formação do bolo fecal, melhorando o trânsito intestinal. (4)

Fortalece os ossos

100 gramas de acelga crua possui 43 miligramas de cálcio. (5) Esse mineral é um dos principais constituintes dos ossos, facilitando o ganho de massa óssea no sistema esquelético. (6)

Quando o corpo não possui as quantidades de cálcio suficientes há um maior risco de fraturas de quadril e de coluna, principalmente em mulheres idosas. Portanto, se faz necessária a oferta adequada desse mineral durante toda a vida, sendo ainda mais importante por via alimentar.

Mas além do efeito positivo nos ossos, o cálcio também possui relação benéfica com as funções neuromusculares, a coagulação, a regulação da pressão arterial e com o tratamento contra a obesidade. (6)

O que é e quais são os tipos de acelga?

Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a acelga é uma hortaliça originária da Ásia menor e do Mediterrâneo e pertence à mesma família que o espinafre verdadeiro. (1) Para a nutricionista Aline Quissak, os tipos mais comuns no Brasil são a acelga japonesa, acelga crespa e a acelga de cardo. Mas, todas elas possuem similaridades de benefícios e propriedades.

5 receitas com acelga

De acordo com a nutricionista, além das saladas, a acelga pode ser usada refogada ou até mesmo como recheio de tortas salgadas. No entanto, a Embrapa recomenda uma mastigação massiva ao consumir a hortaliça crua, para evitar a formação de gases intestinais.

“Quando refogada, pode ser usada em substituição ao espinafre, à couve e ao almeirão em diversos pratos. Para preservar a qualidade nutricional de acelga cozida, prepare-a no vapor ou com quantidade mínima de água. Temperos que combinam: limão, vinagre, sal, cheiro verde, pimenta, cebola, alho”, explica a Embrapa. (1)

1. Salada

Essa receita é indicada pela nutricionista Aline Quissak e é super fácil de fazer. Acompanhe!

Salada de acelga com tomate

A forma mais habitual de se consumir a acelga é em saladas (Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • 1 maço de acelga
  • 2 tomates
  • ½ cebola
  • Manjericão a gosto.

Modo de preparo

Corte a acelga bem fina e misture com os demais ingredientes. Sirva a salada crua e fresca.

2. Marinada

Para fazer uma acelga marinada, a cheff  Rita Lobo usa a técnica do branqueamento. E a lista de ingredientes é bem resumida. Confira!

Ingredientes

  • 1 maço de acelga
  • ¼ de xícara (de chá) de shoyo
  • 2 colheres (de sopa) de vinagre de arroz
  • 1 colher (de sopa) de açúcar
  • Óleo de gergelim a gosto
  • Gergelim a gosto.

3. Acelga refogada

Também indicado por Aline Quissak, esse prato é um ótimo acompanhamento para almoços leves. Veja!

Salada de acelga e cenoura

A salada de acelga e cenoura, também pode ser incrementada com pepino e salsa (Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • 1 ramo de acelga
  • 2 cenouras raladas
  • 1 dente de alho
  • Azeite de oliva extravirgem a gosto.

Modo de preparo

Pique o alho e refogue no azeite com o fogo baixo. Assim que o alho estiver dourado, adicione a cenoura ralada e a acelga cortada em finas tiras. Mexa bem e sirva logo em seguida.

4. Salada oriental

Essa hortaliça cai muito bem com pratos orientais, por isso o canal Presunto Vegetariano traz uma super dica de salada com uma variedade de vegetais. Aprenda!

Ingredientes

  • 1 acelga pequena cortada em tiras
  • 1 pepino médio cortado em palitos
  • 1 cenoura média cortada em palitos
  • 1 cebola média cortada em tiras
  • 1 xícara (de chá) de pimentão vermelho e/ou amarelo cortados em tiras
  • 1/3 de xícara (de chá) de shoyu (ou mais se você preferir)
  • Suco de 1 limão
  • Pimenta do reino moída a gosto
  • 3 colheres (de sopa) de óleo vegetal (girassol, milho, coco, ou azeite)
  • 4 dentes de alho cortados em lâminas finas
  • 1 colher (de sopa) de gergelim branco
  • Azeite a gosto.

5. Torta

O canal da Rubia Rubita traz uma torta de dar água na boca e tem como protagonista a acelga. Veja como aproveitar essa hortaliça!

Ingredientes

  • 2 colheres (de sopa) de azeite
  • 1 cebola picada
  • 2 dentes de alho
  • 1 maço de acelga picado
  • 1 xícara (de chá) de leite quente
  • 2 xícaras (de chá) de queijo cottage ou ricota
  • 3 ovos
  • ½ xícara (de chá) de farinha de trigo integral
  • 1 colher (de chá) de fermento em pó.

Existe contraindicação?

Apesar de ser um alimento natural, a acelga possui algumas contraindicações. “Para quem tem hipotireoidismo não é interessante consumir de forma prolongada e em grande quantidade devido aos compostos goitrogênicos”, alerta Aline Quissak.

Para quem não sabe, esses compostos dificultam a absorção de iodo pelo organismo. Por essa razão, estão associados a problemas como o hipotireoidismo, hipertireoidismo e tireoidite de Hashimoto.

“Também não é recomendado consumir junto com anti-inflamatórios. E, devido ao alto teor de vitamina K, não é recomendado consumir com uso de medicamentos anticoagulantes“, finaliza a nutricionista.

*Artigo feito com a colaboração da nutricionista Aline Quissak (CRN 8 10607), formada em Nutrição pela Universidade Federal de Alfenas (Minas Gerais); Graduação Sanduiche em Applied Humman Nutrition na University of Guelph, Canadá; Especialização em Síndrome Metabólica, Especialização em Nutrição em Cirurgia Bariátrica, Especialização em Oncologia, Especialização em Nutrição e Pacientes Críticos, Especialização em Fitoterapia e Naturopatia pela University of Guelph e pela University of Toronto, também no Canadá; Especialização em Nutrição Esportiva e CrossFit e Especialização em Psicologia da Nutrição pelo Institute of Psychology of Eating nos Estados Unidos. É pesquisadora em Nutrição Funcional e Desenvolvimento de Receitas com foco em Nutrigenética e Nutrigenômica.

Referências

(1) TAVARES, Selma Aparecida; LANA, Milza Moreira. “Acelga“. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), 2016. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/160418/1/ACELGA-CCCC-2017.pdf. Acesso em: 26 de agosto de 2019.

(2) SILVA, Maria Cristina Lemos da; et al. “Programa horta em todo canto“. Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA). Disponível em: http://www.ipa.br/novo/pdf/horta-todo-canto/horta-organica.pdf. Acesso em: 26 de agosto de 2019.

(3) TRANI, Paulo Espíndola; et al. “Hortaliças e plantas medicinais: manual prático“. Boletim Técnico Instituto Agronômico Campinas (IAC), Campinas, 2010. Disponível em: http://www.iac.sp.gov.br/publicacoes/publicacoes_online/pdf/boletim_tecnico%20_IAC199.pdf. Acesso em: 26 de agosto de 2019.

(4) Aditivos & Ingredientes. “Fibra dietética – seu papel na saúde“. Disponível em: https://aditivosingredientes.com.br/upload_arquivos/201605/2016050244724001464004563.pdf. Acesso em: 26 de agosto de 2019.

(5) Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação – NEPA. “Tabela Brasileira de Composição de Alimentos – TACO“. Campinas, São Paulo, 2011. Disponível em: http://www.nepa.unicamp.br/taco/contar/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf?arquivo=taco_4_versao_ampliada_e_revisada.pdf. Acesso em: 26 de agosto de 2019.

(6) FRANÇA, Natasha Aparecida Grande de; MARTINI, Lígia Araújo. “Funções plenamente reconhecidas de nutrientes – Cálcio“. International Life Sciences Institute, 2009. Disponível em: https://ilsi.org/brasil/wp-content/uploads/sites/9/2016/05/Fasci%CC%81culo-1-Seg-Edic%CC%A7a%CC%83o-Ca%CC%81lcio.pdf. Acesso em: 26 de agosto de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.