Os óleos que fazem bem e os que fazem mal para saúde

Desde o óleo de soja até o de amêndoa doce, todas as gorduras devem ser usadas sem exageros. Saiba mais sobre os benéficos de alguns óleos


Quando se fala em “óleo” e “gordura”, muitas pessoas ainda pensam em uma substância que apenas traz malefícios à nossa saúde. No entanto, as gorduras desempenham um papel importante em nosso organismo, pois são fundamentais para a formação das membranas celulares e dos hormônios, além de fornecerem energia e ácidos graxos essenciais e auxiliarem na absorção das vitaminas lipossolúveis, como A, D, E e K.

Mas, quando aquecidas acima de 180ºC, a maioria dos óleos sofre processo de degradação e libera substâncias nocivas ao organismo, como a acroleína. Substância que, inclusive, deve ser utilizada sem excessos.

Neste artigo, saiba quais óleos fazem bem para saúde e os que fazem mal.

Óleos benéficos para a saúde

A recomendação é que os óleos sejam utilizados para refogar e assar alimentos, além de regar as saladas. Desde o óleo de soja até o de amêndoa doce, todas as gorduras devem ser usadas sem exageros.

Os óleos que fazem bem e os que fazem mal para saúde

Foto: Pixabay

Amêndoa doce

Rico em vitamina E, componente que combate os radicais livres, o óleo de amêndoa doce também contém fósforo, ferro e vitaminas do complexo B. Quando acrescentado aos alimentos, pode deixar a pele ainda mais lisa. Este óleo deve ser consumido sempre frio e combinando com saladas de frutas e peixes.

Amendoim

Possui grande quantidade de gorduras monoinsaturadas, que são aquelas que protegem o coração. Ao contrário de outros óleos, o de amendoim não perde as suas propriedades se atingir até 220ºC.


De gosto suave, o óleo de amendoim pode ser usado em frituras.

Gergelim

Também conhecido como óleo de sésamo, este fornece grande quantidade de ômega-6 e ômega-9, protetores do coração, e também é fonte de vitamina E.

O óleo de gergelim combina com saladas de folhas verdes ou de grãos, molhos orientais e massas.

Azeite de oliva

O extravirgem é o mais indicado deles, pois contém maior quantidade de antioxidantes, que retardam o envelhecimento das células e protegem contra o câncer. Assim como ocorre com o vinho, as versões mais finas do azeite de oliva são classificadas de acordo com a origem da azeitona.

O azeite de oliva combina com saladas, massas e carnes.

Linhaça

Rico em substâncias denominadas lignanas, o óleo de linhaça é benéfico para o coração e atua sobre o metabolismo do estrogênio e da progesterona, além de fortalecer o sistema imunológico e nervoso.

Este óleo pode ser utilizado em molhos para salada, no tempero de queijo cottage e misturado com iogurte.


Reportar erro