Babosa no cabelo: como passar para hidratar e crescer os fios

Você sabe como usar a babosa no cabelo? Chamada de aloe vera, a babosa é uma planta nativa do Nordeste africano e do Mediterrâneo, pertencendo a um gênero que abriga mais de 300 espécies, sendo a maioria delas com propriedades medicinais.

Existem registros de que a babosa é usada há mais de 5 mil anos como um poderoso cosmético natural. No Brasil, ela é tradicionalmente utilizada para tratar cabelos, peles e também queimaduras.

Atualmente, é possível encontrar diversos cosméticos que em sua composição levam babosa. Mas saiba que é possível aproveitar todos os benefícios usando a planta ao natural e sem gastar muito.

Por causa disso, o Remédio Caseiro preparou um artigo completo para explicar para você os diferentes modos de uso da babosa, quais os benefícios dela para os cabelos e ainda como plantar a erva em casa. Confira!

Como usar a babosa no cabelo?

Um dos principais usos da babosa é nos cabelos. Isso porque “a baba” que fica no interior das folhas é rica em nutrientes e diversos compostos fitoquímicos que penetram nas cutículas capilares e fornecem uma série de benefícios.

Mulher segurando babosa

A babosa pode ser utilizada na hidratação e fortalecimento dos cabelos (Foto: depositphotos)

Tudo isso com modos de usos bem fáceis e que mudam de acordo com o resultado desejado. Veja a seguir como usar a babosa para aproveitar os principais benefícios da planta!

Para hidratar os fios

A babosa é geralmente indicada para quem deseja hidratar os cabelos, principalmente devido à grande quantidade de nutrientes encontrados na parte interna da folha. Nesse caso, é possível afirmar que ela é emoliente, proporcionando mais maciez aos fios.

Para este fim, você irá precisar apenas de folhas de babosa, em quantidade o suficiente para envolver todo o cabelo. Em primeiro lugar, use uma faca para cortar e retirar a parte externa da folha.

Logo depois, separe o gel e aplique do meio para as pontas dos cabelos. Envolva os fios com uma touca ou toalha e espere cerca de 20 minutos para que todos os nutrientes penetrem nas cutículas capilares.

Por fim, basta enxaguar, condicionar e finalizar o cabelo normalmente. Após a primeira aplicação já é possível perceber que as madeixas ficaram brilhantes e mais hidratadas.

Para diminuir a queda e estimular o crescimento

A babosa é uma planta rica em diversos tipos de nutrientes. Boa parte deles contribui para a diminuição da queda causada pela quebra e ainda estimula o crescimento de novos fios.

Para estas finalidades, você pode usar a babosa de duas maneiras. Em primeiro lugar, para estimular o crescimento e diminuir a queda que acontece desde a raiz, é necessário aplicar o gel de babosa puro ou misturado com o óleo de coco em todo o couro cabeludo. Sempre massageando para promover a circulação e logo depois enxaguar e finalizar o cabelo como de costume.

Já para fortalecer os fios, a aplicação deve ser feita no comprimento dos cabelos e deixar agir por 20 minutos. O efeito poderá ser notado com o uso contínuo, onde os cabelos ficarão mais fortes e cheios.

Para caspa

Outro uso bastante comum do gel da babosa é para tratar a caspa. O problema, que afeta mais de 2 milhões de novos brasileiros todos os anos, é causado por uma condição chamada de dermatite seborreica.

Quando atinge o couro cabeludo, ela causa coceira e a formação de casquinhas brancas, provocando bastante incômodo. Portanto, a babosa é utilizada como uma solução natural para quem sofre com esse problema.

Para este fim, você precisa apenas do gel da babosa. Sendo assim, aplique o gel em todo o couro cabeludo, que deve estar limpo. Também é importante massagear bem e deixar agir por 15 minutos. Logo depois, enxague e não finalize com o condicionador ou creme para pentear.

Você pode repetir esse processo ao menos duas vezes na semana, até que toda a caspa seja eliminada.

10 benefícios da babosa para os cabelos

Como já foi dito, a babosa é uma planta usada há milênios, principalmente quando se trata de cuidar da beleza. Todo esse mérito é graças às suas diversas propriedades que ajudam a deixar os cabelos e a pele nutridos e viçosos.

No Brasil, a planta é usada com mais frequência para este fim e a seguir você vai ver os 10 principais benefícios da babosa para os cabelos que farão com que você deseje ter um pé em casa. Confira!

  • Reduz as caspas
  • Repara os danos à estrutura dos fios
  • Tem um grande poder de hidratação
  • Combate a quebra e a queda de cabelo
  • Estimula o crescimento
  • Retarda o envelhecimento do couro cabeludo
  • Protege contra danos do sol
  • Remove impurezas
  • Reduz a oleosidade na raiz
  • Tem efeito cicatrizante.

Reduz as caspas

Um dos principais benefícios da babosa para o cabelo é o de acabar com as caspas. O problema de descamação branca preocupa e incomoda muita gente, principalmente por causa da irritação e coceira que ele causa.

Como já foi mencionado, a caspa é uma inflamação decorrente de uma condição conhecida como dermatite seborreica, que por sua vez é causada por um tipo de fungo que vive no couro cabeludo.

O gel da babosa tem em sua composição propriedades anti-inflamatórias e antifúngicas. Desse modo, quando aplicada no couro cabeludo ela ajuda a tratar a raiz do problema e diminui os incômodos trazidos pela caspa, como a coceira. (1, 2)

Repara os danos da estrutura dos fios

A aloe vera é capaz de reparar os danos causados pelas agressões do dia a dia à estrutura do cabelo. Isso acontece por conta da sua composição nutricional.

O gel retirado do interior das folhas da planta é rico em vitamina A, diversos tipos de aminoácidos, bem como em ácidos graxos. Todas essas substâncias estão presentes na estrutura do cabelo e são perdidas com os danos diários.

Dessa forma, a babosa ajuda a repor os nutrientes perdidos e repara a estrutura dos fios. Além de prevenir o aparecimento do frizz e das pontas duplas, que também são causadas por causa da perda de nutrientes. (3, 4, 5)

Tem um grande poder de hidratação

O gel da babosa é composto por 70% de água. Isso faz com que ele seja uma bomba de hidratação para os cabelos, especialmente por conseguir penetrar nos fios.

Além disso, o efeito reparador da planta faz com que ela diminua a perda de água para o ambiente. Promovendo assim, não apenas a hidratação, mas um efeito emoliente que proporciona maciez, brilho e movimento para as madeixas. (4, 6)

Combate a quebra e a queda de cabelo

A queda de cabelo é um problema que afeta milhares de pessoas e pode ocorrer devido a diversos fatores. A queda, geralmente é causada pelo manuseio errado de escovas e pentes, uso contínuo do secador e chapinha, e até mesmo pelo sol e poluição das cidades grandes.

Para combater esses males, a babosa fortalece a estrutura dos cabelos, fazendo com que eles fiquem menos suscetíveis as agressões diárias. (1, 3)

Estimula o crescimento

A babosa é benéfica pois age estimulando a oxigenação do couro cabeludo e proporcionando o crescimento de novos cabelos.

Além disso, ela é rica em vitaminas A e K, que agem diretamente na produção de novos fios de cabelos e na saúde dos mesmos. O gel ainda contribui para uma suave esfoliação da couro cabeludo, que também ajuda a acelerar o crescimento. (5, 7, 8)

Retarda o envelhecimento do couro cabeludo

Assim como nossa pele, os cabelos também envelhecem com o passar do tempo. Por isso, é importante adotar hábitos que servem para retardar esse processo.

Um deles é utilizar a babosa como tratamento capilar. Por causa da grande quantidade de vitaminas, minerais e diversos aminoácidos, a planta proporciona mais elasticidade e proteção contra danos aos fios. (5, 8)

Protege contra danos do sol

Os cabelos também podem sofrer danos causados pela exposição ao sol. Esses danos incluem ressecamento, pontas duplas e desbotamento da cor, principalmente em cabelos coloridos artificialmente.

O gel da babosa age bloqueando e absorvendo parte da radiação ultravioleta, fazendo com que os danos aos fios sejam mínimos. Parte disso está relacionado à presença de diversas substâncias antioxidantes e à grande quantidade de vitamina A encontrada nas folhas. (4, 5)

Babosa planta

Essa planta protege os fios contra as agressões externas do dia a dia (Foto: depositphotos)

Remove impurezas

Quando aplicada nos cabelos, a babosa produz uma espuma suave que contém propriedades de limpeza devido à presença de saponina. Juntamente com a massagem, isso ajuda a retirar impurezas que aderem ao couro cabeludo.

Além disso, penetra na camada superficial da pele e desentope os poros. No comprimento dos cabelos, a planta também proporciona uma limpeza suave, ao mesmo tempo que mantém a hidratação. (3)

Reduz a oleosidade na raiz

Além de hidratar os cabelos, a babosa tem a capacidade de reduzir a oleosidade na raiz. Isso acontece por causa das propriedades do gel de remover as impurezas e pela presença de uma substância chamada de ácido salicílico.

Esse composto é bastante usado em produtos para acne e contém propriedades esfoliantes e antimicrobianas. Com o uso a longo prazo isso reduz a oleosidade e previne o surgimento de dermatites e outros problemas na pele. (4, 8)

Tem efeito cicatrizante

Por fim, o gel da babosa possui propriedades cicatrizantes. Isso faz com que ela seja extremamente eficaz para o tratamento de dermatites, incluindo a capaz e prevenindo o surgimento de novas lesões.

Por exemplo, quem usa chapinha com frequência pode acabar queimando o couro cabeludo. A babosa estimula a produção de colágeno, que melhora o fator de cicatrização, previne danos permanentes ao bulbo capilar e ainda diminui o incômodo. (1, 5, 6)

Propriedades nutricionais da planta

Já foi mencionado que a babosa é uma planta bastante rica nutricionalmente. No gel extraído do interior dela é possível encontrar vitaminas A, C, E e do complexo  B, como B1, B2, B3 e B6, bem como colina, niacina e ácido fólico.

Minerais como ferro, sódio, potássio, zinco e manganês também estão presentes em boas quantidades na “baba” da planta. Além disso, existem mais de 20 aminoácidos, substâncias importantes para a saúde do cabelo e da pele. (5, 8,)

Existem contraindicações para o uso?

Sim, assim como qualquer outro produto natural existem algumas contraindicações e cuidados com o uso da babosa. Em primeiro lugar, ela não deve ser usada durante a gravidez ou em pessoas com histórico de doenças cardíacas e renais crônicas.

Isso porque, os compostos fitoquímicos da planta, ao serem absorvidos pelo organismo, interagem com certos tipos de medicamentos e também podem levar ao aborto ou má formação do feto.

Antes de usar a babosa pela primeira vez é sempre importante fazer um teste de alergia, aplicando uma pequena quantidade no antebraço. Isso é necessário porque ela pode causar dermatite, diarreia e até mesmo vômito em pessoas sensíveis.

Por fim, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não recomenda o uso da babosa em alimentos, em nenhuma hipótese. Principalmente, pela falta de estudos que comprovem a sua segurança e benefícios. (1, 9)

Como plantar babosa em casa?

Você viu neste artigo os benefícios de usar babosa no cabelo e ficou com vontade de testar? Saiba que ela é uma planta que pode cultivada no jardim e não necessita de grandes cuidados.

Como qualquer outra sulenta, a babosa se multiplica por eustaquia. Ou seja, o nascimento de novas plantas a partir de suas folhas. Já a terra para o plantio deve ser bem drenada e aerada.

Assim, as raízes da Aloe vera conseguem se fixar melhor no solo. A rega deve ser feita apenas quando a terra estiver seca e a babosa precisa ficar em contato direto com a luz do sol. (10)

Referências

(1) FOSTE, Meika et al. “Evaluation of nutritional and metabolic effects of aloe vera“. Herbal Medicine: Biomolecular and Clinical Aspects, v.2, capítulo 23. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK92765/. Acesso em 30 de abril de 2019.

(2) HEDENDAL, Bruce Eric. “Whole-Leaf Aloe Vera, Almost A Panacea“, [2004]. Disponível em: http://www.wholeleaf/.com/aloeverainf/. Acesso em 30 de abril de 2019.

(3) ESHUN, Kojo; HE, Qian. “Aloe vera: A valuable ingredient for the food, pharmaceutical and cosmetics industries – A review“. Critical reviews in Food Science and Nutrition, v.44, n.2, p.91-96, [2004]. Disponível em: https://doi.org/10.1080/10408690490424694. Acesso em 30 de abril de 2019.

(4) BOUDREAU, Mary D; BELAND, Frederick A. “An evaluation of the biological and toxicological properties of Aloe Bardanensis (Miller), Aloe Vera“. Journal of Environmental Science and Health, v.24, n.1, p.103-154, [2017]. Disponível em: https://doi.org/10.1080/10590500600614303. Acesso em 30 de abril de 2019.

(5) SURJUSHE, Amar et al. “Aloe Vera: A short review“. Indian Journal of Dermatology, v.53, n.4, p.163-166, [2008]. Disponível em: 10.4103/0019-5154.44785. Acesso em 30 de abril de 2019.

(6) PALHARIN, Luiz Henrique Di Creddo et al. “Efeitos fitoterápicos e homeopáticos da babosa“. Revista Científica Eletrônica de Agronomia, n.14, dezembro de 2008. Disponível em: https://docplayer.com.br/12590593-Efeitos-fitoterapicos-e-homeopaticos-da-babosa-nota-tecnica.html. Acesso em 30 de abril de 2019.

(7) SHELTON, Ronald. “Aloe vera. Its chemical and therapeutic properties“. International Journal of Dermatology, v.30, n.10, p. 679-683, [1991]. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/1823544. Acesso em 30 de abril de 2019.

(8 ) SOUZA, José Ricardo Sampaio et al. “Características fitoterapêuticas da aloe vera“. Revista Funec Científica, v.6, n.8, p.23-39, [2018]. Disponível em: https://doi.org/10.24980/rfcm.v6i8.2237. Acesso em 30 de abril de 2019.

(9) FREITAS, V.S.; RODRIGUES, R.A.F.; GASPI, F.O.G. “Propriedades farmacológicas da Aloe vera (L.) Burm. f.” Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Botucatu, v. 16, n. 2, p. 299-307, [2014]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-05722014000200020. Acesso em 30 de abril de 2019.

(10) BACH, Dionizio Bernardino; LOPES, Marcos Aurélio. “Estudo da viabilidade econômica do cultivo da babosa (aloe vera L.).” Ciênc. agrotec. [online]. vol.31, n.4, pp.1136-1144, [2007]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542007000400029. Acesso em 30 de abril de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (Mtb-PE: 6770) com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio. Atualmente atua na área de redação para web, nas áreas de educação, beleza e saúde alternativa. Além da formação no curso superior, possui experiência em produção de vídeo, diagramação de livros e revistas e marketing.