Chá de Cabelo de milho trata infecção urinária e distúrbio cardíaco

Por Jéssica Vanessa

Cabelo de milho

O chá desta parte do milho ajuda até a emagrecer! | Imagem: Reprodução

O milho é, sem dúvida, um dos alimentos mais nutritivos que existem. A utilização dele na alimentação humana é bastante abrangente, partindo do fato de ser um ingrediente usado na fabricação de biscoitos e até na fabricação de chá medicinal. O cabelo de milho, também conhecido como barba de milho ou estigma de milho, é uma parte deste cereal do qual se pode fazer um  chá natural,  usado no tratamento para problemas como infecção urinária ou no controle da pressão alta.

O cabelo de milho é indicado em quais situações?

  • Desintoxicação do sangue
  • Cura de infecção nos rins
  • Em caso de cistite ou dores ao urinar
  • Cura de distúrbios cardíacos

Além favorecer na cura de todos esses problemas, o chá de Cabelo de milho ajuda a emagrecer (o que mostra que ele é riquíssimo em benefícios para a saúde), pois alivia a retenção de líquidos, que é um dos fatores que mais causam inchaço. Existem algumas contra-indicações para este chá natural, assim como podem existir efeitos colaterais. Para pessoas com dificuldade em urinar, em favor da inflamação da próstata, é preciso evitar a infusão do cabelo do milho, pois ela pode aumentar a sensação de dor.

Como fazer o chá

Primeiro, os ingredientes. São necessários cinco gramas do cabelo de milho (deve-se utilizar os estigmas secos), cinco gramas de zimbro, cinco gramas de alteia e setecentos e cinquenta ml de água. Depois de preparar todos os ingredientes, ferver a água e despejar ela sobre as ervas, deixando tudo em infusão por no máximo cinco minutos. Dividir em quatro porções e deixar esquentando por dez minutos antes de tomar a primeira porção e tomar ao longo do dia. É importante guardar o chá na geladeira em um recipiente fechado (pode ser uma garrafinha).

É preciso lembrar de ter cuidado na hora de utilizar esta infusão, assim como qualquer produto natural. Mesmo sendo produtos medicinais, dependendo do organismo, podem possuir efeitos diversos se usados de maneira errada. O ideal é sempre consultar um especialista antes de qualquer tratamento.