Problemas de visão prejudicam crianças na escola

34% da população tem hipermetropia e 36% miopia, é natural que uma parcela generosa seja composta por crianças


As crianças também sofrem com os problemas de visão. Em um país, onde 34% da população tem hipermetropia e 36% miopia, é natural que uma parcela generosa seja composta por pacientes com menos de 12 anos. Existem três problemas que podem afetar a visão dos nossos pequenos: a hipermetropia, a miopia e o astigmatismo.

Segundo, Rosa Maria Graziano, presidente do Departamento de Oftalmologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo, a hipermetropia é a que mais prevalece na infância, inclusive pode surgir logo após o nascimento.

Hipermetropia

Entretanto, o problema pode desaparecer conforme a criança vai crescendo. Segundo ela, o problema acontece quando o olho pequeno foca a imagem que está por trás da retina.

A médica explica como acontece o distúrbio: “para manter a acuidade visual, a criança mantém o esforço de acomodação, contraindo a musculatura ciliar e aumentando a capacidade de convergência do cristalino, direcionando a luz ao ponto focal da retina. Este esforço pode acarretar em astenopia, caracterizada por dor de cabeça, sensação de peso, ardor, lacrimejamento e hiperemia conjuntival, principalmente para leitura de perto”.

problemas-de-visao-prejudicam-criancas-na-escola

Foto: depositphotos

Por conta disso, a hipermetropia pode atrapalhar a criança em sala de aula e na hora de fazer a leitura e tarefas escolares. Consequentemente, o estudante pode tornar-se disperso e com pouco interesse nos estudos.


Miopia

Já a miopia costuma aparecer em crianças acima dos oito anos de idade, quando acontece um crescimento do diâmetro antero-posterior do globo ocular tendo como consequência que a imagem seja percebida em um ponto anterior à retina.

“O míope, ao contrário do hipermetrope, não dispõe de mecanismos que levem a imagem a se focalizar na retina. Assim, para conseguir boa visão, aproxima-se do objeto e diminui a fenda palpebral, também acarretando em cefaleia e desinteresse”, explica a oftalmologista.

Astigmatismo

O astigmatismo também pode afetar as crianças. Ele acontece quando os raios de luz, ou seja, as imagens não são fixadas no mesmo ponto da retina, por conta de curvaturas diferentes da córnea ou do cristalino. Isso resulta em uma distorção, como simplifica Rosa Maria Graziano: “a imagem focada é distorcida: ou seja, quando as linhas verticais são vistas claramente, as horizontais não são, e vice e versa”.

Essa doença pode causar um grande desconforto para as crianças, pois ela tanto pode ter dificuldades para ver de perto como de longe. Isso também traz uma série de sintomas como dor de cabeça e olhos ardidos.

Todos os problemas de visão que podem atrapalhar no desempenho escolar têm como ponto de partida a nitidez das imagens. É preciso haver uma harmonia entre as duas lentes que temos nos nossos olhos: a córnea e o cristalino.


Reportar erro