5 benefícios do melão para a sua saúde

Seja em forma de suco, sorvete ou salada de frutas, o melão é uma ótima opção de lanche. Além disso, a fruta também possui benefícios que vão desde melhorar a aparência da pele, até mesmo prevenir o câncer.

Segundo a nutricionista Pollyana Oliveira, o melão apresenta um conjunto de vantagens. “Ele hidrata e desintoxica o organismo, pois é rico em água (cerca de 80%), e tem baixo valor calórico, ideal para quem quer manter o peso. Ao mesmo tempo, por ser repleto em fibras, ajuda na digestão, sendo muito eficaz contra a prisão de ventre, além de aumentar a sensação de saciedade” explicou.

Melão inteiro e pela metade

O melão consumido regularmente equilibra os níveis da pressão arterial, evitando picos e, consequentemente, a hipertensão (Foto: depositphotos)

Outra grande utilidade é a facilidade de encontrar essa fruta. Ainda que seja nativa da Ásia, ela é cultivada popularmente em países quentes. Não é a toa que a região Nordeste é a maior produtora da fruta no Brasil.

Quais os principais benefícios do melão?

O alto valor nutricional torna o melão numa ótima alternativa para a composição de uma dieta saudável. Confira alguns de seus principais benefícios:

1. Ajuda a reduzir a pressão arterial

Sabe-se que uma dieta equilibrada e rica em frutas, legumes e vegetais, por si só, já é benéfica para a saúde. No entanto, por ser abundante em água e potássio, o melão ajuda a reduzir a pressão arterial em hipertensos. A consequência é a diminuição da probabilidade do indivíduo sofrer com doenças cardiovasculares e outras complicações. (1)

Isso acontece pois a fruta possui um composto chamado L-citrulina, que favorece a dilatação dos vasos sanguíneos e melhora a circulação. O ingrediente também ajuda a melhorar o perfil lipídico do paciente, protegendo sua saúde cardíaca.

2. Fortalece os ossos

O melão é rico em nutrientes que ajudam a manter os ossos fortes e saudáveis, entre eles: a vitamina K, o magnésio e o folato. O folato é essencial para preservar estável o nível de homocisteína que, quando elevado, pode ser a causa de diversas doenças, incluindo a osteoporose. (2)

O magnésio, por sua vez, é fundamental na construção da massa óssea. Cerca de 4% das necessidades diárias desse mineral podem ser atendidas com uma porção de melão. E a vitamina K favorece a fixação do cálcio nos ossos.

Além disso, o melão também contém pequenas quantidades de outros nutrientes, incluindo: cálcio, fósforo e zinco, que auxiliam no fortalecimento ósseo.

3. Alivia os sintomas da menopausa

Segundo Pollyana Oliveira, “o melão é capaz de aliviar os sintomas da menopausa, já que sua composição contém fósforo, magnésio, vitaminas A e B. Essa fruta é considerada um calmante natural, o que reduz também as mudanças de humor durante essa fase da vida da mulher”.

As ondas fortes de calor, que são características do declínio natural nos hormônios reprodutivos, podem ser amenizadas, ou mesmo evitadas, graças a presença das vitaminas C e E e dos flavonoides. Esses compostos também atenuam a secura vaginal e as oscilações de humor.

4. Favorece o sistema imunológico

O melão contém vitamina C, capaz de elevar o sistema imunológico e manter afastadas doenças como gripes, resfriados e pneumonia. (3) Embora não impeça o corpo de contrair o resfriado, ela pode abrandar seus sintomas e reduzir o tempo de duração do problema.

Essa vitamina também é essencial para o desenvolvimento e reparo de tecidos em todo o corpo. Como é antioxidante, ela combate os radicais livres no organismo, o que pode ajudar a prevenir ou retardar certos tipos de câncer e doenças cardíacas, além de promover um envelhecimento saudável.

5. Melhora a aparência da pele

Esse benefício também é mérito da vitamina C. Ela previne a degeneração celular e o envelhecimento da pele e dos órgãos em geral. Ela também estimula a produção de colágeno, reparando e mantendo a firmeza da cútis. (4)

6. Age a favor da saúde ocular

Para a nutricionista, o melão é um aliado da boa visão por conta da zeaxantina presente na composição da fruta. “Esse pigmento combate os radicais livres e está presente naturalmente no organismo, principalmente nos olhos, melhorando a saúde da retina”, salientou Pollyana.

Tabela nutricional

Porção de 100 gramas Quantidade por porção
Valor energético 29 Kcal
Proteína 0,7 g
Colesterol  –
Carboidrato 7,5 g
Fibra 0,3 g
Cálcio 3 mg
Fósforo 10 mg
Ferro 0,2 mg
Sódio 11 mg
Potássio 216 mg
Vitamina C 8,7 mg
Magnésio 6 mg

* Valores diários de referência com base em uma dieta de 2000kcal ou 8400kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas. Dados retirados do TACO, edição revisada e ampliada. (5)

Melão engorda. Verdade ou mito?

Trata-se de um mito. Nenhum alimento, de forma isolada, é capaz de engordar ou emagrecer. Tudo depende do contexto geral de alimentação e do modo de vida do indivíduo. Deste forma, se você é sedentário e come de maneira inadequada (muita gordura, carboidratos e industrializados), acrescentar o melão na dieta não fará diferença alguma.

Por outro lado, se você trocar o lanche da tarde (biscoitos recheados, embutidos e fast-foods) por uma porção de melão, a fruta pode sim te ajudar a perder peso de maneira saudável e equilibrada.

Contudo, a nutricionista ressalta que “apesar de saudável, o melão não deve ser consumido em exagero, devido à alta carga glicêmica e índice glicêmico”.

Tipos de melão

O melão é geralmente classificado em dois tipos, os inodoros e os aromáticos. Os mais comuns são o Gália, Honeydew e o Cantaloupe. Confira suas principais características de acordo com a nutricionista:

Melão Cantaloupe: é uma variedade bastante saborosa e doce. O sabor chega a parecer com o da melancia. A sua polpa é laranja e macia, e a casca é cheia de relevos. Esse melão é uma grande fonte de vitamina C e vitamina A e tem níveis saudáveis de potássio, vitamina B, tiamina, niacina, ácido fólico, vitamina K, magnésio e fibras.

Melão Galia: os melões Galia são amarelados ou esverdeados, com a polpa amarelada e doce. É uma variedade híbrida, originária do melão Ogen e do melão Honeydew. São ricos em vitamina C, vitamina A, carotenoides, bioflavonoides e vários minerais, como potássio, cálcio, e ferro. Além de conter níveis significativos de fibra, incluindo pectina. Eles também não têm gordura, não têm colesterol e são baixos em calorias.

Melão Honeydew: esse tipo de melão tem pele amarelada e brilhante e polpa levemente esverdeada e doce. Ele possui um alto teor de água em sua composição. Mas o nível de açúcar pode chegar a 10%, ou seja, também é bastante alto. Olhando para o valor nutricional, é ainda mais farto em nutrientes do que uma melancia, contendo um nível maior de potássio, betacaroteno e vitamina A. Além disso, fornece ferro, vitaminas do complexo B e nutrientes essenciais para a saúde do nosso corpo.

Perguntas frequentes

Como escolher

Na hora de comprar, algumas dicas podem ajudar a escolher um melão maduro e doce. O primeiro passo é verificar se não há manchas, mofo, amassados ou rachaduras na casca. Observe se a casca não está muito brilhante, o que pode significar que a fruta ainda não está muito madura. Outra dica é dar leves batidas com a mão e prestar atenção no som: se for oco, o melão está pronto para consumo.

Como extrair a polpa

Existem duas maneiras mais práticas de cortar essa fruta.

: Coloque a fruta na horizontal e corte suas extremidades. Apoie umas de suas bases no balcão e descasque cortando com uma faca. Corte ao meio e retire as sementes.

: Corte verticalmente a fruta ao meio. Retire as sementes com uma colher e corte de uma extremidade a outra do melão, em fatias de 3 ou 4 centímetros. Remova a casca separando-a da polpa, usando uma faca.

Como consumir

Introduzir o melão na dieta é bastante simples, visto que a fruta é versátil e possui sabor delicado, agradando até mesmo as crianças. A melhor maneira de consumi-lo é em sua forma fresca, cortando-a em pedaços. Desta forma, ela pode ser ingerida sozinha ou adicionada a uma salada de frutas. Caso prefira, o melão pode ser utilizado no preparo de sucos. Neste caso, a dica da nutricionista é adicionar sementes de chia para controlar o índice glicêmico.

Receitas com o melão

Separamos 3 receitas para você provar a fruta em diferentes versões:

Suco

Copo com suco de melão

(Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • 1 xícara (de chá) de melão picado
  • 2 xícaras (de chá) de água gelada.

Modo de preparo

Bata o melão com a água no liquidificador. A fruta já é doce naturalmente, mas caso deseje adoçar, opte pelo mel ou açúcar mascavo.

Suchá

Copo com suchá de melão

(Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • ¼ de melão picado sem casca e sem semente
  • 1 fatia fina de gengibre
  • 200 ml de chá verde gelado
  • 1 colher (de sopa) de mel.

Modo de preparo

Para o preparo do chá, coloque a água em uma panela até começar a ferver. Nesse momento, desligue o fogo, acrescente a erva e tampe. Deixe descansando de 5 a 10 minutos. Depois, coe o chá e o coloque para gelar. Com a bebida fria, bata no liquidificador junto aos demais ingredientes e está pronto.

Essa receita foi retirada do site Guia da Semana

Granita

Granita de melão

(Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • ¼ xícara de suco de limão
  • 1/3 xícara de leite condensado
  • 6 xícaras de melão.

Modo de Preparo

Bata todos os ingredientes no liquidificador e transfira o creme para um refratário. Reserve no freezer por oito horas. Risque a granita com um garfo para formar cristais de gelo. Para servir, decore com folhas de hortelã.

Essa receita foi retirada do site Gourmet a Dois

E então, com tantos benefícios e dicas deliciosas, o que falta para você introduzir o melão na sua dieta?

*Artigo feito com a colaboração da nutricionista clínica, esportiva e funcional do Grupo Pardini, Pollyana G. Oliveira (CRN 11529).

Referências

(1) PEREZ, V. ; CHANG, E.T. Sodium-to-Potassium Ratio and Blood Pressure, Hypertension, and Related Factors. Adv Nutr. 2014 Nov; 5(6): 712–741. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4224208/. Acesso em: 07 de novembro de 2019.

(2) FRATONI, V.; BRANDI, M. L. B Vitamins, Homocysteine and Bone Health. Nutrients, 2015, apr; 7(4): 2176–2192. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4425139/. Acesso em: 07 de novembro de 2019.

(3) CARR, A.C; MAGGINI, S. Vitamin C and Immune Function. Nutrients, 2017, nov 3;9(11). Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29099763. Acesso em: 07 de novembro de 2019.

(4) PADAYATTY, S. J P., LEVINE, M. Vitamin C physiology: the known and the unknown and Goldilocks. Oral Dis, author manuscript; available in PMC, 2017, sep 1. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4959991/. Acesso em: 07 de novembro de 2019.

(5) TACO, Tabela Brasileira de Composição de Alimentos. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. 2011. Disponível em: http://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/2017/03/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf . Acesso em: 07 de novembro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Bruna Souza
Paulista, geminiana e apaixonada pelo universo da leitura e da escrita, decidiu fazer desse mundo sua profissão e atua como redatora freelancer desde 2017.