Maracujá: benefícios da folha, fruta, casca e semente

Fruta tropical de casca e polpa amarelas com sabor levemente ácido e doce, muito apreciado em sucos e sobremesas. O que poucos sabem, na verdade, é que o maracujá é uma rica fonte de benefícios para a saúde. Isso porque ele é composto por vários nutrientes, entre eles a vitamina A, vitaminas do complexo B e minerais como, cálcio, fósforo, e também fibras solúveis (pectina).

Juntos esses nutrientes ajudam a acalmar, prevenir a obesidade, melhorar a qualidade do sono, reduzir a inflamação, melhorar o trânsito intestinal, entre outros diversos benefícios.

Maracujá aberto ao meio

O maracujá tem efeito sonífero, acalmando e evitando crises de ansiedade e estresse (Foto: depositphotos)

Quer saber mais sobre este fruto tipicamente brasileiro? Descubra a seguir.

4 benefícios do maracujá

O maracujá é uma boa fonte de nutrientes, especialmente fibras, vitamina C e vitamina A. Também é rico em compostos vegetais, incluindo carotenoides e polifenóis, ele inclusive, possui mais polifenóis do que a maioria das frutas tropicais, como: banana, lichia, manga e abacaxi. (1)

Essas substâncias químicas são potentes antioxidantes para o organismo, atuando na proteção das células. A longo prazo, o consumo diário deste componente pode ajudar a afastar doenças como Alzheimer, diabetes e diversos tipos de câncer.

O maracujá não possui uma quantidade significativa de ferro, no entanto, armazena uma boa carga de vitamina C. Segundo estudos, esta vitamina aumenta significativamente a absorção do ferro pelo organismo. (2)

1- Evita doenças

Os radicais livres são um grande inimigo da saúde. Quando em grande número eles danificam as células e podem favorecer o surgimento de diversas doenças. Abundantes no maracujá, os antioxidantes, por sua vez, ajudam a eliminar estes radicais, proporcionando um organismo mais saudável e por mais tempo.

Um destes antioxidantes é o betacaroteno, que após ingerido se transforma em vitamina A, auxiliando na manutenção da saúde dos ossos, dos cabelos, da visão, entre outros. Uma dieta rica em betacaroteno pode ajudar a prevenir diversos tipos de câncer, como o de mama, cólon e próstata. (3)

2- Sementes cardioprotetoras

As sementes do maracujá não somente podem ser ingeridas, como trazem uma série de benefícios à saúde. Um dos principais alvos de estudos com relação às sementes é seu poder de promover a vasodilatação, melhorando o fluxo de sangue entre as artérias. O resultado é a diminuição da pressão arterial e, consequentemente, da probabilidade do indivíduo sofrer um AVC.

Outro benefício adquirido através das sementes de maracujá é a melhora da sensibilidade à insulina, graças a presença de piceatannol, diminuindo o risco de diabete 2, que é um dos fatores de risco para doenças cardiovasculares. (4)

3- Potente anti-inflamatório

Não é somente o interior do maracujá que pode ser aproveitado. A casca do maracujá possui potentes propriedades anti-inflamatórias quando ingerida como suplemento alimentar. É possível notar uma melhora significativa dos sintomas de pacientes asmáticos que ingeriram o suplemento durante um mês.

Os mesmos compostos ainda ajudam a reduzir a dor em pacientes com osteoartrite, diminuindo a inflamação e os edemas. (5)

4- Efeito diurético e calmante

As folhas do maracujazeiro também podem ser aproveitadas pelo organismo. Sabe-se que a retenção de líquidos é um problema bastante incômodo, que resulta em aumento de medidas, celulite, entre outros. As folhas, por sua vez, ajudam a eliminar o excesso de líquido retido pelo corpo através da urina, diminuindo o inchaço e o desconforto.

Chá das folhas de maracujá

Elas também são utilizadas como um potente calmante natural, auxiliando no combate à insônia, ansiedade e agitação. Para consumi-la, é necessário fazer o chá das folhas de maracujá através de infusão. Utilize 4 folhas frescas de maracujá para 3 copos de água, ferva durante 10 minutos e sirva em seguida.

Maracujá emagrece?

Nenhum alimento engorda ou emagrece. Tudo depende de como ele é utilizado e em quais circunstâncias. O maracujá, bem como suas folhas, semente e casca pode, sim, ajudar no emagrecimento saudável. Isso porque, além do efeito diurético, garantindo um corpo visivelmente mais seco, ele ajuda a reduzir a ansiedade, o que é benéfico para pessoas que sofrem com a compulsão alimentar.

Para isso pode-se utilizar o maracujá em suas mais diversas formas. A mais comum e fácil de preparar é o suco, porém, se sua intenção é reduzir alguns números na balança, o ideal é evitar o uso de açúcar. Também é possível ingerir o chá a fim de diminuir a ansiedade e a retenção. No entanto, a melhor maneira de consumir o maracujá para a perda de peso é através da farinha da casca, que é riquíssima em fibras e aumenta a sensação de saciedade.

De acordo com a professora de Nutrição da PUC do Paraná, Gisele Pontaroli “não usamos a casca e sim a entrecasca (a parte branca que fica depois que retiramos a polpa e as sementes), que pode ser assada para desidratar e depois triturada para ser usada em preparações. Porém, essa parte do maracujá é um pouco amarga, o que pode ser driblado através do uso de farinhas de maracujá industrializadas, que podem ser encontradas em casas de produtos naturais e em farmácias”, explicou.

Maracujá prende ou solta o intestino?

Muitas pessoas se perguntam se o maracujá prende ou solta o intestino. Como se sabe, o maracujá possui um alto teor de fibras solúveis, que favorecem o trânsito intestinal. Esse composto também ajuda a aumentar o volume das fezes, diminuindo a diarreia. Isso se deve ao fato do maracujá ter aproximadamente 10% de fibras em sua composição.

No entanto, é preciso ter cuidado com a quantidade de fibras ingeridas, visto que o excesso deste componente pode resultar em fezes duras e dores abdominais.

Tabela nutricional

Porção de 100 gramas Quantidade por porção
Valor energético 68 Kcal
Proteína 2,0 g
Colesterol  –
Carboidrato 12,3 g
Fibra 1,1 g
Cálcio 5 mg
Fósforo 51 mg
Ferro 0,6 mg
Sódio 2 mg
Potássio 338 mg
Vitamina C 19,8 mg
Magnésio 28 mg

* Valores diários de referência com base em uma dieta de 2000kcal ou 8400kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas. Dados retirados do TACO, edição revisada e ampliada. (6)

Tudo o que você precisa saber sobre o maracujá

O maracujá tem origem na América do Sul e seu nome, de origem tupi, significa “alimento na cuia”. Isso porque uma das principais características deste fruto é sua casca grossa e resistente, ocupada pela polpa líquida e espessa de aroma marcante.

Trata-se do fruto de uma planta trepadeira do gênero Passiflora, que pode alcançar até 9 metros de comprimento e que se adapta bem a regiões quentes e tropicais. Sua flor ornamental é muito conhecida por suas propriedades calmantes. Atualmente, o Brasil é o maior produtor comercial de maracujá. O mais comum no Brasil é o azedo, de casca amarela e levemente enrugada.

Principais nutrientes

  • Vitamina C. O maracujá está cheio desse poderoso antioxidante. O organismo o utiliza para produzir vasos sanguíneos, cartilagens, músculos e colágeno, que mantém a pele firme e viçosa. Também ajuda a curar o corpo, reduz a inflamação e protege as células contra danos diversos. Ao ingerir a dose de vitamina C diária recomendada, você diminui as chances de gripes, resfriados e doenças oportunistas.
  • Vitamina A. A polpa e as sementes do maracujá têm 8% da dose de vitamina A de que o organismo precisa todos os dias. Esta é a chave para olhos saudáveis, imunidade em dia e cabelos resistentes.
  • Fibra. Maracujá é rico neste composto. A fibra mantém o intestino saudável ​​e em funcionamento regular, além de aumentar e prolongar a sensação de saciedade. “Essa fibra é importante para manter a glicemia em diabéticos estável, ajudar a diminuir as taxas de colesterol e proporcionar também saciedade (por isso, pode ajudar quem quer perder peso)”, salientou Gisele Pontaroli.
  • Nutrientes. O maracujá também fornece ao seu corpo cálcio, magnésio, fósforo, potássio e folato. Isso ajuda seus rins, nervos, músculos e ritmo cardíaco a se manterem saudáveis e em pleno funcionamento.

Como plantar maracujá em casa?

Muitas pessoas não sabem, mas é possível cultivar maracujá em casa através das sementes. A grande vantagem de se fazer isso é que, além de ter o fruto disponível em casa sempre que quiser, você ainda tem a certeza de estar consumindo um alimento completamente orgânico, sem agrotóxicos ou pesticidas que fazem mal a saúde.

Antes de plantar maracujá, é importante lembrar que ele precisa de espaço para se escorar e dar seus frutos. Também por isso, o cultivo é mais indicado para quem possui espaços um pouco maiores para que o maracujazeiro espalhe suas ramas.

Sabendo disso, o primeiro passo para cultivar o fruto em casa é escolher as sementes. É possível encontrá-las em casas especializadas, porém, por serem desidratadas, podem demorar para germinar. Por isso, a melhor opção é retirar as sementes da própria polpa. Lave-as para remover qualquer resquício de polpa e deixe-as secar à sombra por, no mínimo, 24 horas.

Prepare um vaso com terra adubada e faça furos para receber as sementes, com aproximadamente 5 cm de distância entre eles. Para facilitar a germinação, as sementes devem ficar a cerca de 2 cm de profundidade. Para neutralizar a acidez do solo, que é prejudicial para a planta, adicione calcário.

Umedeça o solo sempre que estiver seco até a germinação das sementes. Após atingirem cerca de 20 cm de altura a muda já pode ser transferida para seu local definitivo, devendo ser regado diariamente. Em aproximadamente seis meses você já começará a ver os primeiros frutos.

Como escolher maracujá?

Procure por maracujá que tenha uma pele grossa e livre de amassados ou furos. Observar a coloração da casca também é importante – se ela estiver verde, o fruto ainda não está pronto para ser consumido.

Outra dica para saber se o maracujá está maduro é pressionar levemente sua casca com o polegar. Se ele estiver muito duro ou afundar, não está no ponto. O fruto maduro deve enrugar levemente, sem sofrer deformações. Para escolher frutos cheios de polpa, escolha sempre os mais pesados. Para consumi-lo, basta partir a casca ao meio e retirar sua polpa com uma colher.

Receita com maracujá

Não há limites para o uso do maracujá. Apesar do suco ser a forma mais comum de consumi-lo, é possível preparar pratos variados e completamente distintos com o fruto. Prova disso é que ele pode ser utilizado em sorvetes, mousses, saladas, chás, vitaminas, batidas com ou sem álcool e até como molho para acompanhar carnes e peixes. Quer aprender essa receita? Então confira abaixo:

Molho de maracujá para assados

Molho de maracujá em salmão

O molho de maracujá é indicado para ser servido junto a carnes e pescados grelhados (Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • 3 maracujás
  • 1 xícara (de chá) de água
  • ½ xícara (de chá) de molho inglês
  • 1 xícara (de chá) de açúcar mascavo
  • 1 folha de louro.

Modo de preparo

  • Corte os maracujás ao meio e, com uma colher, transfira a polpa para o copo do liquidificador. Acrescente a água e bata rapidamente apenas para extrair o suco e não quebrar muito as sementes.
  • Peneire o suco e reserve. O rendimento pode variar de acordo com o tamanho dos maracujás. Para a receita são necessárias 2 xícaras (de chá) de suco – se precisar, adicione um pouco mais de água para completar a medida.
  • Numa panela pequena, coloque o suco, o açúcar mascavo e o molho inglês. Misture bem para dissolver todo o açúcar e adicione a folha de louro.
  • Leve ao fogo médio e deixe cozinhar até ferver. Diminua o fogo para baixo e cozinhe por cerca de 30 minutos mexendo de vez em quando com uma espátula, até engrossar. Para verificar o ponto, mergulhe e cubra as costas de uma colher com o molho, passe o dedo indicador e verifique: se formar um caminho e o molho não escorrer está no ponto certo.
  • Transfira para uma tigela e deixe amornar. Cubra com plástico filme e leve para a geladeira por, pelo menos, 20 minutos – ele deve ser servido frio ou em temperatura ambiente e dura até 5 dias na geladeira. Sirva como acompanhamento de assados ou grelhados.

Essa receita foi retirada do site Panelinha

E então, gostou das dicas? Seja colhido no quintal de casa ou trazido diretamente da feira, que tal explorar um pouco mais dos sabores e benefícios do maracujá?

*Artigo feito com a colaboração da nutricionista e professora do Curso de Nutrição da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Gisele Pontaroli Raymundo (CRN-8/432). 

Referências

(1) SEPTEMBRE-MALATERRE, A; et al. Evaluation of nutritional and antioxidant properties of the tropical fruits banana, litchi, mango, papaya, passion fruit and pineapple cultivated in Réunion French Island. Food Chem, 2016 Dec 1;212:225-33. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27374527. Acesso em: 05 de novembro de 2019.

(2) HALLBERG, L; BRUNE,M; ROSSANDER, L. The role of vitamin C in iron absorption. Int J Vitam Nutr Res Suppl., 1989, 30:103-8. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/2507689. Acesso em: 05 de novembro de 2019.

(3) SATO R, et al. Prospective study of carotenoids, tocopherols, and retinoid concentrations and the risk of breast cancer. Cancer Epidemiol Biomarkers Prev., 2002, May;11(5):451-7. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12010859. Acesso em: 05 de novembro de 2019.

(4) KITADA M.; et. al. The Effect of Piceatannol from Passion Fruit (Passiflora edulis) Seeds on Metabolic Health in Humans. Nutrients., 2017, oct 18;9(10). Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29057795/. Acesso em: 05 de novembro de 2019.

(5) GROVER, A.K; SAMSON, S.E. Benefits of antioxidant supplements for knee osteoarthritis: rationale and reality. Nutr J., 2016 Jan 5;15:1. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26728196. Acesso em: 05 de novembro de 2019.

(6) TACO, Tabela Brasileira de Composição de Alimentos. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. 2011. Disponível em: http://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/2017/03/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf. Acesso em: 05 de novembro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Bruna Souza
Paulista, geminiana e apaixonada pelo universo da leitura e da escrita, decidiu fazer desse mundo sua profissão e atua como redatora freelancer desde 2017.