Horta ecológica: dicas para fazer em casa

Pla de Munt e Santa Clara são exemplos de hortas ecológicas que comercializam seus produtos naturais com a comunidade. Mas será que é possível ter uma horta orgânica em casa?

De acordo com a arquiteta e urbanista Cíntia Souza, não é preciso ter um quintal enorme para cultivar hortaliças e outras espécies na própria residência. Na verdade, até um apartamento pode ter uma horta vertical, suspensa ou até mesmo feita em vasos maiores.

O importante mesmo é saber o que plantar, como fazer esse canteiro doméstico e de que forma pode-se deixá-lo produtivo. Para esclarecer todos esses pontos, a agroecologista Alessandra Nahra ensina como plantar os próprios alimentos de maneira econômica e sustentável.

Nesse artigo, você pode conferir dicas da especialista para nortear a sua plantação. Além disso, vai conhecer quais são as melhores opções de hortaliças e como aproveitar o espaço que você tem disponível em casa para transformá-lo em uma horta.

Dicas de como fazer uma horta em casa

Antes de pensar nas espécies que serão cultivadas, é importante definir o espaço da residência que vai abrigar a horta ecológica. Segundo a agroecologista, o local escolhido deve receber bastante luz solar.

Mulher plantando

Hortaliças, verduras, temperos, ervas e até mesmo algumas frutas podem ser cultivadas em casa (Foto: depositphotos)

De uma maneira geral, a recomendação é que as plantas possam receber os raios solares entre 4 e 6 horas por dia. Também precisam de ventilação e um tipo de solo adubado. (1)

Confira a seguir outras dicas de como plantar suas próprias hortaliças!

Mantenha a horta visível

Outra dica de Alessandra Nahra, que também é professora do curso “Hortas Caseiras e Agroecológicas”, é escolher um local que seja visível durante todo o dia. Assim, você estará sempre lembrado (a) de adubar, regar e cuidar do cultivo das plantas.

“Pode ser uma laje da casa, um quintal, uma varanda ou até mesmo o parapeito de uma janela, mas é importante ser um local que você passe todos os dias, para que consiga sempre ver a horta”, diz a professora.

Escolha os recipientes ideais

Como já mencionado, não é necessário ter um quintal com terra para ter uma horta e desfrutar de alimentos mais saudáveis. Isso porque, qualquer tipo de recipiente pode se tornar um canteiro, como caixotes de feira, baldes, caixas de isopor e até mesmo gavetas velhas.

Para a urbanista Cíntia Souza, garrafas pets, latas de leite e pneus também são ótimas opções de caqueiras. “É só deixar a criatividade fluir e deixar a horta com sua personalidade! E o melhor, livrando o planeta de mais resíduos, uma vez que reaproveita itens que iriam para o lixo.”

Encontre as espécies mais adequadas para plantar

Se você quer realmente aproveitar ao máximo a horta caseira, é preciso levar em consideração quais são as espécies de hortaliças que sua família mais gosta. Com isso, evita-se o desperdício da plantação e do tempo depositado no processo de cultivo.

Além disso, é necessário levar em conta a geografia do espaço disponível. “Plantas como hortaliças, temperos e aromáticas exigem pelo menos 5 horas de sol direto por dia. Ou seja, é preciso de um espaço que receba luz mais constante”, explica a agroecologista.

Use matéria orgânica no solo

Outra dica importante para o sucesso da horta é o uso constante de matéria orgânica, como restos de poda, palha e folhas secas. Segundo Alessandra, esses elementos protegem o solo contra a perda de umidade e a ação bactericida do sol. Com isso, a terra fica mais rica em nutrientes, favorecendo o crescimento da plantação.

Uma maneira simples de ter a matéria orgânica sempre disponível é realizando o processo de compostagem. Para isso, é necessário reunir todo o “lixo” da horta (restos de cultura, ervas invasoras e restos de podas) e transformá-lo em húmus.

Esse processo pode ser feito usando um recipiente com vários furos e uma “porta” próxima ao fundo. Dentro desse reservatório, coloque todos os resíduos orgânicos da plantação e até mesmo da sua cozinha, com exceção de itens gordurosos.

Água, ar e calor são os elementos básicos para realizar a compostagem. Mas é necessário ficar atento ao processo, não deixando o conteúdo secar ou encharcar, mantendo-o arejado e sempre retirando o material rico em nutrientes que fica no fundo do recipiente para usá-lo na horta. (2)

A cada 20 dias a terra precisa ser revestida com composto orgânico, húmus de minhoca ou bokashi”, diz a agroecologista Alessandra.

Regue com regularidade

Além da luz solar e do adubo, as plantas também precisam de água. Nesse caso, é importante regar a plantação com uma certa regularidade, respeitando o tempo de cada espécie cultivada.

Por exemplo, a acelga precisa de regas a cada seis dias, já o agrião necessita de regas diárias. Enquanto isso, a cebola precisa ter a terra sempre úmida e o espinafre fica satisfeito em receber água a cada três dias. (2)

De acordo com Cíntia Souza, existem diversos mecanismos que possibilitam o reaproveitamento de água para irrigação. “Um dos mais acessíveis é o armazenamento de água da chuva”. Assim, a horta cresce saudável e sustentável.

Explore o ambiente

Quem mora em apartamento pode achar complicado cultivar uma horta ecológica devido ao pouco espaço. Mas a arquiteta e urbanista garante que com planejamento é possível cultivar os mais diferentes tipos de plantas no apê.

Segundo a profissional, é preciso reaproveitar os espaços verticais. Para isso, você pode usar palets fixados nas paredes, cordas suspensas ou até mesmo prateleiras.

Horta vertical com palet

As hortas verticais são ideais para quem mora em apartamento (Foto: Reprodução | Instagram)

O que se pode plantar em uma horta?

  • Acelga: excelente opção para ser cultivada o ano todo, precisa de regas a cada seis dias, pode ser colhida após 60 dias de cultivo e é rica em vitaminas A e C
  • Agrião: também pode ser plantada em qualquer época do ano, necessita de água diariamente, suas folhas podem ser colhidas 40 dias depois do plantio e é fonte de vitaminas A e C, bem como ferro, enxofre e potássio
  • Espinafre: esse é o vegetal mais rico em ferro, além de ser fonte de vitaminas A, B, E e D. A colheita ocorre após 80 dias, mas ele necessita de água a cada três
  • Coentromuito conhecido pela cozinha brasileira, o coentro é de fácil manutenção. Regas são feitas a cada seis dias, a colheita é realizada 50 dias após a plantação e o ano todo é época para esse cultivo
  • Cebolinha: esse ótimo tempero é ideal para quem sofre com hipertensão, mas sua colheita só é feita após 80 dias da semeadura. Já as regas podem ser feitas a cada seis dias
  • Alface: qualquer época do ano é propícia para o desenvolvimento do alface. Rico em vitaminas E, B e C, essa verdura precisa de regas diárias e pode ser colhida após 45 dias
  • Rúculao ano todo é época para a rúcula que tem vitaminas A e C, além de enxofre, potássio e ferro em sua composição. O cultivo não é trabalhoso, pois a verdura necessita de regas a cada seis dias e a colheita pode ser feita após 40 dias da semeadura
  • Tomate: também pode ser cultivado o ano todo, mas a colheita só é realizada depois de 90 dias. As regas são necessárias a cada três dias e o fruto é fonte de vitaminas A, C e E
  • Morango: após 80 dias do plantio, a colheita de morangos pode ser feita. Rica em vitamina A, cálcio, fósforo, ferro e potássio, essa fruta precisa de regas a cada três dias e os meses mais propícios para o morango são abril e maio
  • Alecrim: 40 dias é o tempo necessário para colher as primeiras folhas do alecrim, erva muito indicada para quem sofre com problemas de digestão. A rega nesse caso pode ser feita a cada seis dias
  • Boldo: outra erva benéfica ao organismo, mas que demora 90 dias para ser colhida. Precisa de água a cada três dias e tem propriedades curativas para problemas no fígado
  • Camomilaabril e maio são os melhores meses para a camomila, mas sua colheita é feita 120 dias após a semeadura. As regas não são necessárias diariamente, mas o solo precisa estar sempre úmido
  • Hortelã: também precisa de um solo úmido para se desenvolver, a colheita pode ser feita após 90 dias e é protagonista de um chá para aliviar cólicas
  • Manjericão: 100 dias após a semeadura é o tempo necessário para a primeira colheita de manjericão, que além de um clássico tempero também serve como calmante leve. A manutenção da terra úmida é o suficiente para o crescimento dessa planta
  • Orégano: conhecido por acompanhar pizzas, o orégano é também um auxiliador da digestão. Para cultivá-lo na horta de casa é preciso manter a terra úmida e esperar 90 dias para fazer a colheita. (2)

Conceito de horta ecológica

A horta ecológica é semelhante à agricultura orgânica, mas em menor escala. Trata-se de “um sistema de produção que não usa fertilizantes sintéticos, agrotóxicos, reguladores de crescimento ou aditivos sintéticos para a alimentação animal.” (3)

Sendo assim, trata-se de uma forma de cultivo que prioriza um sistema sustentável e econômico. Pode ser feito em casa, apartamentos, na escola e até mesmo em zonas urbanas, com uma proposta comunitária.

Como visto, é fácil de fazer e colocá-la em prática. Além disso, é uma maneira de aproveitar melhor os espaços da residência, cultivar os próprios alimentos de forma mais saudável e ainda pode auxiliar na preservação do meio ambiente, reaproveitando matérias que seriam descartados, como garrafas pets.

“Agora é só colocar a mão na massa e se divertir fazendo sua horta. Assim, terá alimentos mais saudáveis, uma casa mais alegre, fresquinha e bonita, pois as plantas em casa só trazem benefícios”, finaliza a arquiteta e urbanista Cíntia Souza.

*Artigo feito com a colaboração da agroecologista e professora do Namu Cursos, Alessandra Nahra e da arquiteta e urbanista Cíntia Souza (CAU/PE-193190).

Referências

(1) Instituto Pólis. “Hortas urbanas – Moradia urbana com tecnologia social“. Disponível em: http://polis.org.br/wp-content/uploads/Hortas-Urbanas-FINAL-bx-site.pdf. Acesso em 27 de maio de 2019.

(2) Manual Clube do Jardim. “Horta orgânica doméstica“. 2008. Disponível em: https://permacoletivo.files.wordpress.com/2008/06/manual-horta-organica-domestica.pdf. Acesso em 27 de maio de 2019.

(3) SANSONOVICZ, Angela Maria Maboni. GRACIOLI, Cibele Rosa. “Educação Ambiental Pela Implantação de uma Horta Orgânica em uma
Escola Rural no Município de Ijui, RS“. Revista Monografias Ambientais, Santa Maria, REMOA/UFSM, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/remoa/article/download/18737/pdf. Acesso em 27 de maio de 2019.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.