Hortelã: benefícios, tipos e receitas

A hortelã é uma erva bastante popular, sendo utilizada de várias maneiras ao redor do mundo. Por exemplo, o chá de hortelã ajuda a aliviar a má digestão, enquanto que o óleo essencial é usado na aromaterapia e serve para tratar enjoos, dor de cabeça e aliviar a congestão nasal.

Até mascar as folhas frescas de um dos vários tipos da erva serve para fins medicinais, sendo uma solução prática e rápida para combater o mau hálito.

Esses são apenas alguns dos inúmeros benefícios dessa planta para a saúde. Quer saber mais? Então continua lendo!

Folhas de hortelã

Além de combater parasitas intestinais, a hortelã descongestiona o nariz entupido (Foto: depositphotos)

Principais benefícios da hortelã para a saúde

Ajuda a combater vermes 

O primeiro benefício da hortelã, segundo o especialista em fitoterapia, Danilo Ramon, é no tratamento dos parasitas intestinais.

A erva foi alvo de uma pesquisa feita pelo Ministério da Saúde que confirmou que o óleo essencial extraído das suas folhas possui a capacidade de acabar com a proliferação de algumas espécies de vermes, ao impedir a fixação dos ovos dos mesmos.

Com isso ela impede que ocorra uma infestação, além de também favorecer a expulsão dos invasores adultos do organismo. (1)

Melhora a respiração e alivia congestão nasal 

O fitoterapeuta explica que a planta consegue melhorar a respiração e desobstruir as vias que ficam entupidas por muco (catarro), que é um sintoma bem comum de diversos problemas respiratórios.

O que acontece é que ela é rica em uma substância chamada mentol, responsável pela sensação refrescante da erva. Quando usada na aromaterapia, serve para relaxar a área do nariz e trazer a sensação de que o ar “entra mais fácil”.

Além de desentupir o nariz, aspirar o mentol, que é broncodilatador, relaxa os pulmões, o que serve para facilitar a expulsão do catarroComo o mentol é absorvido através do vapor, é possível usufruir desse benefício pingando algumas gotas do óleo longe dos olhos ou apenas respirando o aroma. (2)

Ameniza dores de cabeça e musculares

“Seu óleo essencial, formado por compostos como mentol e mentona, favorece o relaxamento do sistema nervoso ao ser detectado pelos sensores olfativos” explicou o especialista. 

Além disso, o profissional destaca que esse composto consegue “ativar alguns pontos que são utilizados na acupuntura para eliminar dores de cabeça, além de aliviar dores na coluna e outras partes do corpo ao massagear”. 

Um artigo científico publicado na revista Natural Product Radiance, descreveu que isso acontece porque o óleo que é extraído das folhas estimula os sensores da pele que percebem o frio, por isso causa aquela “sensação geladinha” e um efeito analgésico tópico.

Ainda por cima a publicação informou que o mentol é um potente vasodilatador e potencializa a ação de outros produtos, motivo pelo qual ele é encontrado com frequência em medicamentos de uso tópico para dor. (3)

Favorece a digestão 

Sabe aquela sensação de estufamento quando não se digere direito a refeição? Pois beber o chá, ou a folha macerada com água, traz um alívio rápido para isso.

O que acontece é que, “com seus antioxidantes e nutrientes, a hortelã ativa a ação de glândulas salivares e possibilita o relaxamento dos músculos do estômago, os quais agem positivamente sobre as enzimas digestivas, favorecendo assim todo o processo de digestão”, explica o especialista.

Diminui as náuseas 

Esse efeito digestivo da hortelã também faz com que ela seja eficaz no tratamento das náuseas e vômitosO chá ou óleo essencial podem ser bebidos antes ou após as refeições e ajudam a retirar o que está causando o enjoo, já que ele é digerido mais rápido. 

Na aromaterapia ele funciona relaxando o sistema nervoso e, consequentemente, o estômago, o que diminui os espasmos musculares que desencadeiam o vômito. E o melhor é que esse método pode ser usado por grávidas, já que não tem efeitos colaterais. (2)

Acalma e diminui a ansiedade 

Sabia que consumir ou aspirar o óleo de hortelã ajudar a relaxar e, de quebra, alivia a ansiedade? Pois é, de acordo com Danilo Ramon a erva é uma solução barata e natural para quem sofre com o estresse e deseja uma solução rápida para o problema.

Isso acontece devido ao efeito do mentol e da mentona em promover o relaxamento do sistema nervoso. Por ter a propriedade sedativa, alivia a ansiedade e o estresse, além de melhorar a qualidade do sono. (4)

Elimina o mau hálito 

“Mascar as folhinhas também é útil contra mau hálito”, explicou Danilo. Isso acontece porque seus compostos aromáticos, principalmente o mentol, são poderosos agentes antibacterianos

Essa propriedade impede a proliferação de vários tipos de bactérias que vivem naturalmente na boca e no estômago. Desse modo, mascar as folhas frescas impede que esses microrganismos se multipliquem de modo exagerado, o que contribui para o mau cheiro bucal. (5)

Quais são os tipos mais comuns de hortelã?

“Há vários tipos de hortelã, porém os benefícios são semelhantes em todas as variedades” informou Danilo, destacando que mesmo possuindo várias propriedades semelhantes, alguns tipos de hortelã são mais adequados para determinados tratamentos.

Um dos tipos mais comuns e usados no mundo é a hortelã-pimenta (Mentha piperita). Essa variação da hortelã é reconhecida principalmente pelo sabor característico e forte e uso como aromatizante. “O hortelã-pimenta é considerado o mais eficaz no tratamento dos problemas digestivos e alívio das dores, pois apresenta maiores concentrações de mentol”, pontuou Danilo.

Suas folhas são pequenas, verde-escuras, com formato oval e possui um forte aroma característico da variedade. (6) Em alguns locais, também é conhecida por hortelã-da-folha-miúda.

Outro tipo muito encontrado no Brasil é a hortelã-verde (Mentha viridis), que tem as folhas maiores e enrugadas. (6) “As folhas são muito usadas na culinária, mas é bastante poderoso para combater vermes intestinais, também é ótimo calmante e digestivo”, disse o especialista.

Ainda existe a hortelã-silvestre (Mentha longifolia), que é considerada uma erva daninha mas apresenta várias propriedades medicinais e é bastante usada em algumas regiões do Brasil. Essa variedade possui folhas maiores do que as outras espécies, cerca de 10 centímetros, e flores roxas que se abrem no verão. (6) Ela também é rica em mentol por isso pode ser usada como calmante leve, digestivo e analgésico natural. (7)

Receitas de remédios caseiros com hortelã

Chá de hortelã 

Para fazer o chá você precisa apenas adicionar 2 colheres (de sopa) das folhas frescas em uma xícara de água fervente e deixar descansando por 10 minutos. Depois disso basta coar e beber. 

DICA: Caso use as folhas secas deixe o chá ferver por alguns minutos para conseguir retirar todas as propriedades medicinais da erva. 

Água de hortelã com alho

“Para eliminar vermes pode-se amassar umas 3 folhinhas e 1 dente de alho para cada copo de água, ou use a hortelã pura no preparo de sucos”, recomendou o fitoterapeuta, indicando que o suco deve ser feito com o sumo de uma folha de hortelã para cada copo de água.

Óleo de hortelã para massagem 

O óleo essencial de hortelã é encontrado com facilidade em farmácias ou lojas de produtos naturais e pode ser usado em gotas para descongestionar o nariz, massagear áreas doloridas e ainda aliviar a irritação causada por picadas de insetos.

DICA: Danilo salienta que esse óleo não deve ser usado próximo aos olhos pois causa ardência, devido a presença do mentol e da mentona.

Contraindicação 

O consumo da hortelã não tem contraindicação, mas é necessário ter bom senso quanto a dosagem utilizada e sempre consultar um especialista para orientar e supervisionar o tratamento.

Já o óleo essencial deve ser usado com cuidado, pois pode causar alergia em pessoas sensíveis. Também nunca deve ser aplicado diretamente no nariz de crianças, uma vez que pode causar espasmos e parada respiratória. (2)

*Texto feito com a colaboração do naturopata especialista em acupuntura, fitoterapia e iridologia, Danilo Ramon (CRTH – 1224 – BR).

Referências

(1) Ministério da Saúde; Anvisa. Monografia da espécie Mentha x piperita L. (hortelã-pimenta). [2015]. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/setembro/11/Monografia-Mentha-piperita.pdf. Acesso em: 27 de setembro de 2019.

(2) GARDINER, Paula. Peppermint (Mentha piperita). The Center for Holistic Pediatric Education and Research. [2000]. Disponível em: http://www.jonnsaromatherapy.com/pdf/PeppermintOil_LongwoodHerbalTaskForce_2000.pdf. Acesso em: 27 de setembro de 2019.

(3) SHAH, Punit P.; D’MELLO, P.M. A review of medicinal uses and pharmacological effects of Mentha piperita. Natural Products Radiance, v.3, n.4, p.214-221, [2014]. Disponível em: http://nopr.niscair.res.in/handle/123456789/9437. Acesso em: 27 de setembro de 2019.

(4) CARO, Daneiva C. et al. Pharmacological Evaluation of Mentha spicata L. and Plantago major L., Medicinal Plants Used to Treat Anxiety and Insomnia in Colombian Caribbean Coast. Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, [2018]. Disponível em: https://doi.org/10.1155/2018/5921514. Acesso em: 27 de setembro de 2019.

(5) MCKAY, Diane L.; BLUMBERG, Jeffrey B. A Review of the Bioactivity and Potential Health Benefits of Peppermint Tea (Mentha piperita L.). Phytotherapy Research, v.20, p.619-633, [2006]. Disponível em: https://doi.org/10.1002/ptr.1936. Acesso em: 27 de setembro de 2019.

(6) LAWRENCE, Brian M. Mint: The genus Mentha. Taylor & Francis Group, Estados Unidos: 2007, 547 p. Acesso em: 27 de setembro de 2019.

(7) FARZAEI, Mohammad Hosein et al. Pharmacological activity of Mentha longifolia and its phytoconstituents. Journal of Traditional Chinese Medicine, v.37, v.5, p.710-720, outubro de 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1016/S0254-6272(17)30327-8. Acesso em: 27 de setembro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (Mtb-PE: 6770) com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio. Atualmente atua na área de redação para web, nas áreas de educação, beleza e saúde alternativa. Além da formação no curso superior, possui experiência em produção de vídeo, diagramação de livros e revistas e marketing.