Agrião: 12 benefícios e formas de consumir

O agrião é uma hortaliça utilizada nas mais variadas receitas do dia a dia e pode ser facilmente encontrada na maioria dos países do mundo. Por suas características nutricionais, ela pode trazer uma série de benefícios para a saúde, principalmente para a pele e o sistema imunológico, podendo até prevenir o câncer!

Não é a toa que esse vegetal ocupa o primeiro lugar na lista dos Powehouse Fruits and Vegetables, que elenca as frutas e os vegetais que apresentam maior densidade de nutrientes e, consequentemente, maior número de benefícios. (1)

Ramos de agrião

O agrião é um excelente aliado para o fortalecimento do sistema imunológico (Foto: depositphotos)

De acordo com a nutricionista Paula Morcelli, o agrião “é um vegetal rico em iodo, ferro, enxofre, fósforo, vitamina A, C, E e do complexo B e possui baixíssimas calorias”. Essa composição faz dele uma excelente opção para incluir na dieta, visando a saúde do corpo e o bem-estar de um modo geral.

Os benefícios do agrião para a dieta

Ainda segundo a nutricionista, “a vitamina C presente no agrião auxilia na eliminação de radicais livres, prevenindo o câncer, o envelhecimento precoce e melhorando a imunidade. Já as vitaminas do complexo B auxiliam no adequado funcionamento do sistema digestório e na coordenação motora”. 

Confira então alguns dos principais benefícios que o agrião pode trazer para a sua saúde:

1. Fortalecimento do sistema imunológico

Graças a presença da vitamina C, B9 e do ácido fólico, o agrião consegue fortalecer o sistema imunológico, por meio do estímulo da produção de glóbulos brancos e do combate dos antioxidantes presentes no organismo.

2.  Prevenção de doenças cardíacas e redução da pressão arterial

Esse vegetal é rico em vitamina C, K e potássio. A vitamina C atua como poderoso antioxidante, protegendo as células. A vitamina K, conhecida como “anti-hemorrágica”, contribui justamente para a coagulação do sangue e para o processo de cicatrização.

Por fim, o potássio age no organismo reduzindo a pressão arterial e, consequentemente, diminuindo também os riscos de acontecer um AVC, por exemplo. Além disso, o agrião também auxilia na redução e controle do colesterol LDL.

3. Prevenção da anemia

O ácido fólico, também conhecido como vitamina B9, é muito conhecido por auxiliar na prevenção e no combate de alguns tipos de anemias. Isso porque esse ácido desempenha um papel fundamental no acúmulo de proteínas pelo organismo. Sua deficiência está associada a distúrbios sanguíneos. Por ter esse nutriente em abundância, comer o agrião evita esses problemas. 

4.  Auxílio na gravidez

O ácido fólico também é essencial para a gravidez, pois está diretamente relacionada ao desenvolvimento saudável do bebê, evitando casos de anencefalia e outras complicações.

5.  Controle hormonal e da tireoide

O agrião é rico em nutrientes que atuam diretamente no controle dos hormônios da tireoide. Esse benefício está diretamente ligado a presença de iodo, substância que possibilita que a tireoide produza os hormônios necessários.  

6.   Fortalecimento dos ossos e músculos

A hortaliça possui a vitamina K. Nas quantidades certas, esse nutriente contribui para a absorção do cálcio pelo organismo, fortalecendo os ossos e os músculos. 

7.  Auxílio para o emagrecimento

Baixas calorias e alto valor nutritivo são os principais motivos para que o agrião seja conhecido como aliado do emagrecimento. Ele ajuda a promover a saciedade, sendo possível comer menos e ter todos os nutrientes necessários para o pleno funcionamento do corpo.

Além disso, ele também possui propriedades diuréticas e adstringentes, evitando a retenção de líquidos e auxiliando na eliminação de toxinas.

8. Controle das taxas de açúcar no sangue

Esse ponto é benéfico tanto para auxiliar no emagrecimento quanto para a prevenção da diabetes. Afinal, consumir o agrião contribui para o controle dos níveis de açúcar no sangue e, consequentemente, da glicose.

9.  Melhoria do sistema respiratório

O agrião é conhecido por aliviar os sintomas de diversas doenças respiratórias, como a asma, a bronquite, a sinusite e a rinite, graças à presença de anti-inflamatórios e antioxidantes na sua estrutura.

10.  Benefícios para a visão

Entre os antioxidantes presentes no agrião, estão a luteína e a zeaxantina, da família dos carotenoides, compostos muito conhecidos por seus benefícios para a saúde ocular em geral. Seja evitando o desenvolvimento de cataratas, combatendo a degeneração ocular ou protegendo contra a ação da luz azul – espectro presente, sobretudo, nas lâmpadas LED e que causa danos ao olho humano. (2)

11.   Combate ao câncer

O aumento da ingestão desse tipo de vegetal está diretamente ligado à diminuição do risco de câncer, principalmente devido à presença dos antioxidantes e do glucosinolato, substância responsável pelo sabor picante do agrião. (2)

12.   Contribui para o combate à depressão

O nível de ácido fólico no organismo está relacionado com cerca de 40% dos casos de desenvolvimento da depressão, isso porque essa substância atua na produção da serotonina, que é a encarregada da regulação do humor. (3) O agrião equilibra o ânimo, evitando picos de tristeza, que são muito presentes nos diagnósticos da depressão.

Tabela nutricional do agrião

Porção de 100 gramas Quantidade por porção
Valor energético 17 Kcal
Proteína 2,7 g
Colesterol  –
Carboidrato 2,3 g
Fibra 2,1 g
Cálcio 113 mg
Fósforo 51 mg
Ferro 3,1 mg
Sódio 7 mg
Potássio 218 mg
Vitamina C 60,1 mg
Magnésio 18 mg

* Valores diários de referência com base em uma dieta de 2000kcal ou 8400kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas. Dados retirados do TACO, edição revisada e ampliada. (4)

Como incluir o consumo do agrião na rotina alimentar?

Existem diversas formas de incluir esse vegetal no seu dia a dia, tudo depende das suas preferências alimentares e dos hábitos que já possui.

In natura

Segundo Paula Morcelli, o consumo dessa hortaliça na versão crua é o mais recomendado. Uma vez que, nesse formato, suas propriedades são melhor aproveitadas. Para isso, a melhor opção é ingerir junto a saladas.

Receitas diversas

Outra possibilidade muito comum é acrescentar algumas folhas de agrião nos sucos de fruta ou bebidas detox. Também pode ser usado para temperar sopas ou refogado com alho e cebola. As folhas desse vegetal podem ser utilizadas como substitutas do alface ou como parte integrante de alguma receita, como do pesto, por exemplo.

Xarope

Se misturado com mel, se torna um excelente aliado no combate de problemas pulmonares e respiratórios, como a tuberculose, bronquite e tosses em geral.

Quanto consumir?

Se possível, procure consumir até uma xícara de agrião por dia. No entanto, vale a pena buscar por um profissional de nutrição para seguir uma dieta balanceada.

Características e sabor

O agrião é um tipo de vegetal originário da Ásia e Europa. Seu nome científico é Nasturtium odddicinali e é conhecido por seu sabor apimentado e ardido. Devido ao status de alimento amargo, acabou não sendo muito aceito pela população. 

Para contornar esse problema a nutricionista Paula explica que “o que pode ser feito para suavizar esse sabor é combinar esse alimento com outros mais suaves e diferenciados”. 

*Artigo feito com a colaboração da nutricionista e docente do curso de nutrição do Centro Universitário FMU, Paula Morcelli Castro (CRN3 10027).

Referências

(1) DI, N. The Top 30 Powerhouse Fruits and Vegetables in Nutrient Density, ScienceBeta, 2014. Disponível em: https://sciencebeta.com/top-30-powerhouse-fruits-vegetables/. Acesso em: 30 de outubro de 2019.

(2) SOUZA, D.A et. al. O consumo diário de agrião causa inibição do crescimento do tumor experimental de Ehrlich. Patologia, v.52, n.6, 2016. Disponível em: http://www.jbpml.org.br/detalhes/284/o-consumo-diario-de-agriao-causa-inibicao-do-crescimento-do-tumor-experimental-de-ehrlich. Acesso em: 30 de outubro de 2019.

(3) ABDEL-AAL EL-SM; AKHTAR, H; ZAHEER, K; ALI, R. Dietary sources of lutein and zeaxanthin carotenoids and their role in eye health. Nutrients, 2013, apr 9;5(4), 1169-85. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23571649. Acesso em: 30 de outubro de 2019.

(4) TACO, Tabela Brasileira de Composição de Alimentos. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. 2011. Disponível em: http://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/2017/03/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf . Acesso em: 30 de outubro de 2019.

 

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.