Alimentos bons para o fígado

É importante comer alimentos bons para o fígado, pois entre as diversas funções desse órgão está a de desintoxicar o organismo. Ao longo do dia, acabamos consumindo muitas toxinas, mas através da alimentação podemos reforçar as atividades desempenhadas pelo fígado.

Frutas cítricas, maçã e abacate, além de vegetais como cenoura, beterraba e até mesmo o chá verde, possuem componentes que ajudam o órgão à metabolizar as toxinas e ainda evitam os danos causados por elas no corpo.

Ficou curioso (a) para saber como isso funciona? Continue lendo esse artigo, pois o Remédio Caseiro separou uma lista com os 10 melhores alimentos para o fígado, como eles agem no organismo e ainda alguns hábitos que ajudam a prevenir doenças. Confira!

Alimentos para o fígado

Maçã, tomate, repolho e azeite de oliva são alguns dos alimentos que fazem bem para o fígado. Mas não são só esses! Tudo o que nós comemos e bebemos influencia diretamente na nossa saúde, e com o fígado, órgão responsável por fazer a faxina no organismo, não é diferente.

Por esse motivo, é importante manter uma alimentação rica em substâncias antioxidantes e que agem como um detox natural, melhorando o funcionamento do órgão. Confira a seguir os 10 melhores alimentos para manter a saúde do fígado!

Maçã

A maçã faz bem para o fígado devido a dois fatores. O primeiro é a grande quantidade de fibras solúveis, que agem diretamente sobre a redução da gordura acumulada no fígado.

Maçãs

Fibras e antioxidantes fazem da maçã uma aliada do bom funcionamento do fígado (Foto: depositphotos)

Isso acontece porque essas substâncias agem em conjunto com os ácidos biliares, diminuindo a absorção de gordura pelo órgão e favorecendo a eliminação dela através das fezes.

Outro motivo pelo qual a maçã é uma aliada do fígado se deve à presença de substâncias antioxidantes. Em especial os compostos fenólicos, que protegem o órgão contra os danos causados pelos radicais livres.

Essas são substâncias produzidas durante a oxidação das células, mas que causam diversos problemas para o fígado e podem acarretar no desenvolvimento de diversas doenças degenerativas. (1, 2)

Tomate

O tomate auxilia na produção e metabolização da glutationa, molécula considerada “a mãe” de todos os antioxidantes e que possui ação desintoxicante sobre o fígado.

Isso faz com que o consumo de tomate, preferencialmente cru, contribua para o aumento da glutationa. Além de estimular o crescimento de outros tipos de antioxidantes poderosos no organismo, como o licopeno e carotenoides.

Tomates na tigela

Comer tomate cru é uma maneira natural de cuidar da saúde do fígado (Foto: depositphotos)

Desse modo, o fruto ajuda a proteger o órgão contra os danos causados pelas toxinas ingeridas ao longo do dia, pelos radicais livres e por outros elementos externos.

Esses benefícios foram comprovados em um estudo publicado em 2011. Inclusive, nessa pesquisa foi evidenciado o efeito positivo do fruto contra os danos causados pela ação do carbono tetra-clorídrico, uma substância que simula os efeitos nocivos do vírus causador da hepatite. (3, 4)

Espinafre

Outro excelente alimento para quem busca ingerir a glutationa naturalmente é o espinafre. A hortaliça possui grandes quantidades do antioxidante, por isso é parte essencial do processo de limpeza do fígado.

Ainda por cima, ele é rico em vitaminas como K, A, C e E, com as três últimas agindo como antioxidantes no organismo. Dessa maneira, o espinafre deve estar na dieta de qualquer pessoa que deseja cuidar melhor do fígado.

Espinafre na tigela

Espinafre é rico em vitaminas como K, A, C e E (Foto: depositphotos)

Mas atenção, a hortaliça apresenta grandes quantidades de oxalato, substância que dificulta a absorção de diversos minerais e que pode até mesmo causar pedras nos rins. Portanto, não se deve consumir as folhas cruas em excesso. (5)

Frutas cítricas

As frutas cítricas como laranja e limão também apresentam muitas vantagens no cuidado com o fígado. Isso porque, elas possuem a capacidade de aumentar a produção de um sérum protetor, que reveste o órgão e evita danos.

Ao mesmo tempo, os compostos fitoquímicos dessas frutas diminuem os níveis de bilirrubina, uma substância que é excretada pela urina e que em grandes quantidades indica problemas no fígado.

Laranja e limão cortados

Limão e laranja são algumas das frutas cítricas que auxiliam o fígado (Foto: depositphotos)

Por fim, os óleos essenciais encontrados nas cascas das frutas cítricas possuem ainda a capacidade de diminuir a absorção do colesterol. A longo prazo, isso evita o acúmulo de gordura nos tecidos. (6)

Cenoura

As cenouras são ricas nos chamados compostos carotenoides, em especial o betacaroteno e o retinol, componentes da vitamina A que atuam como poderosos antioxidantes no organismo.

Cenoura na mesa

A presença de vitamina A na cenoura confere à essa verdura propriedades antioxidantes (Foto: depositphotos)

Isso foi descoberto em testes feitos utilizando carbono tetra-clorídrico, onde se descobriu que os compostos fitoquímicos da cenoura foram capazes de prevenir a maior parte dos danos causados por fatores externos, como vírus e álcool. (7)

Beterraba

A beterraba, além de possuir altos níveis de carotenoides, também é rica em uma substância chamada betalaína, que dá o tom vermelho da raiz. Outras substâncias benéficas presentes nessa raiz são os compostos fenólicos.

Todos esses importantes antioxidantes protegem o fígado contra os danos causados pela ingestão de alguns tipos medicamentos e álcool, por exemplo.

Beterrabas

A beterraba é antioxidante e por isso age protegendo o fígado (Foto: depositphotos)

Ao mesmo tempo, a raiz também aumenta os níveis de glutationa, enquanto diminui os níveis de outros elementos perigosos para o bom funcionamento do órgão. Um exemplo disso é o caso da xantina oxidase, que produz ácido úrico e, em excesso, pode causar danos sérios no fígado e nos rins. (7, 8)

Repolho

O repolho, especialmente o branco, é rico em substâncias chamadas isotiocianatos. Esses são poderosos compostos antioxidantes produzidos a partir dos glucosinolatos, que estão presentes em grandes quantidades no vegetal e são os responsáveis pelo sabor meio picante do mesmo.

No organismo, os isotiocianatos possuem a capacidade de estimular a produção da bile. Desse modo, ajuda a evitar um problema chamado colestase, que é quando o corpo não produz bile o suficiente e o fígado não consegue metabolizar a gordura.

Cortando repolho

O repolho, principalmente o branco, ajuda a estimular a produção da bile (Foto: depositphotos)

Para completar a lista de benefícios do vegetal, podemos citar os compostos fitoquímicos do repolho. Esses elementos também inibem a produção de enzimas causadoras de lesões e possuem ação anti-necrose sobre as células hepáticas. (9)

Azeite de oliva

Optar pelo azeite de oliva na preparação dos alimentos também é um hábito que faz bem para o fígado. Isso acontece, principalmente, devido à grande quantidade de antioxidantes encontrados no produto.

Ainda por cima, o azeite de oliva é rico em gorduras boas, é anti-inflamatório, libera substâncias que protegem o órgão e tem função anti-esteatótica. Ou seja, ajuda a prevenir o acúmulo de gordura no fígado.

Desse modo, o órgão em questão consegue metabolizar apenas o que é necessário para a manutenção do organismo. (10)

Azeite de oliva

Além de antioxidante, o azeite de oliva é também um poderoso anti-inflamatório (Foto: depositphotos)

Chá verde

O chá verde é usado há milhares de anos e conhecido em todo mundo devido aos seus efeitos medicinais. A boa notícia para os amantes de uma xícara de chá, é que esse tipo também é extremamente benéfico para o fígado.

Isso acontece devido a presença de catequinas, que são compostos fenólicos e poderosos antioxidantes. Quando ingeridas, elas têm o poder de inibir os danos causados pelo vírus causador da hepatite C.

Além de parar o processo de necrose, que é a morte das células, e prevenir a fibrose hepática durante a recuperação da doença. (11)

Chá verde na xícara

As catequinas são as substâncias responsáveis pelos benefícios do chá verde para o fígado (Foto: depositphotos)

Abacate

O último alimento da lista é o abacate. O fruto é rico em compostos fitoquímicos antioxidantes conhecidos como fenólicos e flavonoides, que ajudam a prevenir os danos causados pela ingestão de substâncias tóxicas para o fígado, e a reduzir os riscos de desenvolver alguma doença.

Além disso, o abacate estimula o funcionamento do fígado, fazendo com que as funções hepáticas sejam executadas em sua totalidade. Garantindo assim a saúde de todo o corpo. (12)

Abacates cortados

O abacate possui antioxidantes capazes de proteger o fígado contra doenças (Foto: depositphotos)

Hábitos que ajudam a prevenir doenças

Você viu neste artigo 10 alimentos bons para o fígado, que quando consumidos regularmente podem ajudar a prevenir diversos tipos de doenças que costumam afetar o órgão.

No entanto, não adianta apenas passar a consumir todos os alimentos citados e não promover uma mudança total nos hábitos de vida. Veja a seguir as recomendações do Ministério da Saúde de hábitos que ajudam a deixar o fígado mais saudável:

  • Evite o consumo de álcool, pois ele causa danos às células e sobrecarrega o fígado, que precisa trabalhar mais para se livrar das toxinas
  • Evite a automedicação, já que alguns medicamentos são hepatotóxicos. Ou seja, causam sérios danos ao fígado
  • Mantenha uma dieta saudável, rica em alimentos naturais
  • Mantenha o peso, pois o excesso de gordura corporal faz pressão sobre o órgão
  • Pratique exercícios físicos com frequência
  • Evite ingerir muitos carboidratos e aumente o consumo de fibras. (13,14)

Afinal, quais são as funções do fígado?

O fígado possui diversas funções, dentre as quais estão: metabolizar e armazenar diversos nutrientes ingeridos através dos alimentos, formar a bile, que é um líquido que age como um detergente, quebrar as partículas de gordura e, ainda trabalhar na coagulação sanguínea.

Além disso, o órgão também é considerado uma glândula exócrina e endócrina. Ou seja, libera secreções e outras substâncias no sangue e no sistema linfático.

Para completar a sua importância para o organismo, ele é repleto de macrófagos fagocitários. Esses são um tipo de célula de defesa do organismo que possui a capacidade de rastrear e engolir microrganismos danosos para a saúde. Portanto, também exerce um importante papel no sistema imune.

Tudo isso faz dele um dos maiores órgãos do corpo humano e o maior da cavidade abdominal, além de ser considerado a maior glândula do corpo humano. O fígado saudável de uma pessoa adulta representa 2% do peso total dela, costumando pesar cerca de 1,5 kg. (13,14,15)

Referências

(1) CURTI, Fabiana. “Efeito da maçã gala (malus domestica Bork) na lipidemia de ratos hipercolesterolêmicos”. 2003. Disponível em: www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11141/tde-18052004-165636/…/fabiana.pdf. Acesso em 28 de maio de 2019.

(2) YANG, Jingyu et al. “Hepatoprotective Effects of Apple Polyphenols on CCl4-Induced Acute Liver Damage in Mice”. Journal of Agriculture, Food and Chemistry, v.58, p.6525-6531, 2010. Disponível em: https://pubs.acs.org/doi/abs/10.1021/jf903070a. Acesso em 28 de maio de 2019.

(3) WEREMFO, A. et al. “Preliminary Study on Hepatoprotective Activity of Tomato (Solanum lycopersicum L.) Pulp Against Hepatic Damage in Rats”. Advances in Biological Research, v.5, n.5, p.248-250, 2011. Disponível em: https://www.semanticscholar.org/paper/Preliminary-Study-on-Hepatoprotective-Activity-of-Weremfo-Abassah-Oppong/2a5835597122343f694df9865f1d4b8479477008. Acesso em 28 de maio de 2019.

(4) PINTO. Carmen et al. “Hepatoprotective effects of lycopene against carbon tetrachloride-induced acute liver injury in rats”. Journal of Functional Foods, v.5, p.1601-1610, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.jff.2013.07.002. Acesso em 28 de maio de 2019.

(5) METHA, Deven; BELEMKAR, Sateesh. “Pharmacological activity of spinacia oleracea linn.- A complete overview”. Asian Journal of Pharmaceutical Research and Development, v.2, n.1, p.83-93, 2014. Disponível em: https://ajprd.com/index.php/journal/article/view/229. Acesso em 28 de maio de 2019.

(6) TOMAR Amita; MALL, Mridula; RAI Pragya. “Pharmacological Importance of Citrus Fruits”. Int J Pharm Sci Res. v.4, n.1, p.156-160, 2013. Disponível em: http://dx.doi.org/10.13040/IJPSR.0975-8232.4(1).156-60. Acesso em 28 de maio de 2019.

(7) DIAS, João Carlos da Silva. “Nutritional and Health Benefits of Carrots and Their Seed Extracts”. Food and Nutrition Sciences, v.5, p.2147-2156, 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.4236/fns.2014.522227. Acesso em 28 de maio de 2019.

(8) VULICA, Jelena J. et al. “In vivo and in vitro antioxidant effects of beetroot pomace extracts”. Journal of Functional Foods, 2013. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.jff.2013.10.003. Acesso em 28 de maio de 2019.

(9) MORALES-LÓPEZ, Javier et al. “Evaluation of antioxidant and hepatoprotective effects of white cabbage essential oil”. Pharmaceutical Biology, v.55, n.1m, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1080/13880209.2016.1258424. Acesso em 28 de maio de 2019.

(10) AL-SEENI, Madeha N. et al. “The hepatoprotective activity of olive oil and Nigella sativa oil against CCl4 induced hepatotoxicity in male rats”. BMC Complementary and Alternative Medicine, v.16, .438, [2016]. Disponível em: https://doi.org/10.1186/s12906-016-1422-4. Acesso em 28 de maio de 2019.

(11) SUZUKI, Yasuo et al. “Health-promoting effects of green tea”. Proceedings of the Japan Academy, v.88, n.3 p.88-101, 2012. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22450537. Acesso em 28 de maio de 2019.

(12) MAHMOED, Mohamed Y; REZQ, Amr A. “Hepatoprotective Effect of Avocado Fruits Against Carbon Tetrachloride-Induced Liver Damage in Male Rats”. World Applied Sciences Journal, v.21, n.10, p.1445-1452, 2013. Disponível em: 10.5829/idosi.wasj.2013.21.10.72160. Acesso em 28 de maio de 2019.

(13) MINISTÉRIO DA SAÚDE. “Fígado”. Disponível em: http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/doacao-de-orgaos/figado. Acesso em 28 de maio de 2019.

(14) MINISTÉRIO DA SAÚDE. “Esteatose hepática (gordura no fígado): causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção”. Disponível em: http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/esteatose-hepatica. Acesso em 28 de maio de 2019.

(15) STANDRING, Susan. “Anatomia: a base anatômica da prática clínica”. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010, 40º edição.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (Mtb-PE: 6770) com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio. Atualmente atua na área de redação para web, nas áreas de educação, beleza e saúde alternativa. Além da formação no curso superior, possui experiência em produção de vídeo, diagramação de livros e revistas e marketing.