Trate a sinusite com a buchinha do norte (Luffa operculata)

Nativa do Brasil, a buchinha do norte também é chamada de cabacinha e serve para problemas respiratórios, como rinites e sinusite. Seus frutos são a parte utilizada e são comumente usados como expectorante, para dores de cabeça, bronquites e outros problemas respiratórios.

Outros nomes comuns da buchinha do norte: caabacinha, buchinha, bucha-dos-paulistas, puga-de-joão-pais, abobrinha-do-mato, abobrinha-do-norte, purga-de-bucha, bucha-dos-caçador, purga-de-bicho, endoço, purga-de-falope, capa-de-bode,buchinha-do-nordeste, entre outros.

Os frutos da planta devem ser utilizados de forma externa, apenas em inalações. Isso porque não há estudos sobre as propriedades medicinais da buchinha, caso ela seja ingerida.

Além disso, assim como outros remédios naturais ou não, essa erva possui contraindicações e efeitos colaterais. Então, descubra agora mesmo tudo sobre essa planta e saiba como aproveitar os benefícios dela.

Buchinha do norte para sinusite

De acordo com o otorrinolaringologista, Pedro Serafim, existem propriedades farmacológicas no extrato de buchinha do norte que podem ajudar no tratamento de rinossinusites.

Buchinha do norte

A buchinha do norte também é conhecida por caabacinha, buchinha e bucha-dos-paulistas (Foto: depositphotos)

“[…] fatores adicionais como a presença de cucurbitacinas, saponinas e outros glicosídeos, podem funcionar como substâncias emolientes e detergentes, facilitando a remoção do exsudato inflamatório retido nos seios paranasais.” (1)

Isso significa dizer que a Luffa operculata, nome científico da planta, pode ajudar a eliminar o conteúdo inflamatório que causa a sinusite.

No entanto, ainda segundo o médico, no Brasil apenas um produto à base de buchinha do Norte é comercializado. “Em contrapartida, nos EUA e na Europa, principalmente na Alemanha, há vários medicamentos alopáticos e homeopáticos para rinossinusites à base de Luffa operculata disponíveis comercialmente.”

Apesar disso, as pessoas passaram a usar a planta como um fitoterápico. Por isso, ela pode ser encontrada em diversos estabelecimentos. Por exemplo, mercados públicos, farmácias de manipulação, vendedores de ervas etc.

Receita de como usar essa planta

“Sua ação na rinossinusite, com base em informes populares, ocorre por meio de inalação da infusão de 1/4 do fruto seco em água fervente“, explica o otorrinolaringologista. Após o preparo, o paciente deve aguardar até que o conteúdo esteja frio. Em seguida, o remédio preparado deve ser aplicado nas fossas nasais, por meio de conta-gotas.

Segundo o médico, esse procedimento tem o “objetivo de eliminar secreção nasal”. Portanto, é um tratamento alternativo muito popular na sociedade, pelo custo e praticidade.

Veja tambémPara comprar: Saiba onde é possível encontrar a planta buchinha

É possível usar a buchinha do norte para emagrecer?

Segundo o médico Pedro Serafim, existem relatos que induzem uma propriedade diurética para a buchudinha do norte. Com isso, é possível dizer que ela facilita a perda de líquidos do corpo. Consequentemente, causa o desinchaço e, eventualmente, o sentimento de perda de peso.

Contudo, não há estudos que consigam comprovar a eficácia dessa planta no processo de emagrecimento.

Outros benefícios dessa erva

De acordo com o otorrinolaringologista, há relatos da atuação da Luffa operculata  em outros problemas de saúde como:

  • Rinite alérgica
  • Laringite crônica
  • Febre
  • Sífilis
  • Moléstia herpética
  • Ascites
  • Oftalmias crônicas
  • Inibição de tumores
  • Mucolítico
  • Vermífugo

Buchinha do norte onde comprar?

Como citado anteriormente, é possível encontrar a buchinha do norte em diversos lugares. Como trata-se de uma planta brasileira, fica mais fácil de comprar esse produto natural.

Além de farmácias de manipulação, mercados públicos e vendedores de ervas, é possível encontrar buchinha também em lojas online. Mas claro, antes de comprar, certifique-se da qualidade dessa planta.

Buchinha do norte seca

Além da sinusite, essa planta pode tratar bronquite, rinite e laringite (Foto: depositphotos)

“No Estado do Maranhão, por exemplo, é comercializada uma solução de extrato hidroalcóolico de Luffa operculata para tratamento de rinossinusites, desenvolvida no Herbáreo Ático Seabra do Núcleo de Fitoterapia da Universidade Federal do Maranhão, sob coordenação da pesquisadora Teresinha Rego, que tem uma vasta experiência com o manuseio de fitoterápicos e reconhecimento internacional sobre o assunto”, comenta o médico.

“Tive problemas para isolar o princípio ativo da cabacinha, pois a planta possui um alcaloide corrosivo, que causa sangramento na narina”, explica a farmacêutica Teresinha. (2) No entanto, após alguns estudos desenvolvidos em São Paulo, a pesquisadora descobriu que a substância encontrava-se na semente.

“Eu fui a primeira pessoa que usou o fitoterápico, usei um vidro de 50 ml e nunca mais tive problemas como a sinusite. Tenho um carinho especial pela essência porque ela me curou”, relata.

Atualmente, o medicamento é feito em duas concentrações. Uma delas é para uso pediátrico, para crianças de 1 a 10 anos. Nesse caso em específico, Teresinha recomenda uma gota em cada narina pela manhã e pela noite.

Já a segunda versão é feita especialmente para os adultos. Funciona para crianças a partir dos 11 anos e engloba as pessoas da terceira idade com até 70 anos. Para esses pacientes, a recomendação é de duas gotas em cada narina, nos dois horários já citados.

O custo do produto é baixo, mas pode sair de graça para as pessoas de baixa renda cadastradas no Programa de Extensão da Universidade Federal do Maranhão.

Veja também: Buchinha do norte – Benefícios e propriedades

Buchinha do norte efeitos colaterais

Apesar de todos esses benefícios já mencionados, a buchinha do norte possui alguns efeitos colaterais. Segundo alguns estudos, a planta pode ter um efeito abortivo. (3) Por essa razão, não deve ser consumida por grávidas, pois coloca em risco a vida da mulher e do bebê.

A planta também apresenta um grau de toxidade para as pessoas. “[…] a dose tóxica para o homem, estimada a partir da DL-50, corresponde a 5g do fruto seco ou 50ml de sua tintura a 10%”, alerta o médico.

Além disso, problemas no trato gastrointestinal podem ocorrer devido ao consumo da buchinha do norte. A dosagem em exagero provoca irritação na mucosa e a ingestão provoca hemorragia, náuseas, cólicas e diarreia.

Referências

1. NETO, Pedro Serafim de Souza. “Luffa operculata – mecanismo de ação no epitélio respiratório e eficácia terapêutica no tratamento clínico das rinossinusites: revisão sistemática”. São Paulo, 2006, Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Disponível em: http://livros01.livrosgratis.com.br/cp013795.pdf.

2. MARANHÃO, Universidade Federal do. “Série Fitoterápicos: Essência de Cabacinha”. 2008. Disponível em: http://portais.ufma.br/PortalUfma/paginas/noticias/noticia.jsf?id=4632.

3. LAURA, Andréa L. Cunha; MARTINS, Fernando I.; BARROS, Andrea L.C. de; MATIDA, Elisângela T.; GRASSI, Rafaela F.; GRANCE, Simone R.M.; LAURA, Valdemir A. “Ação do extrato hidroetanólico de buchinha-do-norte em ratas prenhes.” Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Disponível em: http://www.abhorticultura.com.br/biblioteca/arquivos/Download/Biblioteca/44_186.pdf. Acesso em 14 de dezembro de 2018.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.