Lecitina de soja: para que serve e como tomar

Extraída do óleo vegetal, a lecitina de soja é uma gordura “amiga” da saúde da mulher. Ao mesmo tempo em que regula a produção hormonal, esse produto também contribui amenizando os sintomas da menopausa e da TPM.

Além desses benefícios, esse suplemento age cuidando da saúde do coração, cérebro e do fígado. Sem contar que ele também é um importante aliado para dietas de emagrecimento e cuidados estéticos.

Colher com pó de lecitina de soja
A lecitina de soja possui um composto que substitui um dos principais hormônios femininos, o estrogênio (Foto: depositphotos)

Apesar de todos esses efeitos positivos, lecitina é bastante aplicada na indústria alimentícia para outras finalidades. Por ter ação emulsificante, a gordura do óleo de soja é aditivo para sorvetes, margarinas e até chocolates.

Benefícios da lecitina de soja

Esse aminoácido é rico em vitaminas do complexo B e fosfatos. Também é fonte de vitamina A e alguns minerais como cálcio, magnésio e ferro. Ômega 3, 6 e 9 são outros compostos encontrados. (1)

Melhora a saúde da mulher

Durante a menopausa e a TPM, os hormônios femininos oscilam bastante, causando uma série de sintomas comuns nessas fases. Ondas de calor e variações de humor são alguns dos principais sinais.

Mas, assim como a própria soja, a lecitina possui uma substância chamada isoflavona. Para quem não conhece, trata-se de um elemento com atuação semelhante ao estrógeno, um dos principais hormônios das mulheres e o que sofre com quedas nesses ciclos.

Portanto, o suplemento atua como um “substituto” do estrógeno, diminuindo os sintomas da menopausa, TPM e até mesmo do período menstrual. (1,2)

Previne doenças cardiovasculares

Outra importante função desse aminoácido é o auxílio na redução das taxas de triglicérides e colesterol. Isso acontece porque ele desempenha o papel de emulsificante, bloqueando o acúmulo de gordura nos vasos sanguíneos.

Por esse motivo, o suplemento previne o surgimento de doenças cardiovasculares como a aterosclerose. Esse quadro é caracterizado pelo depósito de gordura nas artérias, causando o enrijecimento nessas estruturas.

O problema é que essa situação não é um quadro isolado e pode desencadear complicações como trombose cerebral, pressão arterial alta (hipertensão), infarte etc.

Sendo assim, a partir do momento em que as gorduras são dissolvidas das paredes venosas, através do auxílio da lecitina, tanto a aterosclerose como os demais problemas interligados à ela podem ser evitados. (2,3

Protege o cérebro

Esse benefício existe graças a ação da colina, um nutriente que faz parte das vitaminas do complexo de B presente na lecitina de soja. No organismo ela participa da produção de acetilcolina, um neurotransmissor importante para a consolidação da memória.

Mas quando há uma deficiência de neurotransmissor é comum a perda ou falta da memória. Esse quadro pode piorar com o passar do tempo, ocasionando em uma amnésia irreversível ou em doenças degenerativas como o Alzheimer. (2,4)

Cuida da saúde do fígado

A ação emulsificante já mencionada também é a responsável pelos cuidados com o fígado, uma vez que auxilia na quebra de gorduras presentes nesse órgão. Portanto, o suplemento é capaz de desintoxicar o fígado.

De acordo com o Ministério da Saúde, é comum existir gordura nessa região, mas ela não deve chegar a 5%. Chamada de esteatose hepática, a doença pode surgir devido ao excesso de álcool ou por hábitos de vida inadequados, como sobrepeso, obesidade, sedentarismo, má alimentação etc. (1,2,5)

Defende as células

Por conter a vitamina A, a lecitina de soja é considerada um antioxidante e por isso protege as células contra a ação oxidativa dos radicais livres. Essas moléculas são instáveis e entram no organismo através da poluição ou má alimentação, por exemplo.

Com o passar do tempo elas se acumulam e passam a atacar as células saudáveis. Como consequência surgem as doenças degenerativas, como as que já foram citadas (problemas cardiovasculares e mal de Alzheimer) e até mesmo o câncer.

Outro resultado negativo da oxidação celular é o envelhecimento precoce da pele, unhas e cabelos. Portanto, o uso desse produto natural pode garantir a saúde das células e suas funcionalidades. (1,6)

Emagrece

Sabe a ação emulsificante que beneficia o coração e o cérebro? Somada ao efeito lipotrópico, auxiliam no processo de emagrecimento.

Juntas, as atividades conseguem quebrar as moléculas de gordura que ficam depositadas no corpo causando o excesso de peso. Mas claro, o suplemento sozinho não fará efeito na perda de medidas, por isso a importância de praticar exercícios físicos e ter uma alimentação equilibrada. (2)

Como tomar?

A forma de tomar a lecitina de soja vai depender da fórmula utilizada (em pó ou em cápsulas) e a necessidade do paciente. Por exemplo, se for consumida em comprimido, é recomendado o uso de 1 cápsula duas vezes ao dia.

Já se a formulação for em pó, o paciente pode ingerir de 500 mg a 2000 mg diariamente. Mas, de uma forma ou de outra, é indicado o uso durante as principais refeições do dia. 

E vale ressaltar que mesmo sendo um produto natural, o mais recomendado é usar após a indicação de um nutricionista ou nutrólogo. (7,8

Onde encontrar?

Farmácias de manipulação são os lugares mais fáceis para encontrar a lecitina e ainda há a possibilidade de fazer um medicamento com doses personalizadas.

Já os preços podem variar bastante dependendo do local onde é encontrado, da marca e, claro, da quantidade de mg.

Lecitina de soja pode fazer mal?

A soja e seus derivados são alérgenos alimentares frequentes entre as pessoas, por isso é importante ficar atento aos seguintes sintomas: vômitos, dor abdominal, diarreia etc. Caso eles ocorram, o suplemento deve ser suspenso e um médico pode ser procurado. 

Já com relação às contraindicações, grávidas, lactantes e crianças de até 3 anos de idade estão inclusas. Esses grupos de pessoas só devem consumir lecitina de soja após a orientação médica ou de nutricionista. (7,9)

Referências

(1) SILVA, Nilton Fernandes da. Soja e seus benefícios para saúde. Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis, 2012. Disponível em: https://cepein.femanet.com.br/BDigital/arqTccs/0911260250.pdf. Acesso em: 09 de dezembro de 2019.

(2) ZULIAN, Sibele Liane. Adição de ácido graxo de soja como agente estabilizante de viscosidade de lecitina de soja. Universidade Federal de Santa Catarina, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/176058/345554.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 09 de dezembro de 2019.

(3) FREITAS, Daniela de Grandi Castro. Desenvolvimento e estudo da estabilidade de barra de cereais de elevado teor proteico e vitamínico. Universidade Estadual de Campinas, 2005. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/255536/1/Freitas_DanielaDeGrandiCastro_D.pdf. Acesso em: 09 de dezembro de 2019.

(4) RUSSO, Elisabete. Nutrientes neuroprotetores relacionados à memória. Associação Brasileira de Medicina Biomolecular e Nutrigenômica. Disponível em: http://www.medicinabiomolecular.com.br/biblioteca/pdfs/Biomolecular/mb-0765.pdf. Acesso em: 09 de dezembro de 2019.

(5) Ministério da Saúde. Esteatose hepática (gordura no fígado): causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção. Disponível em: http://saude.gov.br/saude-de-a-z/esteatose-hepatica. Acesso em: 09 de dezembro de 2019.

(6) CASTEJON, Letícia Vieira. Parâmetros de qualidade na clarificação da lecitina de soja. Universidade Federal de Uberlândia, 2015. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/17770/1/ParametrosQualidadeClarificacao.pdf. Acesso em: 09 de dezembro de 2019.

(7) Embrafarma. Lecitina de soja. Disponível em: http://levviale.ind.br/wp-content/uploads/2017/11/Lecitina-de-soja.pdf. Acesso em: 09 de dezembro de 2019.

(8) Florien. Lecitina de soja. Disponível em: http://florien.com.br/wp-content/uploads/2016/06/LECITINA-DE-SOJA.pdf. Acesso em: 09 de dezembro de 2019.

(9) SOLÉ, Dirceu; et al. Consenso Brasileiro sobre Alergia Alimentar: 2018 – Parte 1 – Etiopatogenia, clínica e diagnóstico. Asma, Alergia e Imunologia, 2018. Disponível em: http://formsus.datasus.gov.br/novoimgarq/38654/7475202_312361.pdf. Acesso em: 09 de dezembro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.