Cominho: benefícios e para que serve este tempero

É possível usar o cominho no preparo de feijão, carnes e até mesmo saladas

O cominho é um velho conhecido da cozinha brasileira, pois está presente no preparado de diversos pratos como feijões, carnes e molhos. Mas mesmo sendo popular nas mesas do Brasil, a origem desse tempero está geograficamente longe das Terras Tupiniquins.

Nativo da região do Mediterrâneo, o Cuminum cyminum L. (cominho) pertence à família Apiaceae. Atualmente, 90% de sua produção tem origem na Índia, país onde esse tempero possui protagonismo no preparo dos alimentos. (1)

Mas o que poucas pessoas sabem é que o cominho ultrapassa a linha de um simples tempero. Além do sabor e aroma inigualáveis, essa especiaria também é rica em propriedades medicinais que contribuem com benefícios para o organismo humano.

Sendo assim, nesse artigo, você vai encontrar as funcionalidades raramente mencionadas do cominho. Também vai descobrir se esse tempero engorda ou emagrece. Além de saber para que serve essa especiaria, receitas e características.

Benefícios do cominho

Antes de mais nada, é importante mencionar os efeitos medicinais do cominho. De acordo com estudos e pesquisas científicas, esse tempero possui propriedades nutracêuticas. (1) Para quem não sabe, essa palavra é a junção de “nutrição” e “farmacêutico”.

Cominho em pó e em grãos

Existem duas formas de encontrar o cominho, em pó e em grãos (Foto: depositphotos)

Portanto, isso significa dizer que o alimento em questão fornece benefícios médicos ou de saúde, contribuindo com a prevenção e tratamento de doenças. (2) De um modo geral, esse tempero possui ação anti-inflamatória, diurética e antiespasmódica. (3)

Além disso, a especiaria contem em sua composição “óleos voláteis, ácidos, óleos essenciais, proteínas e outros elementos.” Também possuem numerosos fitoquímicos, substâncias conhecidas por terem propriedades antioxidantes, carminativas e antiflatulentas. (3)

A seguir você pode acompanhar mais detalhes sobre os benefícios comprovados pela ciência! Confira:

Digestivo

O cominho é considerado um estimulante do sistema digestivo, pois auxilia na produção de secreção de enzimas do pâncreas que ajudam a absorver os nutrientes dos alimentos.

Com isso, ele ajuda a prevenir o surgimento de distúrbios digestivos, como gases e dores no estômago. (3)

Rico em vitamina E

Outro grande benefício do cominho que poucos imaginam é a atuação no combate à problemas de pele. Como esse tempero é rico em vitamina E, ele é capaz de manter a pele jovem e brilhante.

Em paralelo a esse nutriente, a especiaria também tem propriedades desinfetantes e antifúngicas. Por essa razão, o consumo constante desse produto natural pode impedir infecções microbianas e fúngicas na pele. (3)

Analgésico e anti-inflamatório

Esses benefícios unidos resultam em mais qualidade de vida para as pessoas. Isso porque, ao mesmo tempo que o cominho ajuda a minimizar as inflamações, ele também contribui com a diminuição da dor. (4)

Rico em ferro

Segundo estudos, esse tempero é rico em ferro. Por exemplo, em cada 100 gramas de cominho contem 66 mg desse nutriente. Isso significa dizer que a especiaria em questão possui cinco vezes a mais da necessidade diária de ferro para um adulto.

Portanto, o cominho é ideal para todas as pessoas, incluindo crianças, adolescente, grávidas, lactantes e mulheres que estão no período menstrual. Além de ser altamente benéfico para quem possui anemia.

Tudo isso porque o ferro é essencial para o corpo realizar funções vitais, como o transporte de oxigênio, a manutenção do sistema imunológico e a produção de energia e metabolismo.

Além do ferro, a especiaria contem timol e cálcio. Essa primeira substância é importante para aumentar as secreções das glândulas, tornando maior a produção de leite nas glândulas mamárias.

Já o cálcio é um componente poderoso na produção do leite materno. (3)

Antimicrobiano

Estudos mostram que a atividade antimicrobiana do cominho é capaz de eliminar diversos micro-organismos, como Candida albicans, Aspergillus niger, a bactéria Gram positiva Bacillus subtilis e Staphylococcus epidermidis, bem como a levedura (Saccharomyces cerevisiae) e E. coli. (4)

Por isso, essa especiaria pode auxiliar no combate à infecção oral nos seres humanos, problemas de pele e distúrbios gastrointestinais.

Antidiabético

Testes elaborados em ratos diabéticos comprovaram o efeito antidiabético do cominho. O uso desse elemento durante seis semanas resultou na “redução significativa da glicose no sangue e aumento da hemoglobina total e da hemoglobina glicosilada.” (3,4)

Com isso, novos estudos estão sendo desenvolvidos em busca de mais respostas para esse benefício do cominho. Mas dessa vez, com foco nos humanos.

Anti-hipertensivo

Outro efeito que vem sendo estudado pelos pesquisadores é o anti-hipertensivo. Em testes laboratoriais, o cominho se mostrou benéfico na luta contra a pressão arterial alta. (4)

Cominho emagrece ou engorda?

Diante de tantos benefícios e propriedades medicinais, fica o questionamento: cominho emagrece ou engorda? A verdade é que essa semente tem demonstrando um efeito emagrecedor potentecomprovado em um ensaio clínico com 72 indivíduos em situação de sobrepeso.

Para chegar nessa conclusão, estudiosos separaram os participantes, com idade entre 18 e 50 anos, em três grupos. O primeiro deles (grupo A) recebeu alta dose de Cumin cyminum L. e cápsulas de cal (75 mg).

Já o grupo B recebeu uma dose baixa de Cumin cyminum L. e cápsulas de cal (25 mg). Por fim, o grupo C, que recebeu doses duas vezes ao dia durante dois meses.

“Após oito semanas de intervenção, em comparação com baixas doses de C. cyminum L. e cal e placebo, tomar altas doses de C. cyminum L. e cal resultou em perda de peso significativa”, explica o estudo. (5)

Mas além de resultar na perda de peso, o cominho também foi benéfico na redução de triglicérides, colesterol total e, principalmente, o LDL (colesterol ruim). (5)

Para que serve cominho?

O cominho é utilizado como tempero em diversas culturas pelo mundo. Por exemplo, é um componente essencial de comidas mexicanas e muito explorado pela culinária indiana. (6)

No Brasil, o protagonismo dessa especiaria também influencia os nossos sabores. De acordo com o gastrólogo Rozano José de Jesus, o cominho pode ser utilizado no preparo de feijões, carnes e até mesmo saladas.

Diante disso, pedimos ao cheff duas receitas com esse tempero. Acompanhe a seguir os ingredientes e o modo de preparo de cada uma delas!

Como fazer feijão com cominho?

Ingredientes

  • 1 xícara (de café) com feijão carioca
  • 6 xícaras (de café) com água
  • 1 folha de louro
  • 1 colher (de sopa) rasa de cominho em pó
  • Sal a gosto
  • Coentro a gosto
  • 2 colheres (de sopa) de extrato de tomate
  • 1 cebola média picada
  • 2 dentes de alho picados.

Modo de preparo

O primeiro passo é deixar o feijão carioca de molho durante um período de 8 horas, antes do cozimento. Em seguida, colocar o grão na panela de pressão com as seis xícaras de água, a folha de louro e o sal.

Tampe a panela e cozinhe por 25 minutos contados a partir do início da pressão. Depois, reserve o resultado e passe para os demais passos.

Em outra panela, aqueça em fogo médio uma colher (de sopa) de óleo e refogue uma cebola média e dois dentes de alho picados.

Em seguida, adicione todo o feijão carioca cozido e os outros ingredientes. Deixe cozinhando por até 10 minutos ou até engrossar o caldo.

Segundo Rozano, essa receita rende até quatro porções. E pode ser acompanhada por um arroz branco soltinho, formando a clássica dobradinha da cozinha brasileira.

Cominho no frango

Ingredientes

  • 1 kg de frango (coxa e sobrecoxa)
  • Sal a gosto
  • 1 colher (de chá) rasa de cominho em pó
  • 4 dentes de alho
  • 2 cebolas médias
  • 1 colher (de sopa) rasa de açafrão
  • Pimenta do reino a gosto
  • Coentro a gosto
Frango com salada

Tanto o frango como a salada podem receber o toque especial do cominho (Foto: depositphotos)

Modo de preparo

Primeiro corte as coxas e sobrecoxas em pedaços médios. Depois, pique o alho, a cebola e o coentro. Em seguida, misture todos os ingredientes e leve o frango ao forno em 180ºC.

Deixe o prato principal no forno durante 50 minutos e após esse tempo sua receita vai estar pronta para ser servida.

Ainda de acordo com o gastrólogo, essa receita serve bem quatro pessoas. Além disso, pode ser acompanhada por uma salada e molho.

Uma dica de Rozano é aproveitar acelga, manga e couve na salada. “Se quiser dar um destaque no molho [para a salada], pode usar maracujá, com pimenta do reino e escolhe se usa mel de engenho ou mel de abelha. Depois é só misturar tudo.”

Por fim, o especialista lembra que o cominho também pode ser utilizado na salada para dar um toque especial ao prato.

Características desse tempero

Se você ainda não conhece o cominho, é preciso prestar atenção a alguns detalhes desse tempero. Aqui você descobre as formas disponíveis para a compra, o sabor e a origem dessa especiaria. Confira!

Em grão ou em pó?

O cominho pode ser encontrado tanto em pó como em grãos e a cor é sempre marrom-esverdeada. Nos preparos culinários, é mais comum usar o tipo moído.

Sabor

Já com relação ao sabor, é possível dizer que o cominho tem um gosto próprio. Mas oferecer aos pratos um sabor morno e amargo.

Qual a origem do cominho?

Como já mencionando no início desse artigo, o cominho é originário da região do Mediterrâneo e do Egito. (6)

*Artigo feito com a colaboração do gastrólogo Rozano José de Jesus. 

Referências científicas

Por fim, veja abaixo as referências científicas usadas na produção deste artigo. O Remédio Caseiro é um site comprometido com informações verdadeiras, conteúdo relevante e, claro, com a sua saúde. Sendo assim, fique sempre bem informado(a) em nosso site!

Referências

(1) MANDAL, Manisha; MANDAL, Shyamapada. “Essential Oils in Food Preservation, Flavor and Safety“, Chapter 42 – Cumin (Cuminum cyminum L.) Oils. 2016. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/B9780124166417000420?via%3Dihub. Acesso em 15 de abril de 2019.

(2) DUDEJA, P.; GUPTA, RK. “Nutraceutical”. 2017. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/topics/food-science/nutraceuticals. Acesso em 15 de abril de 2019.

(3) SINGH, Rudra Pratap; GANGADHARAPPA, H.V.; MRUTHUNJAYA, K. “Cuminum cyminum – A Popular Spice: An Updated Review“. Pharmacognosy Journal, 2017. Disponível em: https://phcogj.com/sites/default/files/10.5530pj.2017.3.51.pdf. Acesso em 15 de abril de 2019.

(4) AL-SNAFI, Ali Esmail. “The pharmacological activities of Cuminum cyminum – A review“. IOSR Journal Of Pharmacy, 2016. Disponível em: http://iosrphr.org/papers/v6i6V2/G066024665.pdf. Acesso em 15 de abril de 2019.

(5) TAGHIZADEH, Mohsen. et al. “The Effect of Cumin cyminum L. Plus Lime Administration on Weight Loss and Metabolic Status in Overweight Subjects: A Randomized Double-Blind Placebo-Controlled Clinical Trial“. Iran Red Crescent Med J. 2016. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5065707/. Acesso em 15 de abril de 2019.

(6) Condimentos e Especiarias. “Ingredientes que enriquecem os alimentos“. Disponível em: http://aditivosingredientes.com.br/upload_arquivos/201603/2016030116799001459189894.pdf. Acesso em 15 de abril de 2019.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.