Passiflora: para que serve e como tomar o chá

Lembra quando sua avô dizia que um chazinho de passiflora é ótimo para acalmar e proporcionar um sono tranquilo? Sim, ela estava certa. A flor do maracujá, como também é conhecida, possui substâncias que atuam em prol desse efeito.

O melhor de tudo é que ela é fácil de ser encontrada. Mesmo sendo originária do sul da América do Norte, a planta se adaptou bem às temperaturas médias, sendo bastante cultivada no Brasil.

E ainda que não se encontre na sua versão natural, por ser largamente usada como remédio fitoterápico, drogarias e farmácias de manipulação comercializam comprimidos e cápsulas com os extratos concentrados da Passiflora Incarnata.

Flor de maracujá

O chá da passiflora melhora a concentração, o que ajuda na produtividade e aprendizado (Foto: depositphotos)

Nesse artigo você vai descobrir os principais benefícios da planta e a melhor maneira de preparar e consumir o chá. Acompanhe a seguir: 

Benefícios da passiflora 

1. Ajuda a ter uma noite de sono tranquila

Ter o sono comprometido pode gerar uma série de problemas: piora o humor, causa cansaço ao longo do dia, baixo desempenho nas tarefas cotidianas. Isso sem falar nos danos à saúde a longo prazo. 

Uma alternativa natural no combate a insônia é a passiflora, por conta dos seus princípios ativos: passiflorina, flavonoides, c-glicosídeos e alcaloides (harmana). (1)

A presença desses princípios contribui para aumentar os índices de ácido gama-aminobutírico (GABA) no cérebro que, por sua vez, ajuda a regular as células nervosas. Esse efeito diminui a ansiedade e possibilita uma noite de sono mais tranquila.

Esse deve ser o benefício mais conhecido dessa planta medicinal. Então, se você tem dificuldades em conciliar ou manter o sono, tomar uma xícara de chá de passiflora antes de dormir pode ser uma excelente opção. 

2. Melhora a concentração

Quantas vezes iniciamos uma atividade e não concluímos porque nos distraímos. Quer ver um exemplo comum à maioria das pessoas? Começar a ler um livro e no final da página se dar conta que não absorveu nada porque estava pensando em outra coisa. 

Sabia que é possível evitar as dispersões dando uma forcinha para a concentração? A passiflora ajuda a focar melhor nas atividades. Isso porque, por causar maior sensação de relaxamento e bem-estar, os níveis de concentração também se elevam. Mérito dos compostos fenóis e cianogênicos glicosil que auxiliam os neurotransmissores a proporcionar essa sensação de relaxamento. 

Essa planta ajuda o indivíduo a ser mais produtivo. Há, inclusive, um estudo na Complementary Therapies in Medicine que atesta os benefícios da passiflora em crianças portadoras do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). (2)

3. Contribui no combate a depressão

A passiflora atua no sistema nervoso central, mas não apenas ajudando a acalmar e a melhorar a qualidade do sono. Essa incrível erva medicinal ajuda também a melhorar os sintomas de quadros depressivos. (3

Os componentes químicos encontrados nela, como os alcaloides e flavonoides, agem na sensação de relaxamento, mas também causam efeitos antidepressivos no organismo.

Por isso, pode ser uma alternativa mais suave e natural aos ansiolíticos e antidepressivos sintéticos. Os riscos dos medicamentos “tarja preta” incluem diversos efeitos colaterais e dependência. 

4. Alivia o desconforto causado pela menopausa 

Ela ainda é uma grande aliada da saúde feminina, ajudando a controlar as famosas ondas de calor. O sintoma é um dos que mais atormentam as mulheres na menopausa e na pré-menopausa. (4)

Os sintomas do declínio natural dos hormônios estão associados aos baixos níveis de GABA. Os componentes da passiflora ajudam justamente a aumentar os níveis desse ácido e os alcaloides da planta evitam a produção de monoamina oxidase, causador da depressão durante menopausa.

Logo, essa erva medicinal atua como uma excelente alternativa à terapia hormonal.

5. Combate os sintomas do transtorno de ansiedade 

Em razão do efeito relaxante causado pelos componentes químicos que aumentam a produção do GABA, a passiflora pode ser uma aliada do nosso bem-estar emocional. Estudos indicam que ela é eficaz no tratamento do transtorno de ansiedade generalizada, caracterizada pela preocupação excessiva e desproporcional. (5)

6. Coadjuvante no emagrecimento

A passiflora não possui em sua composição nenhuma substância diurética ou que esteja associada à queima de gordura. Contudo, ao controlar a ansiedade, pode ser benéfica em quadros de compulsão alimentar, como explica a nutricionista, Adriana Lima. “Se a causa do consumo excessivo de calorias for a ansiedade, a passiflora pode ser útil para os programas de emagrecimento que envolvem dieta e exercícios físicos”, salientou. 

Qual é a melhor maneira de consumir a planta?

Na forma de cápsulas, a nutricionista informa que a dose recomendada é de 2 comprimidos (de 200 mg cada) por dia, sendo 1 de manhã e outro à noite.

Se desejar consumir a erva como chá, o ideal é tomar até três xícaras por dia. Para fazer a bebida, coloque duas colheres (de chá) da planta desidratada em uma xícara de água fervente. Deixe descansar por dez minutos. Depois é só coar e tomar!

Cuidados e contraindicações

Mesmo fazendo uso de um tratamento natural e mais suave que os remédios convencionais, é preciso tomar algumas precauções. Por isso, mesmo os remédios naturais, como é o caso da passiflora, possuem contraindicações. Confira os casos em que seu consumo deve ser evitado. 

  • Durante a gravidez. A erva possui efeitos estimulantes do útero, o que pode comprometer a saúde do feto;
  • O chá e os extratos dela não podem ser tomados juntamente com calmantes, antialérgicos e sedativos. A passiflora pode potencializar o efeito das substâncias desses fármacos;
  • Não é recomendável consumi-la junto com bebidas alcoólicas. 

Antes de fazer uso de qualquer produto com fins medicinais, seja ele natural ou sintético, é importante que um especialista seja consultado. A automedicação é perigosa!

*Artigo feito com a colaboração da nutricionista da Cia. da Consulta, Adriana Lima (CRN: 34.984).

Referências

(1) TORCHI, C. ;BELIZARIO, G.;UEDA, S.;SILVA, A. Seguimento do uso da Passiflora Incarnata no tratamento da insônia. II Simpósio de assistência farmacêutica. Disponível em: http://www.saocamilo-sp.br/novo/eventos-noticias/saf/resumo-27.pdf. Acesso em: 29 de outubro 2019.

(2) ANHEYER, D, LAUCHE, R, SCHUMANN, D, DOBOS, G, CRAMER, H. Herbal medicines in children with attention deficit hyperactivity disorder (ADHD): A systematic review. Complementary Therapies in Medicine. 2017 Feb;30:14-23. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28137522. Acesso em: 04 de novembro de 2019.

(3) ASFSJ, A. et al. Monoaminergic neurotransmission is mediating the antidepressant-like effects of Passiflora edulis Sims fo. edulis. Neurosci Lett., 2017, Nov 1;660:79-85. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28893593. Acesso em: 04 de novembro de 2019.

(4) KARGOZAR, R; AZIZI, H; SALARI, R. A review of effective herbal medicines in controlling menopausal symptoms. Electron Physician, 2017, Nov 25;9(11), 5826-5833. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29403626. Acesso em: 04 de novembro de 2019.

(5) FAUSTINO, T.; ALMEIDA, R.B; ANDREATINI, R. Plantas medicinais no tratamento do transtorno de ansiedade generalizada: uma revisão dos estudos clínicos controlados. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 32, nº 4, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbp/v32n4/a17v32n4.pdf. Acesso em: 04 de novembro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.