Remédio para dor nas costas: 3 formas caseiras de tratamento

A dor nas costas é um problema muito comum. Segundo a Organização Mundial da Saúde, OMS, cerca de 80% da população mundial sofre com a dor lombar, também chamada de lombalgia. (1)

É possível encontrar diversas opções de remédio para dor nas costas, mas eles devem ser usados somente com orientação médica. Para evitar os problemas da automedicação, soluções caseiras podem ajudar a aliviar os sintomas.

Mulher com dor na lombar
As dores nas costas são causadas pela fraqueza muscular, má postura, esforço excessivo, entre outros (Foto: depositphotos)

Remédios caseiros para dor nas costas

De acordo com a ortopedista Ana Paula Simões, antes de iniciar o tratamento em casa, é preciso que a pessoa tenha um diagnóstico médico da real causa da dor e, assim, descartar a possibilidade de um problema mais sério.

Confira as soluções caseiras indicadas pela médica para casos de contratura muscular, ou seja, quando o músculo contrai de maneira incorreta.

Relaxamento com compressas quentes

Bolsa com água quente nas costas
A compressa quente relaxa a musculatura, aliviando a dor (Foto: depositphotos)

Segundo a médica, as medidas térmicas são o primeiro passo para o tratamento da dor nas costas em casa. “Quando a pessoa tem uma contratura muscular é indicado fazer um relaxamento com compressas quentes”, diz.

A compressa quente é eficiente, pois o calor relaxa os músculos e ativa a circulação sanguínea na região, diminuindo a dor. Você pode usar uma bolsa de água quente ou toalha úmida aquecida na região dolorida durante 15 a 20 minutos. (2)

Tomar um banho de água quente, deixando a água cair diretamente no local da dor, também pode ajudar. 

Massagens com anti-inflamatórios e analgésicos naturais

Massagem nas costas
Escolha um analgésico natural em creme ou gel para aplicar durante a massagem (Foto: depositphotos)

Outro tipo de remédio para dor nas costas indicado pela especialista é o anti-inflamatório e/ou analgésico natural. Segundo ela, o ideal é fazer massagens com arnica, por exemplo, que ajuda a relaxar os músculos.

O medicamento usado deve ser em pomada ou gel. Aplique na região afetada e faça massagens relaxantes com movimentos circulares até sentir alívio da dor. 

Exercícios para o fortalecimento do core

Ana Paula explica que ao invés do alongamento, na verdade, são os exercícios de fortalecimento do core que são eficientes para o tratamento de dor nas costas. Esse tipo de exercício também é chamado de fortalecimento do eixo do corpo.

“Alongamento não é tratamento, a pessoa deve manter-se alongada sempre. Tem que ser automático, como tomar banho e escovar o dente, ele deve fazer parte da rotina das pessoas”, explica a médica.

Além disso, ela acrescenta que não existe comprovação científica de que o encurtamento muscular causa dor nas costas.

“A única comprovação científica que a gente tem é que o enfraquecimento muscular piora as dores lombares. Então faz parte do tratamento fazer fortalecimento e não alongamento”, ressalta.

De qualquer forma, Ana destaca que o alongamento não está contraindicado e orienta que todos os tipos de exercícios devem ser feitos somente quando a pessoa não está mais na crise de dor aguda.

“Depois que passar a crise de inflamação, a gente entra com esse fortalecimento bem específico da região do core, que é um trabalho da musculatura lombar e fundamentalmente do abdômen. Tudo é um eixo de 360 graus, não adianta só fortalecer a coluna, se você também não fortalece o abdômen”, afirma a especialista.

O pilates, por exemplo, é um conjunto de exercícios muito eficiente para o fortalecimento da musculatura abdominal e para o alinhamento postural. Ele ajuda a prevenir lesões e proporciona alívio de dores crônicas, mas deve ser feito com o auxílio de um profissional. (1)

Confira dois exercícios básicos de fortalecimento do core que você pode fazer em casa:

Prancha abdominal

Mulher fazendo prancha na sala
Realize de 2 a 3 séries, se mantendo nessa posição por 10 a 15 segundos (Foto: depositphotos)

A prancha atua tanto na estabilização, quanto no fortalecimento do core, pois trabalha grande parte dos grupos musculares desta região. Ela ajuda a prevenir e a reabilitar lesões na coluna. (3)

Como fazer: Deite de bruços e apoie o antebraço no chão, formando um ângulo de 90 graus com os cotovelos. Mantenha as pernas esticadas, unidas e apoiadas nos dedos dos pés. Contraia os músculos do abdômen e fique parado nessa posição, com o corpo ereto, respirando de forma gradual. Realize de duas a três séries mantendo por 10 a 15 segundos cada uma. (4)

Elevação pélvica

Mulher fazendo elevação pélvica na sala
Realize de 2 a 3 séries, se mantendo nessa posição por 10 a 15 segundos (Foto: depositphotos)

Também chamada de ponte, este exercício foca nos músculos paravertebrais, que são de grande importância para o fortalecimento do core. Ele ainda ajuda na manutenção da postura adequada. (3)

Como fazer: Deite de barriga para cima com os braços alongados ao lado do corpo. Mantenha as pernas afastadas na largura do quadril, flexione os joelhos e apoie a sola dos pés no chão. Contraia o abdômen e os glúteos e depois eleve o quadril até formar uma linha reta dos ombros aos joelhos. Retorne ao chão. Realize de duas a três séries mantendo por 10 a 15 segundos cada uma. (4)

Atenção! Não esqueça de sempre consultar o seu ortopedista antes de fazer qualquer tipo de exercício, especialmente se você estiver com dor. Ele também pode te orientar sobre outras opções de exercício de fortalecimento do core para fazer em casa. 

Tipos e causas de dor nas costas

Ana Paula diz que as principais causas de dor nas costas, são: sobrepeso, fraqueza muscular, má postura, pegar peso erroneamente e fazer atividades físicas de forma exagerada e sem orientação. Ela complementa que as causas musculares são as mais frequentes.

“A causa mais comum são aquelas contraturas musculares que acontecem desde a cervical até a lombar. A cervical normalmente é tensional, mas a lombar e a torácica têm muita causa mecânica”, aponta.

Em relação a duração, a lombalgia pode ser classificada em aguda, quando dura menos que quatro semanas; subaguda, quando dura de quatro a 12 semanas; ou crônica, quando permanece por mais de 12 semanas. (2)

Além disso, a médica explica que a dor nas costas é dividida em dois tipos: os macrotraumas, que são as lesões maiores; e os microtraumas, que são as lesões que se formam aos poucos durante a nossa rotina.

“Os macrotraumas, normalmente, são causados por quedas ou por peso e esforço excessivo. Neste caso, pode acontecer um estiramento da musculatura paravertebral, uma fratura e até uma lesão discal ou de ligamentos. Já os microtraumas, geralmente, são: fraqueza muscular, ficar muitas horas numa posição ruim e traumas repetitivos. Tudo o que causa uma sobrecarga no músculo”.

A ortopedista alerta que a dor nas costas também pode ser um sintoma de outras doenças mais sérias, como tumores específicos da coluna, incluindo o câncer, e as doenças reumatológicas.

“Existem ainda doenças do sistema nervoso central, como por exemplo a meningite, que acaba aferindo a coluna, gerando dor. Os problemas renais também, muita gente que sofre com dores nos rins confunde com a dor nas costas”, acrescenta a médica. 

Cuidados e prevenção

Segundo a ortopedista, o principal cuidado de quem tem dor nas costas é mudar os hábitos que causam essa dor.

“Se a pessoa pegou peso de maneira errada, ela tem que corrigir a forma de pegar peso. Se a pessoa dorme de maneira errada, senta no trabalho de maneira errada ou está muito estressada, tudo isso ela tem que corrigir”, diz.

E para prevenir a dor nas costas, Ana Paula garante que basta manter uma vida saudável e trabalhar a força muscular.

“A melhor forma de prevenir a dor nas costas é estar em forma, ter fortalecimento muscular, evitar pegar peso excessivo, manter uma alimentação saudável e sempre fazer um check up médico para ver se você não está com nenhuma doença que pode gerar essas dores”, conclui. 

*Este artigo foi feito com a colaboração da médica ortopedista e traumatologista, Ana Paula Simões (CRM 108667).

Referências

(1) OLIVEIRA, Messias Pereira; BRAZ, Alison Gustavo. A importância do fortalecimento da musculatura estabilizadora da coluna vertebral na prevenção e no tratamento das lombalgias. Pós Graduação em Ortopedia e Traumatologia com Ênfase nas Terapias Manuais–Faculdade Ávila. 2012. Disponível em: https://portalbiocursos.com.br/ohs/data/docs/32/145_-_A_importYncia_do_fort._da_musc._estabilizadora_da_coluna_vertebral_na_prevenYYo_e_no_tratamento_das_lombalgias.pdf. Acesso em: 27 de janeiro de 2020.

(2) BRAZIL AV et al. Diagnóstico e tratamento das lombalgias e lombociatalgias. Rev. Bras. Reumatol. vol.44 no.6 São Paulo Nov./Dec. 2004. Disponpivel em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0482-50042004000600005#back1. Acesso em: 27 de janeiro de 2020.

(3) SOUZA, Thiago Bezerra de; MEDEIROS, Rodrigo Cordeiro de. Os exercícios de estabilização do core no tratamento da lombalgia crônica: Uma revisão de literatura. Anais III CONBRACIS V. 1.2018. Disponível em: http://editorarealize.com.br/revistas/conbracis/trabalhos/TRABALHO_EV108_MD4_SA10_ID645_19052018135331.pdf. Acesso em: 27 de janeiro de 2020.

(4) EVANGELISTA, Alexandre Lopes; MACEDO, Jônatas. Treinamento Funcional e core training: exercícios práticos aplicados. 2 ed. São Paulo: Phorte Editora, 2015. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=en&lr=&id=WyuzDQAAQBAJ&oi=fnd&pg=PT5&dq=exerc%C3%ADcios+de+fortalecimento+do+core+prancha&ots=KyA0Ba7sn4&sig=jOTB-c7dp-9fmCJl8KHLtSEwAEw#v=onepage&q&f=false. Acesso em: 27 de janeiro de 2020.

 

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Mariana Keller
Jornalista (MTB-RJ: 36167), formada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela PUC-Rio e especialização em Jornalismo Cultural, pela UERJ. Como redatora web, escreve matérias sobre assuntos diversos. Também atua na área de marketing de conteúdo e produção audiovisual.