Pedras na vesícula – tratamento natural

Por Daiane Silva

Pedras na vesícula - tratamento natural

Dores intensas, resultado da obstrução do canal vesicular | Imagem: Reprodução

A vesícula é um pequeno reservatório, ligado ao fígado e ao pâncreas que acumula a bile antes que ela seja distribuída para o duodeno para metabolizar as gorduras e auxiliar na digestão. Quando chega a hora de a bile ser enviada, é a vesícula biliar quem faz a distribuição,pois, ao comermos, ela se contrai e a bile é enviada.

A capacidade de armazenamento da vesícula é de 50ml, para que seja possível a quantidade armazenada ser maior, a bile que está na vesícula se torna muito mais concentrada, já que perde água.

O que causa o aparecimento de pedras na vesícula?

Se houver um desequilíbrio entre a água e os elementos da bile armazenada na vesícula, podendo causar a solidificação da bile, a colelitíase. Existem alguns fatores que predispõe à formação das pedras, como:

  • SEXO: os cálculos na vesícula são mais comuns em mulheres, mas, a partir dos sessenta anos, essa diferença cai, talvez em função da queda do hormônio estrogênio;
  • IDADE: pessoas jovens tem menos tendência ao desenvolvimento dos cálculos, o mais comum é que aconteça depois dos quarenta anos de idade;
  • OBESIDADE: é um dos principais fatores para o surgimento em jovens;
  • GRAVIDEZ: o excesso de estrogênio na gestação, propicia à colelitíase;
  • GENÉTICA: parentes em 1º grau com históricos da doença, aumenta as chances de desenvolvimento das pedras;
  • REPOSIÇÃO HORMONAL:  deve-se ao estrogênio também;
  • PERDA DE PESO RÁPIDA: assim como as dietas de baixa calorias, são um risco;
  • CIRROSE;
  • DIABETES;
  • DROGAS como: ceftriaxona, fibratos ou anticoncepcionais;
  • FICAR EM JEJUM por muito tempo, já que a bile desidrata mais conforme permanece na vesícula e o risco de formar as pedras aumenta;
  • DOENÇA DE CROHN;
  • SEDENTARISMO;
  • ANEMIA FALCIFORME.

Em alguns casos, alguma pedra pode obstruir o canal vesicular, impedindo que a bile seja despachada ao duodeno quando a pessoa se alimenta, o que causa a cólica de vesícula, devido à contração da vesícula com a bile acumulada. Essa situação pode se tornar recorrente, causando, além da dor, outros sintomas durante a crise, como vômitos, dores de cabeça, etc. Além disso, pode evoluir para a inflamação na vesícula, a colecistite, que, ao contrário da crise de obstrução da vesícula, que apresenta dor apenas na hora da alimentação, nesta a dor é constante e o mal-estar permanente, até a febre aparece, o que, normalmente induz à cirurgia para retirada da vesícula.

Também há pessoas que podem passar muitos anos com uma ou mais pedras na vesícula e não terem maiores incômodos, algumas, inclusive, descobrem que tem pedras num exame de rotina. Essas, podem fazer uso de tratamentos caseiros que podem até ajudar a desmanchar pedras menores para que sejam eliminadas junto com a bile.

Veja quais são os tratamentos possíveis

  • ÓLEO DE RÍCINO:  tomar uma colher de óleo de rícino antes de se deitar à noite e, para otimizar esse tratamento, beba uma xícara de chá da infusão de uma folha de alface (pique de qualquer maneira com as mãos, uma folha grande de alface e coloque na xícara, cobrindo-a com água fervente. Deixe amornar e coe). Beba duas xícaras ao dia.
  • FOLHA DE ABACATEIRO: faz-se infusão e toma-se duas xícaras ao dia;
  • BOLDO OU BOLDO DO CHILE: infusão e pode ser bebido duas vezes ao dia;
  • CHÁ DE VERBENA;
  • CHÁ DE AGULHAS DE PINHEIRO (desmancha as pedras);
  • CHÁ DE BARDANA: prepare a decocção de uma xícara de água e uma colher de sopa de raiz de bardana. Ferva por 5 minutos, descanse 10 minutos e depois tome, podem ser tomadas duas xícaras ao dia.
  • EVITE: alimentos gordurosos, frituras, embutidos e outros alimentos fortes;
  • DÊ PREFERÊNCIA: aos alimentos leves, verduras e legumes crus e muitas frutas.