Conheça dois passos importantes para prevenir o Alzheimer

O Alzheimer não tem cura. Mas uma série de medidas preventivas pode diminuir os riscos da manifestação da doença


Cada dia, mais e mais pessoas são diagnosticadas com a doença de Alzheimer. A patologia, que praticamente não se ouvia falar a uma década atrás, avançou muito e hoje já faz parte do nosso vocabulário comum.

Um dos primeiros sinais da manifestação do mal é um leve declínio da memória, manifestada por meio da demência causada pela degeneração do cérebro. Por ser degenerativa, ela vai se tornando mais grave até incapacitar a pessoa, o que pode durar de oito até 25 anos.

Apesar das pesquisas incessantes, ainda não há um consenso sobre o que causa a doença de Alzheimer. Em geral, os pesquisadores acreditam que algo faz com que os genes tornem-se incapazes de conduzirem as proteínas do nosso organismo de forma correta.

Conheça dois passos importantes para prevenir o Alzheimer

Foto: depositphotos

Segundo o médico neurologista e Mestre em Neurociência pela Universidade de Oxford, Martin Portner, o Alzheimer não tem cura. Apesar disso, uma série de medidas preventivas podem diminuir os riscos da manifestação da doença. O especialista deu dicas sobre alimentos e exercícios para o cérebro que devem ajudar você a ter uma vida mais longa e saudável.

Primeiro passo: Invista no seu cérebro

Por se manifestar principalmente no cérebro, você precisa enchê-lo de conteúdo para que ele mantenha-se ativo por muitos e muitos anos. Segundo o neurologista Martin Portner, uma das maneiras mais incríveis para retardar a doença de Alzheimer por até quatro anos é aprender um outro idioma.


Outra iniciativa que pode te livrar desse mal é procurar reduzir o estresse no dia a dia. A ansiedade é um fator determinante para o desenvolvimento da patologia.

Para conseguir manter o cérebro em boas condições, você pode também praticar algum tipo de meditação. Por incrível que pareça, trazer tranquilidade para ele pode ajudar a prevenir a sua degeneração. O médico afirma que um estudo realizado em 2013 comprovou que as pessoas que praticavam meditação por meio da ioga possuíam um menor índice de atrofia no cérebro e diminuíam a produção do hormônio cortisol, que também estimula a doença.

Segundo Passo: Coma os alimentos certos

Para o médico Martin Portner, os sucos de frutas naturais e os vegetais se consumidos por, pelo menos, três vezes na semana, reduzem em até 76% os risco de Alzheimer.

Além dos sucos, as frutas também são poderosas aliadas na prevenção. Para se ter uma ideia, um estudo com ratos em laboratório mostrou que os bichinhos ficaram curados do Alzheimer com a ingestão de morangos e mangas, ricos em fisetina.

As vegetais de folhas verdes também são ótimos combatentes. Por serem ricos em vitamina K, eles retardam o envelhecimento das células. A última dica do médico em relação à alimentação é para você investir da dieta mediterrânea. Inclua no seu cardápio alimentos ricos em Ômega-3, como peixe, frango e azeite.


Reportar erro