Aprenda remédios naturais para tratar a falta de memória

Com o passar dos anos, ou o aumento do estresse, os neurônios vão enfraquecendo. Graças…


Com o passar dos anos, ou o aumento do estresse, os neurônios vão enfraquecendo. Graças a isso, a memória também vai se tornando cada vez mais volúvel. Problemas físicos, como distúrbios da tireoide, podem afetar a memória, da mesma forma que medicamentos como os para pressão alta e ansiedade.

Esses lapsos de memória, quando não são tão recorrentes, podem ser tratados de forma caseira e natural. No entanto, se você acha que sua memória tem piorado significativamente nos últimos seis meses, aconselha-se que procure um médico o quanto antes. No mais, algumas mudanças nos hábitos diários e com a ajuda de plantas e ervas, podemos estimular o nosso cérebro.

Aprenda remédios naturais para tratar a falta de memória

Foto: Reprodução/ internet

Ginkgo biloba

Na Alemanha, o extrato de ginkgo biloba é frequentemente prescrito para evitar tanto a perda de memória quanto acidentes vasculares cerebrais, de acordo com uma comissão governamental que emite relatórios sobre a eficácia de medicamentos fitoterápicos. Tome 120 mg diários de ginkgo, para melhorar o fluxo sanguíneo.

Exercite-se

O exercício físico é sinônimo de saúde e de melhora da memória. Colocar seu corpo em movimento aumenta o fluxo de sangue e consequentemente a oxigenação do cérebro, além de produzir mais neurônios. Qualquer tipo de exercício é bem vindo. Escolha o de sua preferência.

Centella asiática

Não é à toa que essa é a erva preferida dos elefantes. A centella vem sendo usada com este propósito há centenas de anos. Tome 200 mg do extrato padronizado três vezes ao dia.

Ginseng siberiano

O ginseng siberiano ajuda a proteger o corpo dos efeitos negativos do estresse. Acredita-se, ainda, que intensifica o estado de alerta mental. Compre o extrato líquido e siga as instruções da embalagem.


Reduza a ingestão de gordura saturada

Além de obstruir as artérias que alimentam o coração, esse tipo de gordura também obstrui as artérias que seguem para o cérebro. Isso reduz o suprimento de oxigênio. Do mesmo modo, as gorduras trans são nocivas para a memória, também. Evite esses tipos de alimentos.

Água

Nosso cérebro é formado por 85% de água. A desidratação leva à fadiga, que pode ocasionar problemas na memória. Procure beber pelo menos dois litros de água por dia.

Vitaminas do Complexo B

Procure incluir alimentos ricos em vitaminas do complexo B em sua dieta (B6, B12, niacina e tiamina) na sua dieta. Elas ajudam a formar e restaurar o tecido cerebral, além de ajudarem no processo de transformação do alimento em energia mental. Banana, peru, grão-de-bico, carne, grãos integrais, nozes, sementes, germes de trigo e cereais matinais enriquecidos são ótimos exemplos de alimentos ricos nesse ativo.

Peixe

Coma peixe duas ou três vezes por semana. Procure dar preferência às espécies de águas frias, como o salmão, a sardinha, o atum e o arenque. Esse tipo de peixe é rico em ômega-3, que é bom para o coração, para o sangue e ótimo para o cérebro.

Alecrim e manjericão

Compre um pote de óleo essencial de alecrim ou manjericão e coloque um pouco no cabelo, nos pulsos ou na roupa. Você também pode colocar em um difusor, para que perfume o ar. Testes mostraram que inalar uma dessas essências intensifica a produção cerebral, o que também aumenta a percepção.

Café

Bebidas cafeinadas aumentam a concentração. Segundo estudo da Faculdade de Medicina de Lisboa, foi concluído que idosos que bebem três ou quatro xícaras de café por dia mostraram-se menos propensos a apresentar perda de memória do que os que bebem uma xícara.

Desafie sua mente

Procure sempre manter sua mente em funcionamento, com atividades estimulantes, como palavras cruzadas. Tente aprender um novo idioma, ou tocar um instrumento. Esse tipo de esforço faz com que o cérebro trabalhe melhor, fique mais focado e, consequentemente, melhore a memória.


Reportar erro