6 alimentos vegetais ricos em proteínas

As proteínas formam o material para construção e manutenção dos órgãos e dos tecidos que compõem o corpo


Quando se decide parar de comer carne, é preciso estar preparado para suprir as proteínas que o corpo necessita. Já está comprovado que o organismo consegue viver bem e com saúde sem fazer uso de alimentos de origem animal, mas, em contrapartida, é importante manter uma alimentação equilibrada, com adição de produtos que possam suprir tais nutrientes.

No caso dos vegetarianos e veganos – pessoas que não comem carnes de animais e os que além disso não consomem nenhum produto que tenha origem ou que faça testes em animais, respectivamente -, eles adotam uma alimentação rica em leguminosas, verduras, frutas etc. Se você deseja diminuir ou eliminar o consumo de carne do seu prato, é bom ficar atento sobre quais alimentos podem substituir as propriedades desse produto.

Mas afinal, o que é proteína?

Esse nutriente é uma macromolécula formada por no mínimo três pequenas moléculas de aminoácido. Exerce diversos papéis no organismo humano, entre eles, um dos mais importantes, que consiste em formar material para construção e manutenção dos órgãos e dos tecidos que compõem o corpo. Por exemplo, uma pessoa que tem déficit de proteínas pode apresentar cabelos, unhas e pele fracas.

Existem dois tipos de proteínas: a animal e a vegetal. Ambas, ao serem ingeridas, passam pelo processo de digestão e há uma quebra desses nutrientes, e os seus aminoácidos serão utilizados em partes do corpo que estejam necessitando. Outra função desempenhada pelas proteínas é a sua participação na produção de enzimas, hormônios e anticorpos.

6 alimentos vegetais ricos em proteínas

Foto: Pixabay

Vegetais ricos em proteínas

Sementes de girassol

Uma das fontes mais ricas em proteínas é a semente girassol, que contém 20 g desse nutriente em uma porção de 100 g. Além disso, sua atuação está ligada ao bom funcionamento cerebral e ao combate ao envelhecimento precoce. Auxilia também no processo de relaxamento muscular, bem como consegue minimizar os efeitos da menopausa.


Castanha de caju

Há mais de 18 g de proteínas em 100 g de castanha de caju. Rica em diversos aminoácidos é essencial para ajudar no crescimento dos músculos. O seu consumo moderado, ajuda a regular as taxas de colesterol ruim e aumentar as do colesterol bom. Ajuda também no fortalecimento do organismo e ainda melhora a memória e a concentração.

Quinoa

Em 100 g deste produto, há em média 14 g de proteína, sendo assim, é uma ótima fonte desse nutriente. Possui um índice glicêmico baixo, por isso, é ideal para quem é diabético, uma vez que não causa picos de níveis de açúcar no sangue. Além disso, é uma ótima opção para quem gosta de malhar e ganhar músculos, pois a quinoa visa o crescimento muscular.

Lentilhas

10 g de proteínas em 100 g de lentilhas. Por ter uma boa quantidade desse nutriente, a lentilha ajuda compor os músculos. Além disso, previne a anemia, prisão de ventre, diabetes e ainda combate o aumento de colesterol.

Ervilha

Uma porção de 100 g de ervilha proporciona ao corpo a quantidade de 10 g de proteínas. Pode ser usada para combater problemas que afetam a saúde cardíaca, os radicais livres e o envelhecimento precoce. Ainda assim, atua como cicatrizante e no fortalecimentos dos ossos.

Brócolis

Com uma forte ação anticancerígena, o brócolis é muito conhecido como um dos vegetais mais saudáveis que existem. Possui apenas 4 g de proteínas em 100 g, mas tem uma vasta lista de benefícios, que vão desde a prevenção de úlceras até doenças cardíacas.


Reportar erro