Erva cidreira: benefícios do chá e como fazer

A erva cidreira produz um dos chás mais consumidos no Brasil, principalmente nas regiões Norte e Nordeste. Rica em substâncias que fazem bem para a saúde, essa planta é um potente antioxidante que ajuda a combater inflamações, aliviar dores, induzir o sono e até mesmo melhorar o humor.

O nome científico da erva cidreira é Melissa officinalis. Popularmente também é conhecida como erva cidreira verdadeira ou melissa. Essa planta é da mesma família da hortelã e do boldo. E seu sabor e aroma são frutados, que lembra muito os do limão.

Vasinho com ramos de erva cidreira

A erva cidreira é largamente usada em todo país para aliviar cólicas e como calmante (Foto: depositphotos)

Com suas folhas é possível produzir chá medicinal e extrato usado em diversos procedimentos da medicina alternativa. Aqui você aprenderá para que serve este chá, como preparar o mesmo, como tomar corretamente e quais são os cuidados e contraindicações.

Benefícios da erva cidreira

Tem potente ação antioxidante

Um estudo realizado pela Universidade Shahrekord, concluiu que ela detém um alta taxa de substâncias que combatem o estresse oxidativo. (1)

Esse benefício é extremamente importante para a prevenção de doenças relacionadas à saúde celular e metabolismo, como câncer, diabetes, hipertensão, Alzheimer, Parkinsonismo, doenças crônicas, degenerativas, entre outras.

Sendo assim, a erva cidreira pode ser considerada uma erva com ótima ação preventiva de doenças sérias, como reitera outro estudo sobre o tema. (2)

Elimina micróbios do organismo

A erva cidreira possui componentes ativos que estimulam a defesa do corpo e ajudam no combate a bactérias, vírus e fungos presentes no organismo. Além de melhorar a saúde, esse benefício ainda ajuda na imunidade e higieniza o corpo por dentro. (1, 3)

É anti-inflamatória

Pesquisas também atestaram que a planta é capaz de combater inflamações, como a de garganta, artrite e gastrite, e aliviar as dores causadas pelos processos inflamatórios. (1)

Diminui a sensação de dor

Muita gente usa o chá de erva cidreira para combater dores, acreditando se tratar de uma ação analgésica. Na verdade, a planta é sim capaz de aliviar dores, mas através de um processo chamado antinocicepção, que é a redução da capacidade de sentir dor. (1) Por esse motivo, seu chá costuma ser escolhido para abrandar cólicas.

Reduz o estresse e ajuda a dormir

Outro grande benefício do chá de erva cidreira é que ele é capaz de aliviar o estresse, diminuir o nervosismo, reduzir a ansiedade e induzir o sono. Trata-se do efeito sedativo e ansiolítico, que pode inclusive ser benéfico para crianças com dificuldade para dormir. É um excelente medicamento natural contra insônia, principalmente quando associado a outras plantas calmantes, como a camomila e a valeriana. (1, 3)

Melhora o humor

É isso mesmo que você leu. A ciência comprovou através de análises e testes que as propriedades da planta estimulam o bem-estar e o bom-humor em quem as consome regularmente. (3)

Faz bem para a memória e cognição

Além dos efeitos curativos, a Melissa officinalis é considerada uma ótima alternativa natural para o estímulo da saúde cerebral no que diz respeito a manutenção da memória e cognição. Isso significa que é uma planta muito indicada na terceira idade, quando há mais chances de sintomas de perda de memória e sentido mental. (3)

Diminui a pressão sanguínea

O consumo de uma pequena dose do extrato da planta reduz a pressão sanguínea de pacientes, o que pode ser de muita ajuda para pessoas que sofrem de pressão alta. Mas vale lembrar que produtos a base de erva cidreira não substituem remédios receitados por um profissional da área da saúde. (4)

Protege o coração

Um efeito particular da erva cidreira é que ela é um alimento antiarrítmico, ou seja, capaz de prevenir e combater a arritmia. Além disso, um estudo comprovou que uma pequena dose do extrato da planta é capaz de diminuir a frequência cardíaca e aumentar a resistência do coração. (4).

Chá de erva cidreira: como fazer e tomar corretamente

A receita do chá de erva cidreira é bem simples. Tudo o que você vai precisar é de água filtrada e da planta em si. Siga os passos abaixo para produzir a melhor e mais saudável infusão:

  1. Em uma panela, adicione 1 xícara de água filtrada e espere ferver.
  2. Em seguida, desligue o fogo e adicione 1 colher de erva cidreira picada.
  3. Tampe por cerca de 10 minutos.
  4. Por fim, coe e beba sem adoçar.

Quantas vezes tomar o chá?

Uma única xícara do chá já é suficiente para que o organismo absorva os nutrientes e propriedades medicinais da erva cidreira, mas você pode tomar duas tranquilamente ao dia. Só tenha cuidado para não fazer uso em excesso, pois pode te fazer mal além do fato de que o corpo não vai conseguir absorver todos as substâncias em excesso, então não vai servir de nada ingerir uma grande quantidade.

Grávidas podem tomar esse chá?

Podem, mas sem exagero. Em nossa pesquisa, não encontramos contraindicações científicas para o consumo do chá por parte das gestantes. Contudo, sabemos que qualquer substância em exagero faz mal, portanto não consuma em excesso.

Os efeitos positivos do chá de erva cidreira na gestação dizem respeito mais ao desconforto abdominal, cólicas e estresse. Nesses casos, uma xícara do chá não fará nenhum mal.

Cuidados e contraindicações

Durante a produção desse artigo não foram encontradas contraindicações sobre o uso da erva cidreira. Pelo contrário, um estudo afirma que é seguro consumir este chá diariamente. (5) Contudo, é preciso deixar claro que todo exagero faz mal, por isso, use com moderação.

Referências

(1) MIRAJ, S.; RAFIEIAN-Kopaei; KIANI S. Melissa officinalis L: A Review Study With an Antioxidant Prospective. J Evid Based Complementary Altern Med. 2017. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27620926. Acesso em: 28 de set. de 2019.

(2) SOODI, M.; DASHTI, A.; HAJIMEHDIPOOR, H.; AKBARI, S.; ATAEI, N. Melissa officinalis Acidic Fraction Protects Cultured Cerebellar Granule Neurons Against Beta Amyloid-Induced Apoptosis and Oxidative Stress. Cell J. 2017. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28042540. Acesso em: 28 de set. de 2019.

(3) SHAKERI, A.; SAHEBKAR, A.; JAVADI, B. Melissa officinalis L. – A review of its traditional uses, phytochemistry and pharmacology. J Ethnopharmacol. 2016. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27167460. Acesso em: 28 de set. de 2019.

(4) JOUKAR, S.; ASADIPOUR, H.; SHEIBANI, M.; NAJAFIPOUR, H.; DABIRI, S. The effects of Melissa officinalis (lemon balm) pretreatment on the resistance of the heart to myocardial injury. Pharm Biol. 2016. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26457827. Acesso em: 28 de set. de 2019.

(5) NOGUCHIi-Shinohara, ET AL. Pharmacokinetics, Safety and Tolerability of Melissa officinalis Extract which Contained Rosmarinic Acid in Healthy Individuals: A Randomized Controlled Trial. PLoS One. 2015. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4433273/. Acesso em: 28 de set. de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
24 anos, é jornalista e produtor de conteúdo especializado. Atua com produção jornalística há 4 anos. Vencedor do prêmio de empreendedorismo digital “Academic Winner 2017”, promovido pela DeVry University na Califórnia, Estados Unidos. Tem no currículo trabalhos em emissoras de televisão, jornal impresso, revistas e internet. É pernambucano e tem como hobbies escrever, jogar videogames, cinema e estudos sociais.