Tratamento natural para os corrimentos vaginais

Por Daiane Silva

Detalhes sobre a leucorreia

Conheça detalhes sobre a leucorreia | Imagem: Reprodução

Corrimento vaginal, ou leucorreia, ocorre quando há algum problema ginecológico, fazendo com que a secreção vaginal se altere e aumente. Conforme o problema, esse corrimento pode vir acompanhado de odor forte, dor no baixo ventre, coceira, entre outros. Também pode não apresentar nenhum outro sintoma além do corrimento.

Esse problema pode ocorrer em qualquer fase da vida feminina, inclusive nas meninas, já que a higiene, durante a infância, pode ser deficiente. Algumas mulheres, apesar de todas as instruções, ainda fazem a higiene de maneira errada, limpando do ânus em direção à vulva, o que “transfere” as bactérias anais para a região vaginal.

Outros fatores que possibilitam a proliferação de bactérias que causam corrimentos vaginais

  • Roupas muito apertadas e em tecidos sintéticos, são grandes possibilitadoras de ambientes favoráveis às bactérias,
  • as calças também deveriam ser mais folgadas, facilitando a circulação de ar na região.
  • O uso de papel higiênico com perfume,
  • desodorantes íntimos,
  • sabonetes comuns e perfumados,
  • amaciantes de roupas perfumados.
  • uso de toalhas e roupas íntimas alheias,
  • estresse costuma liberar substâncias que propiciam a ação de fungos,
  • gravidez.

Todos esses fatores podem alterar a flora vaginal, causando o aparecimento de vaginites ou vulvovaginites. Esses são alguns dos principais tipos de corrimentos e fungos que causam problemas ginecológicos:

  • VAGINITE ATRÓFICA: a falta de hormônio é a responsável pelo surgimento, principalmente na menopausa, quando pode ser tratada com progesterona, mas também pode ocorrer por falta de hormônio no parto ou na amamentação.
  • VAGINITE IRRITANTE: esta pode ser uma reação alérgica, provocada por diafragma, camisinha, absorvente interno ou externo e cremes diversos.
  • VAGINITE ALÉRGICA: causada por calcinhas de materiais sintéticos, além de roupas apertadas em jeans ou meia-calça.
  • VULVITES: inflamações externas dos genitais ou vulva, que, geralmente são causadas por papéis higiênicos perfumados ou coloridos, sabonetes cremosos e cheirosos, xampus e condicionadores ou pela roupa íntima que foi lavada com certos sabões e amaciantes.
  • CANDIDÍASE: esta micose é causada pela Cândida, (cândida albicans) e é um dos mais incômodos e comuns corrimentos vaginais. Resulta num corrimento espesso como uma nata de leite que é acompanhado de muita coceira e irritação. A Cândida costuma aparecer quando há uma baixa na imunidade do organismo, quando a resistência vaginal está baixa. Podem causar candidíase: a gravidez, infecções e deficiência imunológica, diabetes e o uso de medicamentos como anticoncepcionais, antibióticos e corticoides. É comum o aparecimento desse fungo uma semana antes da menstruação e quase todas as mulheres já apresentaram candidíase ao menos uma vez. Em certos casos, o parceiro apresenta pequenas manchas vermelhas no pênis e o tratamento é feito com antimicóticos.
  • TRICHOMONAS VAGINALIS: este fungo é adquirido sexualmente ou através de contato íntimo com pessoa contaminada. O diagnóstico é feito através de exames clínicos e o tratamento é feito com antibióticos e quimioterápicos, deve ser feito em ambos os parceiros.
  • PAPILOMA VÍRUS: o conhecido HPV se aloja na vagina, colo do útero ou vulva, e é conhecido por “crista de galo” ou “condiloma genital”. As lesões na vagina ou colo do útero só são diagnosticadas através de exames. No diagnóstico também são utilizados teste de papanicolau e colposcopia e até biópsia da área.
  • Em casos de tumores, câncer, o corrimento apresenta-se sanguinolento e sem dor nos estágios iniciais, mas, a medida que a doença evolui, o desconforto aumenta.

Como é possível tratar o corrimento vaginal com remédios caseiros?

Além dos cuidados essenciais com a higiene e também com os produtos que podem causar alergias, como os absorventes perfumados, etc. e com as roupas apertadas e em materiais sintéticos, também deve-se ter uma atenção especial com certas regras de higiene íntima que poderão ajudar a evitar certos tipos de corrimentos:

  • em primeiro lugar, a higiene anal: sempre deve ser feita da frente para trás!
  • durante o ciclo menstrual, fazer lavagens da vagina durante o dia, pode ser apenas com água fria, para que o ambiente úmido e quente não favoreça a proliferação de bactérias, como a cândida. E o absorvente deve ser trocado seguidamente, pelo mesmo motivo.
  • logo após a relação sexual, é importante urinar, mesmo que seja pouca quantidade, já que, assim, bactérias que se alojem na uretra, são expelidas.

Existem também, algumas receitas  de remédios caseiros que podem ajudar a aliviar esses incômodos:

– CENOURA E SALSÃO: meio copo de suco de cenoura, com meio copo de suco de salsão, beber uma hora antes do almoço.

MELÃO: substituir uma das refeições, de preferência o desjejum, por melão, durante 2 meses.