Colágeno: para que serve e como tomar

O colágeno é uma substância essencial para a pele, pois previne as rugas, apresentando uma atividade de anti-envelhecimento natural

Além disso, ela também é indispensável para a saúde dos ossos, articulações, músculos e veias. Portanto, sua ausência afeta as mais diferentes áreas do corpo.

“Os sintomas são inúmeros, vão desde flacidez da pele passando por alterações ósseas e articulares, alterações vasculares, sangramentos, e doenças degenerativas, pois o colágeno é uma proteína responsável pela estrutura conectiva do organismo”, explicou a nutróloga Marcella Garcez.

Imagem de mulher com a pele desgastada e sadia
O colágeno favorece a aparência da pele, retardando o surgimento de rugas e manchas (Foto: depositphotos)

Ainda segundo a profissional, trata-se da proteína mais abundante no organismo dos animais, representando de 25% a 30% de toda a proteína corporal. No entanto, com o passar dos anos as pessoas tendem a perdê-la, necessitando fazer sua reposição através de alimentos ou suplemento.

Benefícios do colágeno

Duarte lembra que existem pelo menos 27 tipos de colágeno e eles podem ser encontrados em todo o tecido conjuntivo ao longo do corpo. Ossos, tendões, cartilagens, veias, pele, dentes e músculos são as estruturas compostas pelas fibras dessa proteína, o que oferece sustentação a esses tecidos.

“É composto de 3 aminoácidos, glicina, prolina e outro, portanto uma proteína suplementar de baixo valor biológico, porque não oferece todos os aminoácidos essenciais, isto é, não substitui outras proteínas como carnes e ovos, por exemplo”, completa a médica.

Mantém a pele jovem

Se manter sem rugas ou marcas de expressão é um desejo comum entre as pessoas. Por essa razão, há o aumento da procura por métodos naturais ou técnicas estéticas para alcançar esses objetivos. 

Segundo a nutróloga Marcella Garcez, essa proteína é responsável por retardar o surgimento de indícios do envelhecimento. Isso porque, ela oferece todo o suporte que a pele precisa para se manter jovial.

“A sustentação da derme se faz pelas fibras de colágeno do tipo 1 presentes nela, por isso a importância dessas fibras para a aparência saudável e jovem da pele”, conta.

A substância melhora a elasticidade e hidratação da pele. Isso tudo sem contar na atividade cicatrizante de ferimentos. (1)

Fortalece ossos e músculos

Como a proteína é um dos principais compostos dos tecidos ósseo e muscular, ela também auxilia na manutenção e reconstituição dessas estruturas.

É importante ressaltar que com a falta da substância no organismo, os músculos acabam ficando flácidos e os ossos perdem a densidade. Além de que a deficiência do nutriente prejudica a elasticidade e a força motora de ligamentos e articulações.

Portanto, tanto a presença natural dessa proteína como a sua suplementação são eficazes na luta contra doenças que afetam os ossos. Osteoartrite e osteoporose são alguns dos exemplos de problemas tratáveis nessas condições. (1,2)

Contribui com o controle da pressão

Conforme dito por Marcella Garcez Duarte, as doenças degenerativas podem ser consequências da carência de colágeno. Um exemplo disso, são os problemas cardiovasculares. 

No entanto, um nível satisfatório dessa proteína confere um efeito preventivo contra a hipertensão. Isso porque, ela age como um vasodilatador hipotensivo, sendo aliado também para o tratamento da pressão alta. (3)

Como tomar a proteína?

A médica explica que os animais, desde os invertebrados até os seres humanos, possuem naturalmente essa proteína no organismo. Contudo, a sua produção é afetada com o passar do tempo.

Desta maneira, é necessário repor essa substância através da alimentação e, em casos mais extremos, da suplementação. Nesse último caso, o colágeno hidrolisado em pó é o mais utilizado. 

Alimentos com colágeno

Por ser um componente presente no corpo dos animais, os ossos, pele e cartilagens deles são fontes da proteína, e isso inclui as carnes vermelhas e brancas.

Mas, segundo Duarte, para ter excelência na absorção desse nutriente, é importante que o corpo esteja com bons níveis de outros componentes. “A síntese de fibras de colágeno para manter estrutura de todos os tecidos conectivos do organismo depende do aporte de proteínas (aminoácidos) adequado e bons níveis de vitamina C circulante”. 

Por essa razão, faz-se necessário investir em uma alimentação rica em frutas fontes dessa vitamina como acerola, mamão, goiaba, limão, laranja, caju etc.

Colágeno hidrolisado em pó

“O colágeno hidrolisado é um suplemento alimentar de fibras de colágeno animal que sofreram um processo de quebra por água (hidrolise) para facilitar a absorção“, explica a nutróloga da Abran.

Nessa fórmula ele pode ser utilizado de duas maneiras: misturado com água e sucos naturais ou através de alimentos que são fortificados com essa substância.

No primeiro caso, é indicado o consumo de 10 gramas diariamente, que podem ser ingeridas em qualquer horário do dia. Já no segundo, é possível aproveitar dos benefícios através do consumo de barras de cereais, gelatinas, sorvetes, iogurte etc.

Além de contribuir com a saúde, o colágeno nesses alimentos auxilia na redução do teor de açúcar e gordura. Ao mesmo tempo, enriquecem todos eles com proteínas. (4)

Dúvidas frequentes

Separamos cinco das principais dúvidas dos internautas a respeito dessa substância e de seu potencial no organismo, e pedimos para que a médica Marcella Garcez Duarte esclarecesse todas elas! 

1- Colágeno emagrece?

“A princípio o suplemento de colágeno não se presta a essa finalidade, porém ele pode ser indicado em um tratamento de emagrecimento com objetivo de prevenção da flacidez de pele que resulta dos processos de perda de peso”, explica a profissional.

Mas claro, ele sozinho não faz milagres e é preciso consciência do usuário. Dessa forma, para emagrecer com saúde e cuidando da estética corporal, recomenda-se uma mudança de hábitos que engloba alimentação e a prática de atividades físicas.

2- Qual a melhor idade para começar a tomar colágeno?

De acordo com a nutróloga, o organismo humano tem a capacidade de sintetizar o colágeno desde o primeiro até o ultimo dia da vida. No entanto, as falhas metabólicas do próprio processo de envelhecimento levam a uma menor renovação e reposição de fibras dessa proteína.

Portanto, quanto mais adulta a pessoa é, mais colágeno ela vai precisar no organismo. Apesar disso, a carência de vitamina C também pode ser um fator que interfira na qualidade e quantidade da proteína, independentemente da idade. Por tudo isso, a melhor saída é buscar pelo aconselhamento profissional.

3- Qual a diferença entre a proteína do tipo 1 e 2?

“O colágeno do tipo 1 compõe principalmente a pele/couro e ossos, enquanto o colágeno tipo 2 compõe as cartilagens”, diferencia.

4- Como vegetarianos e veganos podem repor essa substância no organismo?

Quando se trata da suplementação desse componente, vegetarianos e veganos enfrentam um empecilho: o colágeno suplementar é sempre de origem animal.

Isso faz com que esses grupos não utilizem do produto, uma vez que ele vai contra a filosofia de vida na qual acreditam. Apesar disso, a nutróloga explica que não é preciso preocupação.

“Hoje existem vários suplementos que trazem os aminoácidos presentes nas fibras de colágeno, isolados e associados a vitamina C, que garantem o aporte dos mesmos para que não haja redução na síntese, mesmo que a pessoa não consuma alimentos de origem animal”, tranquiliza .

5- Faz mal tomar esse produto?

Duarte informa que o suplemento é seguro e eficaz, mas que deve ser utilizado nas doses recomendadas por um especialista. Assim, levando em consideração todos esses cuidados, a proteína “é praticamente livre de efeitos colaterais e contraindicações e essa segurança é comprovada por inúmeros estudos científicos”, finaliza.

*Artigo feito com a colaboração da nutróloga Marcella Garcez Duarte, médica e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) (CRM: 12.559).

Referências

(1) FRANCHESCA, D. Choi BS; et al. Oral Collagen Supplementation: A Systematic Review of Dermatological Applications. Universidade da Califórnia, 2019. Disponível em: https://jddonline.com/articles/dermatology/S1545961619P0009X. Acesso em: 23 de dezembro de 2019.

(2) GONÇALVES, Gleidiana Rodrigues; et al. Benefícios da ingestão de colágeno para o organismo humano. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/939b/1538fc3f18e1c9fb659a23590afedddda8fe.pdf. Acesso em: 23 de dezembro de 2019.

(3) SILVA, Tatiane Ferreira da; PENNA, Ana Lúcia Barreto. Colágeno: Características químicas e propriedades funcionais. Artigo Original, Revista Instituto Adolfo Lutz. 2012. Disponível em: http://periodicos.ses.sp.bvs.br/pdf/rial/v71n3/v71n3a14.pdf. Acesso em: 23 de dezembro de 2019.

(4) Colágeno. Aditivos & Ingredientes. Disponível em: http://aditivosingredientes.com.br/upload_arquivos/201606/2016060416784001466433984.pdf. Acesso em: 23 de dezembro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.