Receitas naturais para tratamento de terçol

De acordo com o oftalmologista Lucas Monteiro, o estado morno facilita a drenagem do conteúdo interno do terçol

É possível usar receitas naturais para tratar terçol, um problema muito comum entre adultos, idosos e bebês. Afinal, quem nunca acordou num dia importante – formatura, aniversário, entrevista de emprego ou apresentação de um trabalho, por exemplo – sentindo uma ardência em um dos olhos e, ao olhar-se no espelho, se assustar com o temido e inconveniente terçol?

Na maioria dos casos, ele parte com a mesma facilidade que apareceu. No entanto, se você não quer esperar a boa vontade dele em ir embora,  descubra o que é o terçol e anote alguns tratamentos caseiros simples para aliviar o incômodo e mandar esse intruso para longe.

Além disso, aproveite para conhecer mais sobre esse problema. Por exemplo, você sabe dizer quais são as causas e os sintomas do terçol? E a melhor maneira de evitá-lo? Então não perca tempo e fique por dentro desse assunto, entendendo ainda sobre calázio e blefarite, duas doenças semelhantes ao terçol.

Receitas naturais para tratar terçol

O melhor tratamento caseiro para o terçol é o uso de compressas mornas, de acordo com o médico oftalmologista Lucas Monteiro. Sendo assim, você pode aplicar na região inflamada toalhas limpas e umedecidas com água filtrada morna. Além disso, você pode usar várias vezes ao dia um lenço aquecido por um ferro de passar.

Essas duas técnicas possuem algo em comum: a temperatura. Isso porque, o estado morno facilita a drenagem do conteúdo interno do terçol. Com isso, fica mais fácil emulsificar toda a secreção retida na pálpebra.

Terçol em pálpebra

O terçol é uma inflamação que ocorre em glândulas localizadas nas pálpebras (Foto: depositphotos)

“Alguns casos apresentam melhora espontânea, tendo cuidado de fazer sempre uma boa higiene palpebral. Em casos mais brandos, pode-se usar shampoo neutro para a limpeza durante o banho”, recomenda Lucas, que também é especialista em córnea e cirurgia refrativa.

Também é comum o uso do chá de camomila para obter melhora no quadro de terçol. Mas segundo o médico, ainda não há comprovações científicas que essa infusão tenha propriedades capazes de assegurar o tratamento desse problema.

Para o oftalmologista, a melhora com esse procedimento pode estar associada à temperatura morna do chá quando ele é aplicado, uma vez que, como já vimos, o calor pode auxiliar a expulsar o conteúdo retido.

Veja tambémNão descuide da saúde dos olhos! Evite alguns hábitos

Outros tratamentos

Outro procedimento utilizado e recomendado pela tradição popular é uma aliança aquecida. Primeiro, fricciona o anel na mão e quando ele estiver quente, deve ser aplicado na região do olho afetada. Esse procedimento também leva em consideração o calor como forma de tratamento. No entanto, pode não ser seguro devido aos micróbios existentes na aliança que podem piorar a inflamação.

Mas além dos tratamentos caseiros, os casos agudos de terçol podem ser controlados com o uso de pomadas indicadas pelo médico durante consulta. “Em casos que não melhoram com o tratamento clínico, por exemplo aqueles pacientes que apresentam recorrência frequente ou que o conteúdo não drena espontaneamente está indicado a retirada cirúrgica. Trata-se de um procedimento simples realizado em bloco cirúrgico pelo oftalmologista”, explica o profissional.

O que é terçol?

Terçol é o nome popular do hordéolo e é uma inflamação que ocorre em glândulas localizadas nas pálpebras, podendo ser crônica ou aguda. “Pode acometer qualquer pálpebra (superior ou inferior) e em mais de um local. Em alguns casos, há melhora espontânea ou com tratamento clínico em poucos dias, mas a evolução é bem imprevisível, pois pode durar semanas e necessitar de conduta cirúrgica”, complementa o médico.

Veja tambémExercícios para os olhos funcionam? Veja como fazer

Causas e sintomas desse problema

Como você já viu, existem algumas glândulas localizadas nas pálpebras, tanto inferior como superior. Quando essas glândulas são bloqueadas por um acúmulo de resíduos, forma-se uma inflamação chamada popularmente de terçol.

Olho com terçol

O terçol pode aparecer tanto na pálpebra inferior, como na superior (Foto: depositphotos)

Portanto, esse problema é decorrente da falta de higiene nos olhos e do acúmulo de resíduos que obstruem as glândulas. Entre os resquícios mais comuns estão as secreções, poeira, maquiagem e suor.

“Os principais sintomas são: vermelhidão, edema, dor e calor no local inflamado. No quadro agudo pode apresentar um ponto amarelado, por onde pode-se drenar pus”, cita Lucas Monteiro.

Esse pontinho amarelo pode ser confundido com uma espinha devido aos aspectos visuais. No entanto, é preciso lembrar que assim como a acne, o terçol não deve ser espremido. Tanto as mãos sujas como a pressão feita no hordéolo podem piorar a inflamação no olho, por isso trate do problema em casa apenas com as técnicas já mencionadas.

Como evitar o terçol?

Segundo o oftalmologista, em algumas pessoas é realmente complicado prevenir o terçol. Isso ocorre porque elas podem estar predispostas a desenvolvê-lo. Apesar disso, a melhor maneira de se manter seguro desse problema é cuidando da saúde do olho, principalmente no que se refere à uma boa higiene palpebral.

Assim, durante o banho ou ao acordar, lave o rosto com um shampoo ou sabonetes neutros. Mantendo assim a limpeza apropriada nas pálpebras. “Uma das maiores dicas vai para as mulheres: nunca dormir de maquiagem. Retirá-la sempre ao final do dia, isso diminui bastante a chance de desenvolver o terçol”, recomenda o médico especialista.

Veja também: As pálpebras dos seus olhos tremem? Então tome conhecimento disso

Terçol, calázio ou blefarite?

Apesar de muito comum, o terçol pode ser confundido com outros problemas que afetam a saúde dos olhos, são eles: calázio e blefarite. Isso porque, os sintomas desses três problemas são bastante parecidos. Mas mesmo com a confusão, é importante destacar que eles são três condições bem diferentes e que por isso necessitam de tratamentos diferenciados.

Segundo o médico oftalmologista, o terçol é mais associado a um quadro agudo infeccioso. “Quando há melhora da infecção mas não há drenagem do conteúdo, este fica encapsulado na pálpebra e então passa a ser chamado de calázio. Neste caso, o tratamento é cirúrgico”, explica o profissional. Portanto, é possível dizer que o calázio é uma consequência de um terçol mal curado.

Já a blefarite, que também é uma inflamação, pode acometer tanto as pálpebras como os próprios cílios. “Geralmente presente nas duas pálpebras (superior e inferior) e de ambos os olhos. Trata-se de um acometimento bem mais frequente do que se imagina”, completa o oftalmologista Lucas Monteiro.

*Artigo feito com a colaboração do médico oftalmologista especialista em córnea e cirurgia refrativa, Lucas Monteiro (CRM PB – 7939).

Sobre o autor

Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.