3 remédios caseiros para hemorroidas internas e externas

Quem já teve hemorroidas sabe que os sintomas são bastante incômodos. As veias inchadas e inflamadas podem causar dor, ardência, dificuldade para se sentar e até sangramentos.

Segundo a coloproctologista Giovana Zibetti, a hemorroida é uma das doenças mais frequentes que acometem a região do ânus. Porém, muitas pessoas ainda têm vergonha de ir ao médico, o que pode agravar os sintomas ou atrasar o diagnóstico de outras doenças.

Tratamentos caseiros para hemorroidas

Existem alguns tipos de remédio caseiro para hemorroida que podem ajudar a aliviar os sintomas. Mas saiba que o tratamento adequado deve ser feito sempre com um médico especialista.

Aplicar gelo ou compressas mornas alivia a dor e desincha a região (Foto: depositphotos)

Giovana indica três soluções simples para fazer em casa. Porém, nos casos em que não há melhora em um curto período de tempo, ela reforça a necessidade de procurar um coloproctologista para uma avaliação.

1. Aplicação de gelo

A médica afirma que nos casos de hemorroidas externas agudas, a aplicação de gelo no local diminui o inchaço e a dor. O gelo também é eficiente quando a hemorroida estourar e sangrar.

Ela explica que em alguns casos a hemorroida externa drena o coágulo e sangra, havendo alívio da dor. Isso acontece porque a pele rompe.

“É o próprio organismo resolvendo o problema. O sangramento normalmente não é de grande quantidade. Para parar este sangramento pode-se fazer compressas com gelo e comprimir o local com uma gaze ou algodão”, ensina.

2. Banho de assento com água morna 

Nos casos mais crônicos de dor e aumento de volume, o banho de assento com água morna está indicado. Giovana diz que a bolsa de água quente também pode ser usada no local para alívio dos sintomas.

“O calor local, com banhos de assento de água morna, ou com bolsa de água quente, alivia o desconforto e a dor anal e ainda ajuda a diminuir o tamanho das hemorroidas em crises agudas”, diz. 

O tempo indicado pela médica é de 10 a 20 minutos. Ela alerta sobre o cuidado com a temperatura da água, que não deve ser muito quente para evitar a queimadura local.

Após o procedimento, também é preciso secar bem a região anal para não deixá-la úmida.

3. Compressa e banho de assento com ervas

Outro remédio caseiro para hemorroida são as plantas medicinais. Porém, apesar de serem muito utilizadas, Giovana afirma que ainda existem poucos trabalhos científicos a respeito do uso da fitoterapia para o tratamento de hemorroida.

“O uso popular de algumas plantas pode auxiliar em quadros de inflamação da pele e doença hemorroidária, como a camomila, o alecrim e a hamamélis, que possuem efeitos anti-inflamatórios. Pode ser realizado o banho de assento com o chá destas ervas ou a aplicação de compressas localmente”, orienta a profissional.

Ela comenta ainda que beber os chás destas ervas também pode ser um adjuvante no tratamento, mas que é essencial procurar o auxílio de um profissional e evitar a automedicação.

O que é a hemorroida? 

Giovana explica que as hemorroidas são um conjunto de vasos que fazem um acolchoamento da parte interna do ânus, protegendo a musculatura anal durante a passagem das fezes na evacuação. Elas também auxiliam o fechamento do ânus no repouso.

“São estruturas que possuímos normalmente, porém, quando aumentam de tamanho, podem dar sintomas, como sangramento e prolapso, que é a exteriorização para a parte de fora do ânus”, esclarece a médica.

As hemorroidas são classificadas entre internas e externas. Enquanto as externas geralmente são agudas, as internas são crônicas e desenvolvidas ao longo dos anos e não costumam ser dolorosas. (1)

“As internas podem aumentar de tamanho, em graduações diferentes de 1 a 4, e podem se exteriorizar e sangrar. Já as externas podem inchar e causar dor de forte intensidade. Quando há um nódulo doloroso na margem do ânus, é chamada de trombose hemorroidária externa”, expõe Giovana.

A especialista diz que as hemorroidas grandes podem ficar constantemente para fora do ânus, gerando grande desconforto local, sangramento, umidade e irritação da pele da margem do ânus.  Elas podem, inclusive, serem notadas na roupa íntima.

“Pode acontecer também o surgimento de plicomas, que é o excesso de pele na margem do ânus. Ocorre, geralmente, após uma crise de trombose hemorroidária externa ou por esforço para evacuar. Estes plicomas podem inchar causando dor e podem dificultar a higiene anal”, complementa.

Já o sangramento é o principal sintoma das hemorroidas e ocorre quase sempre ao evacuar, especialmente quando as fezes estão ressecadas. (2)

A passagem do bolo fecal endurecido causa pequenas lesões na mucosa anal, provocando sangramento. O sangue é vermelho vivo e pode ser visto nas fezes, no vaso sanitário ou no papel higiênico. (2)

Principais causas da hemorroida

De acordo com Giovana, as principais causas da hemorroida são: constituição física, esforço excessivo ao evacuar, intestino preso, constipação intestinal, hábitos alimentares inadequados e permanecer muito tempo sentado no vaso sanitário.

Ela também pode ser causada por fatores genéticos; pela gravidez, devido ao aumento da pressão intra-abdominal; e até mesmo por exercícios físicos exagerados. 

Cuidados e prevenção

Uma das principais formas de prevenção da hemorroida está na alimentação. Giovana aponta que comer fibras é muito importante para o intestino e recomenda o consumo de alimentos integrais, verduras, legumes e frutas.

“Além de proporcionarem um bom funcionamento do intestino, esses alimentos fazem bem ao organismo como um todo, pois possuem vitaminas, minerais e nutrientes necessários para o nosso corpo”, enfatiza a médica.

Outra dica da especialista é ingerir bastante líquidos, pois a fibra absorve a água e ajuda a aumentar o bolo fecal: “este estimula as contrações do intestino que conduzem as fezes até o final do intestino, desencadeando o reflexo da evacuação”.

Ela ressalta que se a ingestão de líquidos é insuficiente, as fezes podem ficar ressecadas, endurecidas e causar mais desconforto ao evacuar.

A profissional recomenda ainda a ingestão de gorduras boas, que também auxiliam as fezes a ficarem mais macias. “A evacuação de fezes macias e sem esforço diminui a chance de ter hemorroidas”.

As outras medidas de prevenção incluem: não fazer esforço para evacuar e evitar permanecer muito tempo sentado no vaso sanitário, pois isso aumenta a pressão na região anal e favorece o aumento de volume das hemorroidas.

Atenção ao uso do papel higiênico

A última dica da especialista é sobre o uso do papel higiênico. Ela diz que ele não causa hemorroida, porém pode comprometer a higiene da região anal, principalmente quando a consistência das fezes é mais amolecida.

“Por este motivo, a preferência é fazer a higiene após a evacuação com água ou lenços umedecidos sem perfume. O que também acontece na presença de plicomas”, orienta Giovana.

Esse teste foi feito com a colaboração da médica coloproctologista Giovana Zibetti (CRM  52-76056-0).

Referências

(1) MARTINS, Ana Cláudia Magnus et al. TELECONDUTAS Nº 18 – HEMORROIDAS. TelessaúdeRS-UFRGSPorto Alegre, 2018. Disponível em: https://www.ufrgs.br/telessauders/documentos/telecondutas/tc_hemorroidas.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2020.

(2) MARQUES, Ana Beatriz Pagliuso. Doença Hemorroidária: Uma revisão de Literatura. FACERES, São José do Rio Preto, São Paulo, 2017. Disponível em: https://faceres.com.br/wp-content/uploads/2014/01/DOENCA-HEMORROIDARIA-UMA-REVISAO-DE-LITERATURA.pdf. Acesso em 11 de fevereiro de 2020.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Mariana Keller
Jornalista (MTB-RJ: 36167), formada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela PUC-Rio e especialização em Jornalismo Cultural, pela UERJ. Como redatora web, escreve matérias sobre assuntos diversos. Também atua na área de marketing de conteúdo e produção audiovisual.