Hissopo – Conheça suas propriedades

As plantas medicinais são utilizadas há muito tempo (desde os tempos pré-históricos da medicina), sendo…


Hissopo - Conheça suas propriedades

Imagem: Reprodução

As plantas medicinais são utilizadas há muito tempo (desde os tempos pré-históricos da medicina), sendo descobertas por diversos povos ao redor do mundo e “participando” de várias culturas. Até os dias de hoje continuam com um grande papel no processo de cura de algumas doenças, contudo, com o avanço da medicina e da tecnologia, agora é possível estudá-las melhor (pois muitas contém substâncias tóxicas), definir suas doses (apesar de curarem, estabelecer uma dose é importante para que o paciente não exagere e acabe piorando com os efeitos colaterais) e colocar menos pessoas “em risco”. O Hissopo é assim, pois enquanto possui muitos benefícios, também tem o seu lado perigoso.


O que é o Hissopo?

Dentro da área das plantas medicinais, no meio de toda a sua diversidade, está o Hissopo (ou Hyssopus officinalis). Nada mais é do que um arbusto de porte pequeno, lenhoso em sua base e bastante ramificado. Tem como principal habitat a zona da Europa Meridional, mas especula-se que sua origem é, na verdade, Mediterrânea. Costuma crescer em solos calcários, nos taludes secos e até nas rochas ou paredes. Entre os meses de Junho e Setembro, ocorre com o hissopo a época que chamamos de “Floração”. No Brasil, o hissopo aparece raramente, contudo, é cultivada como planta melífera e a nível industrial, pois é uma planta medicinal (ou seja, com fins farmacêuticos). Muitos consideram esta planta como “de feiticeiras”, e é ambivalente (é benéfica e maléfica ao mesmo tempo, em alguns casos).

Ficha completa do Hissopo

  • Nomes populares: hissopo-das-farmácias, erva-sagrada, sambaicaitá, hyssop (em inglês), hissopo (espanhol), hysope (em francês), issopo (italiano), ysop (alemão).
  • Suas propriedades químicas: ácido caféico, ácido ursólico, benzaldeído, borneol, canfeno, cânfora, carvacrol, cetona, cholina, cineol, colina, criptona, elemol, eugenol, a e B-felandreno, geraniol, heterósido, hissopina, a-humuleno, limoneno, linalol, metil-chavicol, nerol, a-pineno, resina, sabineno, B-sitosterol, taninos, a-terpineno, timol, a e B-tujeno, verbenol.
  • Benefícios na medicina: essa planta é antiespamódica, anti-inflamatória, antisséptica, aperitiva, carminativa, cicatrizante, depurativa, estimulante, estomacal, expectorante, fluidificante de mucos e catarros, relaxante, sedativa, sudorípara e tônica.
  • Indicado para: asma, bronquite, tosse e rouquidão. Se usado como loção, auxilia contra queimaduras, reumatismo e dores musculares.
  • Não indicado para: grávidas – seu uso durante a gravidez pode ser prejudicial para a mãe e o bebê – e para aqueles que pretendem usar mais que 2 gramas de essência.
  • Como usar o hissopo: é mais usado como chá, porém também existem loções.
  • Partes utilizadas: suas folhas, rizomas, casca e frutos. 

Reportar erro