Alimentação por sonda: conheça os tipos de dietas

Algumas pessoas não podem se alimentar da forma tradicional, por isso fazem uso da sonda. Mas ficam em dúvida quanto ao cardápio


Algumas pessoas por motivos diversos não podem se alimentar da forma tradicional, por isso fazem uso da sonda. Mas na hora de escolher o melhor cardápio, surge uma dúvida entre o uso da dieta industrializada ou da dieta enteral caseira.

A dieta enteral caseira ou, simplesmente, artesanal, é preparada com alimentos naturais, ou seja, eles são processados, batidos no liquidificador e peneirados até que adquiram uma textura fina e homogênea para passar pela sonda.

Já a dieta industrializada, como o próprio nome já diz, são produtos prontos para o consumo que podem vir em forma de pó para serem diluídos em água, e na forma de líquidos.

Alimentação por sonda: conheça os tipos de dietas

Foto: depositphotos

Segundo a nutricionista Joanna Lima da Nova Nutrii, “a alimentação enteral, apesar de segura, é muito mais delicada do que a alimentação oral. Logo, se a dieta convencional já requer uma atenção quanto as restrições e necessidades individuais do paciente, esses cuidados devem ser redobrados na dieta enteral em domicílio”.

Qual é a melhor dieta por sonda?

Muitos outros fatores influenciam na hora da decisão entre a dieta artesanal e a industrializada. Ambas têm benefícios e diferenciais.


Como por exemplo, a dieta enterais que por ser feita por alimentos naturais e frescos não pode ser armazenada por mais de um dia. Os alimentos industrializados também tem um período pequeno de validade após a abertura da embalagem.

No caso da dieta enteral caseira, deve-se considerar a necessidade de preparar novas refeições todos os dias. Para pessoas que possuem rotina corrida e não dispõem de uma pessoa dedicada à essa tarefa, a dieta industrializada pode ser uma opção mais prática e segura, ainda que também possua prazo de conservação limitado após aberta”, explica a nutricionista, Joanna Lima.

Outro fator a ser considerado é o custo da dieta, pois por vezes, o cardápio elaborada em casa pode sair mais caro que o industrializado, isso porque, a manutenção de alimentos sempre frescos pode pesar no orçamento.

Um das vantagens da dieta industrializada é em relação ao risco pequeno de contaminação, uma vez quando fazemos alimentos em casa, esquecemos de tomar cuidados básicos com a higienização dos espaço, dos ingredientes e dos utensílios utilizados.

“Do ponto de vista nutricional, a dieta artesanal, quando de acordo com as orientações médicas, é tão completa quanto a industrializada. Por outro lado, a industrializada é mais prática, especialmente para aqueles que não dispõem de tempo para preparar novas refeições todos os dias. Em todo caso, inúmeros fatores são considerados em conjunto com o paciente antes de indicar qual a mais adequada para sua rotina”, explica a nutricionista que afirma ainda que, tanto a dieta enteral como a artificial, podem ser ministradas em diferentes períodos para as pessoas que possuem dificuldades de engolir, deglutir ou digerir os alimentos normalmente. Ou seja, os especialistas podem alternar a forma da dieta de acordo com as necessidades do paciente.


Reportar erro