Remédio caseiro para o rotavírus

Você já deve ter ouvido falar sobre o rotavírus em algum lugar. Esse agente viral causa alguns tipos de diarreia aguda, e coloca muitas pessoas (principalmente crianças) em situação de risco. Neste artigo, você vai aprender tudo sobre as doenças causadas por esse vírus e como se tratar usando remédios caseiros.

Em primeiro lugar, é importante deixar claro que, em caso de diarreia aguda persistente por mais de dois dias, um médico deve ser consultado. Em crianças, o caso precisa ser tratado com ainda mais urgência. Estamos falando sobre uma doença séria, que muitas vezes é tida como uma doença simples.

O que é o rotavírus?

Antes de qualquer coisa, é importante deixar claro que as informações contidas neste artigo foram retiradas ou confirmadas pelo Ministério da Saúde do Governo Federal Brasileiro. Dito isso, veja todas as informações a seguir.

O rotavírus é um dos principais agentes virais causadores das conhecidas doenças diarreicas agudas (DDA). Ele pode entrar no organismo de pessoas de todas as idades, mas a gastroenterite (a manifestação clínica da doença causada por esse vírus) é mais prevalente em crianças pequenas. Portanto, é muito importante levar essa doença a sério.

Homem com dor de barriga

Além da dor de barriga, os rotavírus podem causar febre, mal-estar e vômito (Foto: depositphotos)

Um estudo realizado em 2014 aponta que as gastroenterites agudas (GA) de origem viral são consideradas como uma das principais causas de morte em crianças menores de 5 anos de idade (1, 2). Nesse caso, o rotavírus, norovírus e astrovírus foram apontados como os principais responsáveis.

Tratamento natural: remédios caseiros contra o rotavírus

Apesar de ser uma doença séria, que deve ser tratada com remédios receitados por um (a) médico (a), existem algumas opções naturais que potencializam o tratamento. Além de reduzir os sintomas, eles podem acelerar a recuperação e mandar o mal-estar embora. Confira a lista:

  • Chá de amora
  • Soro caseiro
  • Comer nabo
  • Cuscuz de milho.

Viu só quantas opções naturais para auxiliar no combate ao rotavírus e os seus males? Além destes citados, existem outras alternativas naturais, mas separamos apenas as principais e mais potentes para você.

Veja como cada remédio funciona

Nesta etapa, vamos te falar um pouco mais sobre cada um dos remédios caseiros listados acima. Aqui você também encontrará as informações que comprovam que eles são realmente benéficos. Confira nossas referências no fim do artigo!

Chá de amora

Muita gente não sabe, mas o chá de amora é excelente para combater diarreias e infecções intestinais (4, 5). De acordo com estudos científicos, esse benefícios são resultados da sua composição rica em antioxidantes e polifenóis.

Além disso, o consumo do chá sem açúcar, ainda pode apresentar uma leve ação antiviral e antibacteriana.

Este chá deve ser feito com as folhas limpas da amoreira. Ferva uma xícara de água e coloque em uma xícara. Em seguida, adicione 3 folhas de amora e tampe por 10 minutos. Por fim, retire as folhas e beba sem adoçar por até duas vezes por dia.

Soro caseiro

O consumo do soro caseiro é necessário sempre que alguém passa por um quadro agudo de diarreia (6). A simples misturinha é capaz de reidratar o organismo, que perde muita água a cada evacuação, o que pode causar desidratação e piorar o quadro da doença.

Em um litro de água mineral fria, adicione uma colher pequena (de chá) de sal e uma colher grande (de sopa) de açúcar. Em seguida, misture bem e ofereça o dia inteiro ao doente em pequenas colheradas.

Comer nabo

A ciência comprova que o nabo é excelente para “encurtar” quadros de diarreias. Além de ser uma fonte de fibras e proteínas vegetais, o nabo é fonte de vitamina C, que aumenta a imunidade do corpo contra os vírus e bactérias que causam a diarreia (7).

Cuscuz de milho

O cuscuz (ou farelo) de milho também é excelente para quem está com diarreia. Análises apontam que é um alimento saudável, rico em fibras, que ajuda a regular o sistema digestivo, principalmente o intestino (8).

Mas, cuidado com o que você come junto com o cuscuz, pois algumas combinações comuns (principalmente molhos que levam óleo) podem fazer a diarreia piorar.

Quais são os sintomas?

Segundo informações retiradas dos portais do Ministério da Saúde brasileiro e da Khan Academy, existem alguns sintomas comuns da virose da mosca (1, 3), como diarreia com aspecto aquoso e/ou gorduro e febre média ou alta.

Além destes, que são os principais, pessoas que tenham o rotavírus no organismo também podem apresentar os seguintes sintomas:

  • Vômitos
  • Dor de cabeça
  • Mal-estar
  • Dor no corpo
  • Desconforto abdominal
  • Desidratação.

Vale lembrar que nem todo paciente apresenta todos os sintomas, e alguns podem apresentar mais do que esses que foram listados. Além disso, a desidratação provocada pela diarreia pode causar também a diminuição da urina.

Além dos sintomas citados, também estão relacionadas com essa doença o surgimento de calafrios e tonturas.

O que causa a doença?

Ainda de acordo com informações do Ministério da Saúde, o rotavírus é transmitido pela via fecal-oral (contato com água, alimentos poluídos com o vírus e fezes de pessoas contaminadas). É um agente viral encontrado em altas concentrações nas fezes de crianças infectadas, por exemplo.

O período de incubação do vírus é de dois dias, em média. A partir do terceiro ou quarto dia, o paciente já começa a transmitir o vírus em suas próprias fezes. Além disso, é possível detectar rotavírus nas fezes de pacientes mesmo após a completa resolução da diarreia.

Como evitar essa doença

O Ministério da Saúde e outras autarquias de saúde recomendam alguns cuidados para não adquirir a gastroenterite causada pelo rotavírus. Essas precauções servem para a prevenção de outras doenças e enfermidades diarreicas. Confira:

  • Sempre lave as mãos antes e depois de ir ao banheiro, trocar fraldas e manusear alimentos
  • Após tocar em animais (principalmente os de rua), higienize as mãos com água, sabão e álcool
  • Mantenha o aleitamento materno até os 2 anos de idade, pois o leite materno tem anticorpos que protegem a criança dessa e outras doenças
  • Higienize sempre os utensílios de cozinha usados na preparação de alimentos e guarde-os onde moscas e outros insetos não possam ter contato
  • Armazene os alimentos em potes fechados para que não tenham contato com insetos, principalmente moscas e formigas
  • Não utilize água de riachos, rios ou poços na alimentação
  • Se você está doente, sempre use a privada. Em caso de isso não ser possível, enterre as fezes após a evacuação. Isso vai impedir que outras pessoas ou animais se contaminem
  • Mantenha sempre o lixeiro do banheiro fechado.
Lavando as mãos

Lave as mãos depois de ir ao banheiro, tocar em animais ou trocar fraldas, por exemplo (Foto: depositphotos)

Quando um médico deve ser consultado?

Em adultos, é comum apresentar diarreias de vez em quando. Pode ocorrer após a ingestão de um alimento estragado, alergênico ou mesmo muita quantidade de leite e derivados.

Contudo, no caso do rotavírus, a diarreia é muito líquida, explosiva (quando não dá pra segurar) e o paciente apresenta febre. Se durar mais do que um dia, já procure um especialista.

No caso de crianças menores de 5 anos, é preciso ficar atento(a) as fezes das mesmas. Diarreia juntamente com febre é um péssimo sinal em crianças pequenas. Procure um médico o quanto antes.

Crianças maiores de 5 anos devem ser orientadas para sempre avisar aos pais quando sentirem problemas digestivos e intestinais. Assim, é possível estar ciente sobre o quadro e procurar um especialista caso haja suspeita do rotavírus.

Como é feito o tratamento?

Em suma, para tratar a diarreia causada pelo rotavírus é necessário fazer a reposição de líquidos e minerais para prevenir ou corrigir a desidratação. Além disso, é preciso realizar o manejo nutricional adequado e o uso de medicamentos para cada tipo específico de gastroenterite.

De uma maneira geral, após a consulta e avaliação clínica, o paciente deve ser submetido ao tratamento adequado de acordo com o Manejo das Doenças Diarreicas Agudas, que estabelece:

  • Correção da desidratação e do desequilíbrio eletrolítico (Planos A, B ou C)
  • Uso adequado de medicamentos de combate a doença
  • Combate a desnutrição, se houver
  • Prevenção de complicações
  • Alívio e combate de sintomas.

 

Referências

  1. MINISTÉRIO DA SAÚDE – GOVERNO FEDERAL. “Rotavírus (rotavirose): o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção“. Disponível em: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/rotavirus. Acesso em 04/04/2019.

  2. de CARVALHO, T. C. N.; GABBAY, Y. B.; SIQUEIRA, J. A. M.; LINHARES, A. D. C.; PARENTE, A. T. “Conhecimento sobre gastroenterite viral pelos profissionais de saúde de um hospital materno-infantil de referência no Estado do Pará, Brasil“. 2014. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/pdf/rpas/v5n3/v5n3a02.pdf. Acesso em 04/04/2019.

  3. KHAN ACADEMY. “O que é gastroenterite?” Disponível em: https://pt.khanacademy.org/science/health-and-medicine/gastrointestinal-system-diseases/gastroenteritis/a/what-is-gastroenteritis. Acesso em 04/042019.

  4. Zou, Y., Chang, S. K., Gu, Y., & Qian, S. Y. “Antioxidant activity and phenolic compositions of lentil (Lens culinaris var. Morton) extract and its fractions“. 2011. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3063125/. Acesso em 04/04/2019.

  5. SKROVANKOVA, S. et al. “Bioactive Compounds and Antioxidant Activity in Different Types of Berries“. 2015. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26501271. Acesso em 04/04/2019.

  6. BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE. “Diarreia e desidratação“. Dicas em Saúde. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/214_diarreia.html. Acesso em 04/04/2019.

  7. WINTERGERST, E. S., MAGGINI, S., HORNIG, D. H. “Immune-enhancing role of vitamin C and zinc and effect on clinical conditions“. 2006. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16373990. Acesso em 04/04/2019.

  8. UNITED STATES DEPARTMENT OF AGRICULTURE: AGRICULTURAL RESEARCH SERVICE – Basic Report: 20015, Corn bran, crude. Disponível em: https://ndb.nal.usda.gov/ndb/foods/show?ndbno=20015&fg=20&man=&lfacet=&format=Abridged&count=&max=25&offset=0&sort=c&qlookup=&rptfrm=
    nl&nutrient1=291&nutrient2=&nutrient3=&subset=0&totCount=147&measureby=g.
    Acesso em 04/04/2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
24 anos, é jornalista e produtor de conteúdo especializado. Atua com produção jornalística há 4 anos. Vencedor do prêmio de empreendedorismo digital “Academic Winner 2017”, promovido pela DeVry University na Califórnia, Estados Unidos. Tem no currículo trabalhos em emissoras de televisão, jornal impresso, revistas e internet. É pernambucano e tem como hobbies escrever, jogar videogames, cinema e estudos sociais.