7 benefícios da rhodiola rosea

O dia a dia de muita gente se resume a tentar conciliar trabalho, casa, estudo, casamento, filhos,… e nessa correria o estresse e fadiga tomam conta do corpo e da mente. Também é preciso desacelerar, restabelecer as condições físicas e mentais e é aí que entra a rhodiola rosea.

Conhecida popularmente como “raiz de ouro, “raiz do ártico” ou “raiz dourada”, ela uma planta utilizada na medicina tradicional da Europa e Ásia devido às suas propriedades estimulantes sobre o sistema nervoso, antifadiga e antidepressiva. (1)

Colher com raiz seca da rhodiola rosea

O chá da rhodiola rosea é feito a partir da raiz seca com a finalidade de acalmar (Foto: depositphotos)

A rhodiola rosea é uma verdadeira aliada no combate ao estresse e cansaço que, se não tratados, podem resultar em prejuízo na qualidade de vida, interferindo no desempenho e diminuindo o rendimento nas atividades.

A utilização da raiz de ouro auxilia na atenuação desses sintomas e no restabelecimento das condições físicas e mentais do indivíduo. (2)

7 benefícios da rhodiola rosea

O extrato da rhodiola rosea possui benefícios cientificamente comprovados, dentre esses efeitos neuropsicotrópicos estão: propriedades antidepressivas, ansiolíticas, neuroprotetoras e pró-cognitivas. Confira:

1- Diminui o estresse

A capacidade de redução do estresse e depressão é atribuída a rhodiola rosea, uma vez que desordens emocionais e mentais são aliviadas em função do seu efeito estimulante sobre o sistema nervoso central, por elevar as concentrações de dopamina, noradrenalina e serotonina no cérebro. (1)

No tratamento do estresse, as plantas adaptogênicas, ou seja, aquela capaz de estimular o sistema imunológico, aumentando a resistência do organismo a estressores químicos, físicos e biológicos (1), vêm sendo utilizadas como reguladores naturais que aumentam a capacidade de adaptação do corpo a fatores ambientais, evitando danos. (3)

2- Alivia a fadiga

O consumo dessa erva é sobretudo indicado nas situações onde exista uma demanda física e/ou mental excessiva, resultando em sintomas de fadiga, cansaço, diminuição no rendimento do trabalho, redução da agilidade mental e de reflexos e também diminuição no rendimento e da capacidade de desempenhar exercícios físicos. (2)

O extrato seco retirado do rizoma da rhodiola rosea melhora o humor, o desempenho, a atenção e alivia a fadiga cognitiva. (3)

3- Melhora rendimento físico

Ele também consegue melhorar a capacidade locomotora. Atletas profissionais que utilizaram estes extratos para incremento da atividade física apresentaram estimulação dos processos anabólicos na musculatura e aumento na resistência durante exercício físico. (1)

4- Aumenta a concentração

Uma das funções da rhodiola rosea é aumentar a concentração, melhorando as atividades pró-cognitivas. Ela se destaca pela eficácia apresentada no desempenho mental de quem a utiliza com melhoras significativas no desempenho cognitivo com maior facilidade no aprendizado e memorização. (3)

5- Controla a diabetes

A raiz de ouro consegue controlar a diabetes. Seus princípios ativos possibilitam reduzir a glicose sanguínea, protegendo diabéticos do estresse oxidativo. (1)

6- Combate a ansiedade

Uma das propriedades da raiz de outro é sua ação ansiolítica, combatendo quadros de ansiedade decorrentes ou não de estresse.

7- Anticancerígeno

Foi comprovada a atividade antitumoral e anticarcinogênica da planta. O extrato de rhodiola rosea inibiu o crescimento de tumores e metástases. (1)

Como consumir a raiz de ouro

Existem duas formas de se desfrutar dos benefícios dessa planta: por meio das cápsulas ou na forma de chá.

Cápsulas

As cápsulas devem ser tomadas pela manhã, não sendo indicadas para os períodos da tarde e noite devido ao risco de interferir no sono. Para tanto, seu consumo deve ser orientado e acompanhado por um médico especialista a fim de se evitar a superdosagem e o uso inadequado.

É possível encontrar as cápsulas da erva em farmácias de manipulação ou mesmo em sites que comercializem artigos de medicina alternativa.

Chá

O chá da raiz de ouro deve seguir a mesma lógica do consumo das cápsulas, devendo ser ingerido pela manhã.

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) da raiz da rhodiola rosea
  • 1 xícara de água (250 ml).

Modo de preparo

Em uma panela, junte os ingredientes e deixe ferver por 10 minutos. Após a fervura, deixe o líquido repousar por 4 horas. Passado esse tempo, coe e beba duas vezes no dia. De preferência uma vez depois do cafe da manhã e a outra após o almoço.

Contraindicações

Os compostos derivados da rhodiola rosea não devem ser utilizados em crianças com menos de 12 anos e por pacientes com história conhecida de alergia aos seus componentes.

Portadores de doenças cardíacas ou que estejam em uso de medicações para tratamento de distúrbios psiquiátricos ou cardiovasculares não devem fazer uso sem a devida orientação e acompanhamento médico. (2)

Esses compostos também não devem ser utilizados por mulheres grávidas sem orientação médica.

Efeitos colaterais e precauções

O uso da rhodiola rosea é considerado seguro e bem tolerado, normalmente não causando efeitos colaterais significativos. No entanto, em raras ocasiões, em função da sensibilidade individual, podem ocorrer queixas de agitação, dificuldade para dormir e irritabilidade. (2)

É importante obedecer a quantidade indicada para consumo diário uma vez que a superdosagem pode acarretar em taquicardia, agitação psíquica e insônia.

Características gerais da rhodiola rosea

Ramos, folhas e flores da rhodiola rosea

A raiz de ouro, como também é conhecida, é comum em lugares frios (Foto: depositphotos)

A rhodiola rosea cresce em altitudes elevadas das regiões árticas e montanhosas da Europa e Ásia. Atinge em média 30 a 70 centímetros de altura, produz flores amarelas e suas raízes exalam uma fragrância de rosas ao serem cortadas. É utilizada desde épocas remotas por povos indígenas da Sibéria. (1)

Referências

(1) TORELLO, Cristiane Okuda. AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DO EXTRATO PADRONIZADO DE Rhodiola rosea L. NA RESPOSTA IMUNOHEMATOPOÉTICA DE CAMUNDONGOS INFECTADOS COM Listeria monocytogenes, Unicamp, 2009.

(2) ACHE. Rhodiola Rosea Extrato, 2017. Disponível em: https://www.ache.com.br/arquivos/Fisioton-Comprimidos-18-04-2017.pdf . Acesso em: 08 de agosto de 2019.

(3) Santos, M. J; Amorim, A. J; Oliveira, S. M; Santos, S. F. R. M; Oliveira, A. C. C. N ; Oliveira, S. M; Oliveira, B, V, F ; Oliveira, G. D. USO DA RHODIOLA ROSEA NO TRATAMENTO DA FADIGA E ESTRESSE E SUA INFLUÊNCIA ADAPTOGÊNICA, Revista Interdisciplinar de Ciências Médicas. Disponível em: https://gpicursos.com/interagin/gestor/uploads/trabalhos-feirahospitalarpiaui/f26572df7ee90119bf2bf55603ea847e.pdf . Acesso em: 08 de agosto de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Lívia Mota
Jornalista (DRT-PE: 4909), possui especialização em marketing e acumula experiência de mais de 10 anos no ramo da comunicação. Seu currículo reúne conhecimento nas áreas de produção e monitoramento de conteúdo para web, em comunicação empresarial interna e externa e na prestação de assessoria. Trabalhou no jornalismo impresso e digital com repórter, tendo passado pelas editorias de política, economia, cultura, polícia e cidades. Atualmente é editora da empresa iHaa Network, conglomerado de sites no qual o Remédio Caseiro faz parte.