Trombose e arteriosclerose: dois males que o cigarro é capaz de causar

O tabagismo é a principal causa de morte evitável no mundo. Muitas doenças têm relação com esse hábito

Nicotina, monóxido de carbono, acroleína e mais de 4 mil compostos químicos. Estes são os elementos que compõem a fumaça do cigarro, a qual pode provocar diversas doenças no organismo quando o paciente fica exposto a ela de forma constante. Os malefícios provocados por este produto são, muitas vezes, causados pelo estresse oxidativo das células.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabagismo é a principal causa de morte evitável no mundo e esta classificação deve-se a quantidade de doenças associadas ao hábito de fumar. Para a cirurgiã vascular e angiologista, Aline Lamaita, um dos maiores riscos do cigarro é com relação à saúde das veias.

“O fumo também afeta principalmente a circulação e isso favorece o aparecimento de processos de trombose (com entupimento dos vasos e que pode levar à morte), principalmente quando associado a fatores de risco”, afirma a médica que também é membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. Mas, além da trombose, o cigarro pode provocar o surgimento de outro grave problema de saúde, a arteriosclerose.

Preste atenção nesses dois males que o cigarro é capaz de causar

Foto: depositphotos

Trombose e arteriosclerose: o que são e quais os riscos à saúde?

Com certeza você já deve ter ouvido falar que o cigarro aumenta a probabilidade do fumante desenvolver infartos ou doenças respiratórias. Contudo, o tabagismo ainda é responsável por outros problemas, principalmente envolvendo o sistema circulatório. “O monóxido de carbono oferece um fator adicional de risco ao diminuir a concentração de oxigênio no sangue. Todo esse processo pode causar complicações para o normal funcionamento dos vasos, que ficam mais susceptíveis ao entupimento, podendo levar a processos de trombose principalmente quando há fatores de risco envolvidos”, explica a médica.

Desta forma, é possível dizer que quem é fumante está sob o risco de desenvolver a trombose, doença que se refere ao entupimento das veias por um espécie de “trombo”, acometendo pernas e coxas. Assim, a passagem do sangue fica entupida, causando incômodo ao paciente. Dentre os fatores de risco estão a obesidade, uso de hormônios, câncer, gravidez e velhice.

Além da trombose, outras doenças bastante sérias e que podem estar relacionadas ao tabagismo são a arteriosclerose (envolvendo as artérias da perna) e tromboangeite obliterante (distúrbio que afeta as extremidades do corpo). “Em ambos os casos, há riscos de ter de amputar o membro, como pernas, pés e mãos”, alerta a médica.

Outra complicação ligada ao tabagismo

“O vaso mais estreito tem um fluxo menor de sangue e o suprimento de oxigênio aos tecidos é afetado. Isso dificulta a cicatrização e pode causar até necrose de pele. Várias substâncias no cigarro dificultam a formação de fibroblastos, células ligadas ao processo cicatricial”, endossa Aline Lamaita.

Ainda na visão da angiologista, o paciente que fuma deve fazer o acompanhamento médico sempre, evitando que doenças como essas ou outras surjam ou progridam.

Sobre o autor

Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.