Tisanas ou chás – Qual o melhor?

Você sabe a diferença entre tisanas e chás? Consegue saber também qual o melhor entre os dois? Se a resposta for “não”, você está no lugar certo! Vamos explicar aqui o que diferencia os dois tipos de infusão e para quê cada um serve. Sendo ambos grandes auxiliares da boa saúde, descubra o segredos e benefícios de cada um.

Para introduzir um pouco esse assunto, é preciso adiantar que o que chamamos de “chá”, na verdade, não é “chá”. Isso mesmo! É que cotidianamente denominamos de “chá” a técnica de transferir nutrientes, propriedades e características organolépticas (como sabor e cheiro), mas essa técnica se chama “infusão”, e não chá.

Sendo assim, o “chá de camomila” é – tecnicamente e corretamente falando – uma “infusão da erva camomila”. O mesmo acontece com o “chá de cidreira”, “chá de boldo”, “chá de capim-santo” e por aí vai. Mas então o que é chá? Calma! Explicaremos abaixo.

Contudo, não se culpe pelo engano de chamar de chá o que não é chá. Essa confusão existe devido a alguns fatores e situações históricas que acabam proporcionando sentido a disseminação desse pequeno equívoco. Entenda:

Tisana ou chá: descubra a diferença

Historicamente, a tradição de realizar “infusão” de ervas, frutas e raízes provém de países asiáticos, principalmente da China, que ganha o título de país de origem dos chás. Estima-se que essa técnica exista há, pelo menos, 3 milênios.

Serviço de chá

O termo chá se emprega de forma equivocada pela maioria das pessoas (Foto: depositphotos)

Chá

Diferente das infusões comuns que possuem imensa variedade, o chá é uma produção específica. Resumidamente, o chá é uma bebida feita com a erva chamada Camellia sinensis, e só quando a infusão é feita com essa erva é que estamos falando do verdadeiro chá.

Essa erva é nativa do leste de Ásia e, devido a grande quantidade de tipos de infusões feitas com ela, acabou sendo uma bebida muito consumida. Devido ao local onde a planta foi cultivada, como as folhas foram tratadas, o tamanho e frescor das folhas e a mistura com outras ervas acabaram trazendo o sucesso aos chás.

Tisana

Por isso, toda infusão que não possui a Camellia sinensis ou cafeína (explicamos isso depois), é na verdade uma tisana. As tisanas são as infusões feitas com ervas, frutas e raízes que não possuem a erva do chá em sua composição. Por exemplo, quando tomamos chá de camomila, estamos tomando a “tisana da camomila”.

Por isso, se formos voltar na história, é mais provável que as primeiras infusões foram tisanas, e não chás. Apesar disso, o mundo já conhece a prática da infusão como “chá”, em vários idiomas e culturas. Isso porque quando o chá de verdade (com Camellia sinensis) foi disseminado, seu consumo ficou tão comum que a prática da infusão acabou ficando conhecida como chá.

Ele (o chá) foi disseminado dessa forma graças a variedade de tipos que oferece. A Camellia sinensis é ingrediente básico para alguns dos mais conhecidos chás, como o chá verde, chá preto, oolongs e chá branco.

É possível produzir inúmeras variações de chás, a depender de como as folhas da Camellia sinensis são tratadas e com o que elas são misturadas. Portanto, a infusão feita com a Camellia sinensis, ainda que misturada com outra erva, continua sendo um chá.

Veja tambémChá gelado: Confira os mais deliciosos chás gelados

Qual o melhor? Tisana ou chá?

Na verdade, as tisanas e os chás não competem entre si. Enquanto os chás possuem benefícios para a saúde, sabores e texturas específicos da Camellia sinensis, as tisanas são a porta para a variedades de todos os outros tipos de infusões, também com benefícios e características nutricionais diversas.

A Camellia sinensis pode ser misturada com outras ervas, frutas e raízes, mas no Brasil não temos acesso tão fácil a essa erva. Em território nacional, damos prioridades às plantas comuns em solo brasileiro, como o capim-santo, cidreira, hortelã, etc. Por isso consumimos tisanas e não chás, oficialmente falando.

Falando especificamente sobre o chá, a Camellia sinensis possui várias capacidade e efeitos benéficos para o corpo humano. Confira a lista:

  • Adstringente
  • Antibacteriana
  • Diurética
  • Analgésica
  • Antiasmática
  • Antioxidante
  • Digestiva
  • Estimulante
  • Auxilia no controle da diarreia
  • Reduz cáries
  • Ajuda a emagrecer
  • Remédio natural para gripes e resfriados

Esses benefícios se devem a rica variedade de nutrientes presentes na composição da erva. Entre os principais estão compostos como as catequinas, os flavonoides e taninos (combinação de várias substâncias químicas de origem vegetal (polifenóis), responsáveis pela textura e sabor). Eles fazem o chá ser antioxidante.

É rica também em minerais como magnésio e potássio. Possui também ácido fólico e vitaminas, como a C, K, B1 e B2.

A relação entre as tisanas e o café

Para ser considerado chá de verdade, a infusão não pode conter cafeína. Especialistas em infusões afirmam que a cafeína é capaz de neutralizar diversos benefícios das ervas em infusão, o que acaba descaracterizando a bebida.

Já as tisanas podem ser preparadas até mesmo com o uso de folhas e grãos de café. Elas não possuem essa restrição. A erva-mate, por exemplo, só pode produzir tisanas, pois há cafeína em sua composição.

Principais chás consumidos no Brasil

Chá verde

Dos chás (verdadeiros) mais consumidos no Brasil, o principal deles é o chá verde. Sua base de preparação é a Camellia sinensis, que pode ou não ser misturada com outras ervas, raízes e frutas, como o limão e gengibre.

Entretanto, para obter todos os benefícios da Camellia sinensis, o ideal é consumir o chá natural, não preferindo as versões industrializadas do chá verde.

Veja também: Melhor horário para tomar chá verde para emagrecer

Chá preto

O chá preto também é um chá “verdadeiro”. É feito com a erva do chá, em um estilo de produção que foca na oxidação das folhas da Camellia sinensis – por isso, a coloração escura do chá.

Principais tisanas consumidas no Brasil

“Chá de camomila”

Como já mencionado, o “chá de camomila” é, na verdade, uma “tisana de camomila”. É muito consumido graças ao seu uso terapêutico, capaz de proporcionar alívio de ansiedade e stress.

Além desses benefícios, é uma tisana com potencial diurético e digestivo. Tem potencial analgésico e auxilia na qualidade do sono e da respiração.

“Chá de boldo”

Assim como no caso da camomila, nós consumimos a tisana de boldo, não o chá. É uma das tisanas mais consumidas devido a sua capacidade de aliviar e tratar dores de estômago e problemas intestinais. Serve também para diminuir enjoos, náuseas e mal-estar.

Sobre o autor

Avatar
24 anos, é jornalista e produtor de conteúdo especializado. Atua com produção jornalística há 4 anos. Vencedor do prêmio de empreendedorismo digital “Academic Winner 2017”, promovido pela DeVry University na Califórnia, Estados Unidos. Tem no currículo trabalhos em emissoras de televisão, jornal impresso, revistas e internet. É pernambucano e tem como hobbies escrever, jogar videogames, cinema e estudos sociais.