Tília: 5 benefícios desta planta e seu chá

O chá de tília, um tipo de árvore bem comum em países de clima mais frio, é um remédio natural para aliviar a ansiedade e melhorar o sono, já que é rica em compostos com efeito calmante e ansiolítico

Mas não é apenas isso, as flores, parte utilizada para fins medicinais, são ricas em substâncias que atuam desde no tratamento de alguns sintomas incômodos da gripe até na redução da pressão alta. Incrível não? 

Se você quiser descobrir os 5 principais benefícios da tília e ainda como consumir e quais os cuidados necessários continue lendo, porque a gente separou tudo isso para você, de acordo com estudos científicos. Confira!

5 Benefícios da tília para a sua saúde

1. Alivia a ansiedade 

Você costuma se sentir ansioso com frequência? Pois saiba que uma xícara quente de chá de tília pode te ajudar nesses momentos. 

Essa sensação costuma aparecer antes de algum acontecimento importante. É a maneira que o corpo encontra para se preparar para uma possível luta e é bastante incômoda, podendo até apresentar alguns sintomas físicos bem fortes, como taquicardia e falta de ar. 

Quando se torna um problema, a ansiedade é tratada com compostos chamados ansiolíticos, que podem ser de origem sintética ou natural, como é o caso da tília. 

Conforme uma pesquisa publicada na Revista Brasileira de Plantas Medicinais, o efeito ansiolítico da planta acontece por causa da presença de dois sub-grupos de compostos: as quercetinas e os derivados de kaempferol. Ambos pertencentes ao grupo dos flavonoides, que são os pigmentos azuis e violetas encontrados nas plantas. 

Pode parecer meio complicado no início, mas as substâncias desse grande grupo agem diretamente sobre o sistema nervoso central. Lá, elas fazem com que essa parte do cérebro libere substâncias que acalmam. Ficou fácil de entender agora, não foi?(1)

Em outra pesquisa, publicada na Revista de Salud Mental, foi descoberto que essa ação no sistema nervoso consegue estimular uma área do cérebro que é responsável por liberar serotonina. 

Essa substância é um neurotransmissor, que é um tipo de composto que serve para levar as mensagens do cérebro para o resto do corpo, e a falta dela está diretamente ligada ao surgimento da ansiedade e depressão. 

Dito isso, segundo as evidências, o que a tília faz é ajustar o funcionamento dessa região, fazendo com que ela trabalhe da maneira correta. O que acaba proporcionando um alívio rápido para a ansiedade em casos mais leves.(2)

2. Reduz o estresse e melhora a qualidade do sono 

Esse mesmo efeito dos flavonoides da tília de estimular a liberação de serotonina faz da erva um calmante natural perfeito para usar naquele dia estressante ou para dar uma forcinha na hora de dormir.

O que acontece é que a serotonina age produzindo o chamado estado de alerta e isso tem tudo a ver com a qualidade do sono, pois o corpo precisa descansar para conseguir funcionar corretamente e agir em situações de emergência.

Desse modo, ela ajuda a melhorar justamente essa fase de descanso onde o corpo recarrega as energias, para que ele possa se manter alerta mais tarde.

Além disso, esse neurotransmissor serve para deixar você mais feliz e relaxado. Isso acontece porque a serotonina melhora a comunicação entre as várias partes do cérebro e mente funcionando bem é uma mente feliz!

Na pesquisa que foi publicada na Revista Brasileira de Plantas Medicinais, os compostos da erva também se mostraram capazes de aumentar a sensibilidade de um receptor do cérebro que ajuda a regular não apenas a qualidade, mas também a duração do sono.(1

3. Alivia os sintomas de gripes e resfriados

Outro benefício dessa incrível erva medicinal é no alívio de alguns sintomas de gripes e resfriados. Isso mesmo, uma xícara de chá ajuda a diminuir a coriza, alivia a tosse e também a febre. 

Tá, mas por que isso acontece? Isso acontece por causa da composição das flores de tília que são ricas em flavonoides, como já foi citado, mas também em taninos, alguns ácidos orgânicos, mucilagens e esteróis. 

Todos esses nomes podem parecer bem complicados, mas essas substâncias possuem em comum a ação sobre o trato respiratório, como foi explicado no livro PDR for Herbal Medicines. 

Isso acontece pois elas agem em conjunto para estimular a expulsão do muco (catarro), ao deixarem ele mais líquido, e melhorarem o movimento dos pequenos cílios que levam ele para fora, aliviar a irritação que causa a tosse e aumentar a produção de suor, o que serve para reduzir a temperatura corporal.(3)

Já uma pesquisa publicada na revista científica Fitoterapia descobriu que a tília também age como um poderoso anti-inflamatório, propriedade que faz com que a erva consiga aliviar a irritação das mucosas, principal causadora de sintomas como a tosse.(4)

4. Ajuda a desintoxicar o organismo

A erva também funciona como um detox natural, ajudando a livrar o organismo de toxinas que ficam acumuladas e que podem trazer consequências negativas para a saúde. 

Essa ação, citada no livro Pharmacognosy, Phytochemistry, Medicinal Plants, é decorrente das propriedades sudoríficas e diuréticas encontradas em alguns dos seus composto e que ajudam na eliminação de substâncias tóxicas através do suor e da urina.(5)

Mas devido a isso você deve repor bem os líquidos perdidos, viu? Para evitar problemas com a perda excessiva de minerais essenciais e desidratação.

5. Controla a pressão arterial

A tília também consegue ser útil no tratamento da pressão alta, graças ao já citado efeito diurético.

O que acontece, de acordo com um artigo publicado no Jornal Brasileiro de Nefrologia, é que esse efeito consegue aumentar a produção de urina (diurese), processo que favorece a eliminação de substâncias que promovem o aumento da pressão arterial, como o sódio. Motivo pelo qual os diuréticos são um dos tratamentos mais comuns para hipertensão atualmente.

Com a excreção do excesso de sódio o organismo consegue regular pressão sanguínea, promovendo um controle maior a longo prazo e com poucos efeitos colaterais, desde que a tília seja utilizada corretamente.(6)

Como usar?

Para usar a tília você deve fazer um chá utilizando as flores da árvore, que podem ser frescas ou secas. 

Xícara com chá de tília

O chá de tília consegue melhorar a qualidade e a duração do sono. Tome uma xícara antes de dormir (Foto: depositphotos)

Para isso, basta adicionar 1 colher (de chá) das flores em 1 xícara de água fervente. Deixe descansar por cerca de 10 minutos e pronto, basta coar e a infusão está pronta para ser bebida. 

A indicação do livro PDR for Herbal Medicines é consumir até duas xícaras desse chá por dia.(3)

Cuidados e contraindicações do chá de tília

Segundo o PDR for Herbal Medicines a tília é uma erva bastante segura e até o momento não foi encontrado nenhum efeito colateral do uso dela para fins medicinais. 

Mas isso não significa que não é preciso tomar nenhum cuidado. Nenhum medicamento, mesmo que de origem natural, deve ser usado em excesso. Portanto, evite tomar mais do que a dose recomendada ao longo do dia.(3)

Por último, grávidas e lactantes não devem utilizá-la sem orientação médica, já que ainda não se sabe quais efeitos a erva pode apresentar nessas situações. Já os hipertensos devem consumir com cuidado, porque o efeito diurético potencializa os efeitos dos medicamentos para hipertensão.

Referências

(1) NEGRI, G.; SANTI, D.; TABACH, R. Flavonol glycosides found in hydroethanolic extracts from Tilia cordata, a species utilized as anxiolytics. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v.15, n.2, p.217-224, [2013]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-05722013000200008. Acesso em: 15 de setembro de 2019.

(2) AGUIRRE-HERNÁNDEZ, Eva et al. Anxiolytic and sedative-like effects of flavonoids from Tilia Americana var. Mexicana: GABAergic and serotonergic participation. Salud Mental, v.1, p.37-46, [2016]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17711/SM.0185-3325.2015.066. Acesso em: 15 de setembro de 2019.

(3) THOMPSON HEALTHCARE. PDR for Herbal Medicines, 4º edição. Thomson Reuters: 2007, p.990.

(4) CZERWINSKA, Monika E. et al. The influence of procyanidins isolated from small-leaved lime flowers (Tilia cordata Mill.) on human neutrophils. Fitoterapia, v.127, p.115-122, [2018]. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.fitote.2018.02.018. Acesso em: 15 de setembro de 2019. 

(5) BRUNETON, Jean. Pharmacognosy, Phytochemistry, Medicinal Plants, 2º edição. Lavoisier: 2008, p.1136. 

(6) KOHLMANN JR, Osvaldo et al. Tratamento medicamentoso. Jornal Brasileiro de Nefrologia [online], v.32, n.1, p.29-43, [2010]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-28002010000500008. Acesso em: 15 de setembro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (Mtb-PE: 6770) com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio. Atualmente atua na área de redação para web, nas áreas de educação, beleza e saúde alternativa. Além da formação no curso superior, possui experiência em produção de vídeo, diagramação de livros e revistas e marketing.