Tamarindo: como fazer o suco e benefícios

Amado por uns, odiado por outros. O tamarindo está longe de ser um consenso! Seu sabor forte tanto repele quanto atrai. Mas uma coisa é inquestionável: sua riqueza em benefícios para a saúde do corpo. A começar por seu efeito laxante.

O combate à constipação encabeça uma lista de vantagens para o bom funcionamento do organismo, podendo atuar também como protetor hepático e no tratamento da pele e cabelos.

A forma mais comum de consumo é através do suco, mas o tamarindo também pode ser apreciado nas versões in natura e na forma de chá. Conheça melhor essa fruta e como usufruir dos seus nutrientes. Acompanhe!

Principais benefícios do tamarindo

Imagem dos benefícios

Praticamente todas as partes do tamarindo têm uso na medicina popular, apresentando inúmeras aplicações terapêuticas, dentre elas o uso anti-inflamatório, antidiabético e antihepatotóxico, que combate substâncias tóxicas ao fígado. Seu extrato e derivados também apresentam atividades hipolipêmica, que evita a gordura no sangue, e antioxidante. (1)

Confira, a seguir, alguns dos principais benefícios desse fruto:

É um laxante natural

Um estudo realizado na Universidade de Medicina de Istambul, na Turquia (2), comprovou que o tamarindo pode ser usado como laxante natural devido ao seu alto teor de de potássio.

Quando se está com diarreia ou disenteria, o corpo perde importantes minerais, como o potássio. Consumir alimentos ricos nesse nutriente ajuda a regularizar o funcionamento intestinal. O estudo defende que, para usufruir da propriedade laxante, basta comer a fruta ou tomar o suco da mesma.

O nutricionista clínico esportivo, Luiz Braz, também mencionou a atuação das fibras para o combate a constipação. “O tamarindo age como laxante natural porque é rico em uma fibra chamada pectina que tem efeito emoliente e, por isso, amolece ou abranda as fezes. Isso contribui bastante para regulação do trânsito intestinal”.

Atua na saúde da pele e cabelo

O uso do tamarindo na alimentação atua a favor da pele e dos cabelos graças a presença dos antioxidantes, a exemplo da vitamina C. Essas moléculas conseguem neutralizar a ação dos radicais livres, impedindo que danifiquem células saudáveis do organismo. Essa defesa do corpo evita que haja o envelhecimento precoce tanto da cútis – combatendo manchas, rugas e flacidez –  quanto dos fios, combatendo o ressecamento e a queda.

Ainda por ser rico em vitamina C, esse fruto possibilita a manutenção do tecido conjuntivo da pele como um todo. Protegendo as células, tanto nos folículos como nos vasos sanguíneos do couro cabeludo, promovendo, assim, o crescimento saudável dos fios.

O nutricionista avaliou a presença da vitamina C na composição do tamarindo como muito positiva para a saúde dermatológica e capilar. “A boa quantidade de vitamina C colabora para o aumento da produção de colágeno e, consequentemente, otimiza os processos de renovação celular favorecendo e fortalecendo a pele e os cabelos”, afirmou.

Além disso, o tamarindo tem efeito protetor contra os danos causados ​​por radiação ultravioleta (2), ajudando a diminuir o impacto da radiação solar, protegendo a pele contra os danos de oxidação causados pelos raios UV e infravermelhos, além de defender a pele contra os efeitos da poluição.

Protege o fígado

Álcool e outras substâncias químicas, toxinas ambientais, biológicas e muitos outros fatores estão relacionados com doenças do fígado que são importantes problemas de saúde pública. O mesmo estudo realizado em Istambul (2) mostrou que as folhas de tamarindo apresentaram efeito protetor contra a apoptose (morte celular programada) que é o principal mecanismo na maioria das doenças do fígado.

O Instituto de Tecnologia Farmacêutica da Índia também comprovou que os extratos da planta derivados do fruto, folhas e sementes conseguem regenerar o tecido do órgão, recuperando partes prejudicadas e melhorando as sadias. (3)

Trata a diabetes

O tamarindo e seus derivados conseguem controlar a diabetes mellitus tipo 1 e 2. Essa doença é uma inflamação crônica das células do pâncreas que libera quantidades anormais de insulina no corpo, acarretando em problemas oculares e renais, principalmente.

O consumo do tamarindo mostra efeito protetor das células pancreáticas, revertendo o dano ao tecido, graças a sua propriedade anti-inflamatória, conseguindo regular a glicose no sangue. Ele tem se mostrado muito eficiente para o tratamento dessa síndrome metabólica. (3)

Tamarindo emagrece?

A resposta é sim. Na verdade ele é um importante agente contra a obesidade e o aumento da gordura corporal. E essa atuação se dá não só pela presença de fibras mas também pela composição do tamarindo conter ácido hidroxicítrico, um derivado do ácido cítrico.

Segundo Braz, essa substância tem demonstrado um efeito redutor da ação de enzimas que estariam envolvidas na formação de ácidos graxos corporais, ou seja, das gorduras. “Essa substância também pode estar envolvida na regulação da produção de serotonina, hormônio que promove bem-estar e prazer, e consequentemente no controle de apetite“, revelou.

A pesquisa realizada pela Universidade de Medicina de Istambul, também ressaltou que o tamarindo é um dos poucos compostos que podem ser usados para o emagrecimento sem a preocupação de efeitos colaterais. (2)

No entanto, Braz faz questão de enfatizar que “isoladamente o tamarindo não será o principal fator responsável pelo emagrecimento, pois se faz necessário um conjunto de ações que envolvam hábitos alimentares saudáveis e prática de atividades físicas frequentes”.

Tabela nutricional

Vagem, polpa e sementes do tamarindo

(Foto: depositphotos)

Além de apresentar índices expressivos de vitamina C, fósforo, cálcio, proteína e fibra, o que chama a atenção é o nível de potássio na composição do tamarindo. 100 gramas da fruta crua apresenta mais de 700 miligramas do nutriente, em alguns casos obtendo o triplo do que é oferecido em uma banana.

O potássio é de suma importância para a saúde porque atua no fortalecimento dos ossos – combatendo ácidos que “roubam” o cálcio dos ossos – , na regulação da pressão arterial – bombeando o excesso do sódio consumido para fora do organismo através da urina –  e no bom funcionamento dos músculos, evitando cãibras e dores.

Porção de 100 gramas Quantidade por porção
Valor energético 276 Kcal
Proteína 3,2 g
Colesterol  –
Carboidrato 72,5 g
Fibra 6,4 g
Cálcio 37 mg
Fósforo 55 mg
Ferro 0,6 mg
Sódio 0
Potássio 723 mg
Vitamina C 7,2 mg

* Valores diários de referência com base em uma dieta de 2000kcal ou 8400kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas. Dados retirados do TACO, edição revisada e ampliada. (4)

Como fazer suco de tamarindo

Para muitas pessoas o suco do tamarindo é considerado um dos mais gostosos do mundo. Seu sabor doce e ácido o torna irresistível, podendo acompanhar desde as principais refeições, ou mesmo servindo de lanche. Veja como fazer:

Ingredientes

  • 150 g de tamarindo
  • 1 litro de água
  • Adoçar a gosto.

Modo de preparo

Preparar esse suco é simples. Basta bater a fruta e a água no liquidificador, coar e adoçar. Você também pode incrementar essa receita adicionando abacaxi, laranja, limão e mel, hortelã, gengibre, entre outros.

Como fazer a polpa?

Como fazer a polpa

Apesar dessa fruta produzir um dos sucos mais saborosos, ela dá certo trabalho a quem deseja extrair seu sumo. Isso porque a casca que envolve o fruto precisa ser quebrada e retirada com cuidado para não grudar no fruto. E também retirar os caroços, que são grandes mas que podem deixar a tarefa mais demorada.

Por isso, para facilitar na hora de preparar o suco, vale a pena fazer a polpa do tamarindo. O primeiro passo é descascar a vagem. Coloque todos os frutos numa tigela e cubra com água filtrada natural por 2 horas. Quando as polpas estiverem bem hidratadas, amasse-as com as mãos. Em seguida, peneire tudo para retirar ramos e caroços. Separe em porções e congele.

Chá de tamarindo: para que serve e como fazer

Também é possível usufruir dos benefícios do tamarindo a partir do chá de suas folhas. Essa bebida age principalmente na melhora das funções do fígado, na regulação do trânsito intestinal e no alívio de desconfortos decorrentes de úlceras estomacais.

Ingredientes

  • 100 g das folhas do tamarindo
  • 1 litro de água
  • Adoçar com mel (opcional).

Modo de preparo

O modo de preparo do chá de tamarindo é por meio da decocção. Para isso, ferva a água primeiro. Desligue o fogo e coloque as folhas. Tampe e deixe descansar por 15 minutos. Tome, de preferência, sem adoçar, ou use o mel. Beba uma xícara desse chá três vezes ao dia.

Importante! Consulte um médico antes de fazer uso de qualquer medicamento, seja ele natural ou não. Nunca se automedique!

Para que serve a água do tamarindo em jejum?

Tem-se usado a água do tamarindo para a melhoria da saúde. E muito se fala que a efetividade aumenta se tomada em jejum todas as manhãs. No entanto, o nutricionista Luis Braz indica que essa não seria a melhor forma de aproveitar os benefícios da fruta. “O fato de consumir a água do tamarindo, e em jejum, não traz mais vantagens do que o consumo in natura ou em forma de suco. Na verdade, será bem melhor o consumo da fruta ou do suco porque têm maior concentração de nutrientes e substâncias”, explicou.

Folhas e fruto do tamarindo

O sabor ácido e doce do tamarindo rende um delicioso suco (Foto: depositphotos)

Contraindicações e efeitos colaterais

O uso prolongado da fruta pode causar erosão dentária devido a sua acidez. A fruta também pode impulsionar os efeitos do ibuprofeno e do ácido acetilsalicílico. (2)

Consumir sem exagero serve tanto para a fruta in natura e seus derivados, quanto para o chá da folha de tamarindo. Uma vez que o consumo em demasia pode acarretar em desconfortos e enjoos. Por isso não tome mais que 3 xícaras do chá por dia. O fruto verde também não deve ser consumido.

É importante lembrar que para consumir qualquer alimento a higienização é imprescindível. E ao sinal de qualquer efeito colateral, ele deve ser interrompido.

Características da planta

O tamarindo, conhecido por Tamarindus indica L. no meio científico, é um fruto em forma de vagem alongada, com até 15 cm de comprimento. A casca é quebradiça e, quando rompida, apresenta polpa com sementes. Essa polpa é levemente doce e ácida. (5)

O pé de tamarindo é uma árvore frutífera de grande porte, podendo alcançar 25 metros de altura. Ela é muito frondosa sendo bastante usada para fins decorativos, principalmente por suas flores amarelas-alaranjadas. (5)

Origem

Essa espécie é nativa da África tropical, de onde se dispersou por todas as regiões tropicais do mundo. No Brasil, é encontrada nas Regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste. (5)

Referências

(1) UYEMURA, Valéria Tudella. Efeito do extrato de Tamarindus indica L. sobre a transição de permeabilidade de membrana em mitocôndrias isoladas de fígado de rato e atividade antioxidante in vitro, Universidade de São Paulo, 2007. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/60/60135/tde-16102007-154155/pt-br.php . Acesso em: 22 de agosto de 2019.

(2) KURU, Pinar. Tamarindus indica and its health related effects, Marmara University School of Medicine, 2014. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2221169115300885#! . Acesso em 22 de agosto de 2019.

(3) BHADORIYA, Santosh Singh; GANESHPURKAR, Aditya; NARWARIA, Jitendra; RAI, Gopal e JAIN, Alok Pal. Tamarindus indica: Extent of explored potential, Shri Ram Institute of Technology-Pharmacy Jabalpur, M.P., India, 2011. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3210002/ . Acesso em 22 de agosto de 2019.

(4) TACO, Tabela Brasileira de Composição de Alimentos. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. 2011. Disponível em: http://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/2017/03/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf . Acesso em: 16 de agosto de 2019.

(5) SOUSA, Danielle Marie Macedo; BRUNO, Riselane de Lucena Alcântara; DORNELAS, Carina Seixas Maia; ALVES, Edna Ursulino; ANDRADE, Albericio Pereira de; NASCIMENTO, Luciana Cordeiro do. Caracterização morfológica de frutos e sementes e desenvolvimento pós-seminal de Tamarindus indica L. – Leguminosae: caesalpinioideae, Universidade Federal da Paraíba, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-67622010000600006. Acesso em: 22 de agosto de 2019. 

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Lívia Mota
Jornalista (DRT-PE: 4909), possui especialização em marketing e acumula experiência de mais de 10 anos no ramo da comunicação. Seu currículo reúne conhecimento nas áreas de produção e monitoramento de conteúdo para web, em comunicação empresarial interna e externa e na prestação de assessoria. Trabalhou no jornalismo impresso e digital com repórter, tendo passado pelas editorias de política, economia, cultura, polícia e cidades. Atualmente é editora da empresa iHaa Network, conglomerado de sites no qual o Remédio Caseiro faz parte.