Seus olhos lacrimejam sem parar? Veja aqui o que é e como parar isso

O lacrimejamento espontâneo pode ser tratado na maioria dos casos, mas é necessário identificar a causa

Os oftalmologistas costumam ouvir uma queixa relativamente comum em seus consultórios: a epífora, denominação dada quando os olhos lacrimejam sem parar, condição que não tem nenhuma ligação com o estado emocional do indivíduo. As lágrimas insistentes escorrem no canto dos olhos sem quaisquer explicações aparentes.

De acordo com o oftalmologista Renato Neves, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, o lacrimejamento espontâneo pode ser tratado com sucesso na maioria dos casos, mas é necessário identificar a causa.

O problema pode ser causado pelo bloqueio de um ducto lacrimal ou pela excessiva produção de lágrimas.

Causas do lacrimejamento espontâneo

Seus olhos lacrimejam sem parar? Vejam aqui o que é e como parar isso

Foto: depositphotos

O oftalmologista Renato Neves explica que o diagnóstico de epífora é muito comum antes de o bebê atingir um ano de idade, pois os recém-nascidos geralmente não têm ductos lacrimais totalmente desenvolvidos. “Em adultos, é mais comum encontrarmos ductos bloqueados ou muito estreitos. Neste caso, além do lacrimejamento espontâneo, e às vezes excessivo, o paciente fica mais suscetível a infecções oculares”, explica o profissional.

Algumas irritações também podem aumentar a produção de lágrimas, como a conjuntivite alérgica ou infecciosa, alguma pancada no olho ou contato om químicos, fumaça ou cebola. Outras causas comuns incluem a fotofobia e o crescimento de cílios no sentido oposto ao que deveria crescer.

De acordo com Neves, existem ainda várias outras causas a serem investigadas, como a infecção da córnea (ceratite), úlcera, terçol e o uso de certos medicamentos que favorecem a síndrome do olho seco. O oftalmologista explica que a síndrome do olho seco é capaz de provocar desde uma leve irritação até coceira excessiva, sensação de queimação e dor. Tais alterações podem estimular a produção de lágrimas, fazendo com que os olhos lacrimejem sem parar.

Tratamento

Primeiramente, o oftalmologista deve avaliar cuidadosamente o olho do paciente, com o objetivo de verificar se o lacrimejamento ocorre em apenas um olho, se está associado a uma infecção, lesão ou quaisquer outros fatores. Após o diagnóstico, o profissional poderá dar início ao tratamento, que pode ser feito por meio da desobstrução do ducto lacrimal ou pela criação de um novo canal nasolacrimal.

Sobre o autor

Formada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas) pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), com certificado DELE (Diploma de Español como Lengua Extranjera), outorgado pelo Instituto Cervantes. Produz conteúdo web, abrangendo diversos temas, e realiza trabalhos de tradução e versão em Português-Espanhol.