Semente de abóbora: benefícios e como usar o óleo, farinha e o chá

Você é do tipo que descarta a semente de abóbora após comer o legume? É porque não sabe a quantidade de benefício que está desperdiçando! Segundo a nutricionista do Oba Hortifruti, Renata Guirau, esse grão é rico em magnésio, zinco, gorduras boas e fibras.

Tudo isso contribui para uma melhor saúde dos ossos, coração e intestino. Sem falar no efeito fortalecedor do sistema imunológico, protegendo o organismo contra diversas doenças.

Sementes de abóbora
Além de fortalecer os músculos, as sementes de abóbora aumentam a imunidade e ajudam a emagrecer (Foto: depositphotos)

Além do mais, a semente de abóbora é um alimento versátil, pois pode servir para a extração do óleo ou pode ser consumida torrada e em forma de farinha. Sendo essa última versão a mais indicada para quem quer emagrecer.

Benefícios da semente de abóbora

Assim como o próprio legume, suas sementes também são ricas em nutrientes e compostos bioativos. “Não são todas as sementes que podem ser consumidas. As sementes comestíveis geralmente são boas fontes de minerais, fibras e gorduras boas, para acrescentarmos à nossa alimentação”, explica a nutricionista.

Fortalece ossos e músculos

Em 100 g desse alimento há 592 mg de magnésio (Mg), por isso Renata Guirau afirma que ele é uma excelente fonte desse nutriente. O mineral “atua na saúde óssea, no equilíbrio dos eletrólitos no sangue, na prevenção de câimbras e na qualidade do sono.”

Para se ter uma ideia, entre 60% a 65% de todo o conteúdo de magnésio no corpo está presente nos ossos. Além do mais, ele trabalha em conjunto com o cálcio, fixando-o adequadamente no organismo. Portanto, é importante para o crescimento saudável da estrutura óssea.

Já com relação aos benefícios para os músculos, vale ressaltar o efeito relaxante que o Mg possui. Enquanto o cálcio estimula a contração, o magnésio trabalha como relaxador.

Quando o corpo enfrenta uma deficiência desse nutriente, os médicos dão o diagnóstico de hipomagnesemia. Os principais sintomas neuromusculares são câimbras, fraqueza muscular, fadiga, espasmos etc. (1,2)

Aumenta a imunidade

Enquanto o legume é fonte de betacaroteno, as suas sementes são ricas em zinco. Em ambos os casos, a especialista em nutrição explica que elas possuem um efeito antioxidante.

Os grãos “também são uma boa fonte de gorduras monoinsaturadas (gorduras boas) que favorecem a imunidade“, destaca Renata.

Controla os níveis de colesterol

As mesmas gorduras mencionadas acima favorecem os bons níveis de colesterol no sangue, reduzindo o LDL (mau colesterol) e sem alterar o HDL (bom).

Além disso, o consumo regular das boas gorduras tem efeito favorável sobre os níveis de triglicerídeos, ritmo cardíaco e pressão sanguínea. Consequentemente, auxilia na prevenção de doenças relacionadas ao coração, como a aterosclerose, caracterizada como o acúmulo de gorduras nas artérias. (3)

Melhora o intestino e emagrece

Tanto a abóbora quanto os grãos presentes no interior do legume possuem fibras. Segundo a nutricionista da Oba Hortifruti, esses compostos ajudam na saciedade (emagrece), na digestibilidade das refeições e no bom funcionamento do intestino.

Na verdade, os alimentos fibrosos são importantes para o trato intestinal desde o momento em que são colocados na boca. Isso porque eles demandam mais mastigação que os outros alimentos, por isso o cérebro entende que o corpo está saciado, mesmo consumindo menos.

E engana-se quem acha que as fibras são digeríveis, pois elas passam pelo estômago e intestino apenas para ajudar na digestão e na eliminação das fezes. (4)

Boa para visão

“Um estudo mexicano de 2019 mostrou que o consumo de semente de abóbora pode reduzir a inflamação em algumas doenças na córnea”, cita  Renata Guirau.

Segundo a mesma pesquisa, as sementes conseguem prevenir a neovascularização da córnea. Em outras palavras, elas impedem a formação de vasos sanguíneos anormais na retina. (5)

Combate os sintomas da menopausa

Também em 2019, um artigo científico comprovou que a suplementação com os grãos da abóbora melhora os sinais provocados pela deficiência de estrogênio. (6)

Entre os sintomas mais clássicos do hipoestrogenismo estão o ressecamento vaginal, ardência na região, irritação, sensação de pressão e prurido na vagina. (7)

Mas esse alimento não possui benefícios apenas para o período da menopausa, como também o óleo é indicado para mulheres que possuem uma bexiga hiperativa.

“[…] foi observada melhora com apenas uma semana de suplementação da dieta com as sementes de abóbora, onde houve melhora no controle urinário diurno e noturno”, explica a profissional. (8)

Melhora o desempenho sexual dos homens

Tanto os homens como as mulheres precisam ter uma alimentação com boas doses diárias de determinados nutrientes, a exemplo do magnésio, zinco, fibras e gorduras boas.

“Uma possível vantagem em relação ao consumo por homens seria a ajuda no aporte de zinco que se relaciona positivamente com uma melhor produção de espermatozoides“, afirma a nutricionista.

Além disso, Renata Guirau explica que o consumo frequente de abóbora e suas sementes pode melhorar a qualidade de vida e de controle urinário dos pacientes que passaram por um tratamento de tumor benigno de próstata. (9)

Receitas

Pedimos para que a nutricionista indicasse o modo de preparo desse alimento torrado e em forma de farinha. Acompanhe!

Torrada

O primeiro passo é retirar as sementes e lavar bem. Em seguida, deixe-as de molho em água com sal por aproximadamente 1 hora. Retire a água, seque-as bem com pano limpo ou papel toalha.

Finalize temperando os grãos como desejar, coloque em uma forma untada e leve ao forno até que fiquem crocantes. Dessa maneira, apresentam um sabor de nozes. Podem ser consumidos como aperitivos ou misturados com massas, molhos, patê, queijos e saladas.

Farinha de semente de abóbora

Para fazer a farinha, basta torrar as sementes como na dica anterior e batê-las no liquidificador ou processador, até que elas se transformem em pó.

“Ela pode ser usada no preparo de receitas, como bolos, tortas, panquecas e até mesmo adicionada a alimentos, como iogurtes e saladas de frutas”, ensina Renata.

O chá é benéfico?

A receita do chá de semente de abóbora é muito procurada, mas segundo a nutricionista não é uma forma comumente utilizada. “Não teria nenhum benefício em relação à comer a semente torrada ou na forma de farinha.”

Óleo da semente

Assim como outros tipos de óleos vegetais, o de semente de abóbora possui grandes quantidades de ácidos graxos insaturados e saturados.

Isso significa dizer que ele é benéfico na redução do teor de LDL e de triglicerídeos, ao mesmo tempo em que aumenta os níveis de HDL. Portanto, é uma ótima opção para prevenir problemas cardiovasculares. (10)

Existe malefício ou contraindicação?

Pessoas com digestão mais lenta podem sentir um desconforto pela demora em finalizar a digestão devido às fibras. Por isso, começar a consumir aos poucos é a melhor alternativa e, claro, sempre equilibrando com a ingestão de água.

Além disso, a especialista em nutrição recomenda o consumo com moderação, uma vez que, por ser fonte de gorduras (ainda que boas), a semente de abóbora contém um alto valor calórico.

“Vale lembrar que pequenas porções 20 g a 30 g já fazem uma grande diferença no aporte de nutrientes vindos dessas sementes”, finaliza.

*Artigo feito com a colaboração da nutricionista do Oba Hortifruti Renata Guirau, especialista em Nutrição Clínica e Esportiva (CRN 35487).

Referências

(1) Escola Paulista de Medicina. “Relatório básico: Semente de abobora, seco”. Universidade Federal de São Paulo. Disponível em: https://tabnut.dis.epm.br/alimento/12014/semente-de-abobora-seco. Acesso em 18 de novembro de 2019.

(2) MONTEIRO, Thaís Helena; VANNUCCHI, Helio. “Magnésio”. International Life Sciences Institute (ILSI Brasil), 2010. Disponível em: https://ilsi.org/brasil/wp-content/uploads/sites/9/2016/05/16-Magne%CC%81sio.pdf. Acesso em 18 de novembro de 2019.

(3) VERONEZI, Carolina Médici; JORGE, Neuza.”Aproveitamento de sementes de abóbora (Cucurbita sp) como fonte alimentar”. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, 2012. Disponível em: http://www.deag.ufcg.edu.br/rbpa/rev141/Art1410.pdf . Acesso em 18 de novembro de 2019.

(4) Unimed. “Fibras alimentares”. Disponível em: http://www.unimed.coop.br/portalunimed/cartilhas/fibras/pdf/cartilha.pdf. Acesso em 18 de novembro de 2019.

(5) ESTRELLA-MEDONZA, María Fernanda; et al. “Cucurbita argyrosperma Seed Extracts Attenuate Angiogenesis in a Corneal Chemical Burn Model”. Nutrients, 2019. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6567871/. Acesso em 18 de novembro de 2019.

(6) LESSTARI, BENI; et al. “Supplementation with extract of pumpkin seeds exerts estrogenic effects upon the uterine, serum lipids, mammary glands, and bone density in ovariectomized rats”. Phytotherapy Research, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1002/ptr.6280. Acesso em 18 de novembro de 2019.

(7) Ministério da Saúde. “Manual de atenção à mulher no climatério/menopausa”. 2008. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_atencao_mulher_climaterio_menopausa.pdf. Acesso em 18 de novembro de 2019.

(8) A. Gauruder-Burmester; et al. “Cucurbita pepo-Rhus aromatica-Humulus lupulus Combination Reduces Overactive Bladder Symptoms in Women – A Noninterventional Study”. Palnta Med, 2019. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/31261419. Acesso em 18 de novembro de 2019.

(9) R Damiano; et al. “The role of Cucurbita pepo in the management of patients affected by lower urinary tract symptoms due to benign prostatic hyperplasia: A narrative review”. Arch Ital Urol Androl, 2016. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27377091. Acesso em 18 de novembro de 2019.

(10) CORRÊA, Ana Paula Antunes; et al. “Perfil de ácidos graxos do óleo de semente de abóboras crioulas (Cucurbita máxima L.)”. III Congresso de Brasileiro de Processamento de Frutas e Hortaliças, 2013. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/93562/1/cd229-387-1-RV.pdf. Acesso em 18 de novembro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.