Romã: 6 benefícios e como fazer o chá

A romã é uma fruta de cheiro agradável, aspecto exótico, de pigmentação forte e abundante em benefícios para a saúde.

Segundo os especialistas, ela tem efeito anti-inflamatório que é eficaz contra dores de garganta, gengivite e aftas. Além disso, diminui o risco de doenças cardíacas, auxilia no combate a infecções e pode, inclusive, ajudar a combater a obesidade.

Romã aberta

Os componentes da romã atuam em busca do equilíbrio da pressão, evitando a hipertensão (Foto: depositphotos)

Principais benefícios da romã

As romãs são ricas em vitamina C, potássio e fibra. A maior parte dessa fibra é encontrada nas sementes brancas, escondidas sob os bolsos de suco. Contém 48% da ingestão diária recomendada de vitamina C, importante para uma variedade de funções de saúde.

Segundo o nutricionista, Vitor Boico, “a fruta é rica em compostos bioativos, ou seja, compostos que têm um grande potencial terapêutico. Os mais presentes na semente são os polifenóis, das classes das antocianinas, principalmente a cianidina e delfinidina. Estes compostos são eficazes na prevenção da obesidade e no controle da glicemia”, apontou.

No entanto, estes não são os únicos benefícios da romã. Confira algumas das principais vantagens para o organismo que seu consumo oferece, segundo a ciência:

1. Alto poder anti-inflamatório

Esse é um dos principais motivos da fama dessa fruta. É por ser anti-inflamatória que ela é comumente indicada para o combate e alívio das dores de garganta. Estudos mostram, ainda, que a ingestão de suco de romã é capaz de reduzir, em aproximadamente 30%, a inflamação no organismo de indivíduos com diabetes tipo 2. (1)

Ela é um excelente anti-inflamatório por conta da alta concentração de antioxidantes. Sabe-se que a fruta possui em si mais de 100 fitoquímicos, substâncias antioxidantes que protegem o corpo contra diversas doenças. Dentre eles, os que mais se destacam por atuar diretamente no fortalecimento da imunidade são o betacaroteno, a luteína e a zeaxantina, atenuando a ação dos radicais livres, limpando o organismo e reduzindo a inflamação.

2. Ajuda a diminuir a pressão arterial

Em estudo publicado na Research Phytotherapy, pessoas com hipertensão tiveram uma redução significativa na pressão sanguínea após consumir 150 ml de suco de romã diariamente por duas semanas. (2)

Acredita-se que elas reduzem a pressão sanguínea através da moderação dos níveis da enzima de conversão da angiotensina (ECA), proteína que desempenha um papel importante no controle da pressão arterial, controlando o tamanho dos vasos sanguíneos no corpo.

Os inibidores de ECA são frequentes na produção de fármacos para controle de hipertensão mas, felizmente, também podem ser obtidos naturalmente.

3. Reduz o risco de doenças cardíacas

As doenças cardíacas são as principais causas de morte do mundo e são impulsionadas por diversos fatores como diabetes, hipertensão, colesterol e triglicérides elevados. Um estudo realizado com 51 pessoas mostrou que a ingestão de 800 mg de óleo de romã durante 4 semanas diminuiu significativamente os níveis de triglicerídeos e HDL no sangue. (3) A consequência é um coração mais saudável e protegido.

Isso acontece pois a romã é rica em uma substância chamada punicalagina, uma classe potente de polifenóis que ajuda a melhorar a circulação sanguínea, regular a pressão arterial, diminuir o colesterol ruim e o triglicérides e reduzir as chances do indivíduo sofrer com aterosclerose e AVC.

4. Combate infecções

Essa é uma das poucas frutas comprovadamente capazes de combater infecções fúngicas e bacterianas. A candidíase, por exemplo, é um problema comum que afeta milhares de mulheres, devido a reprodução exagerada da Candida Albicans, um tipo de levedura, cuja qual a romã se mostrou eficaz em combater.

Sua atividade antifúngica tem sido associada à presença de punicalagina, um dos principais componentes da planta. Além disso, o extrato das cascas de romã causa sérios danos à estrutura celular das leveduras de C. albicans, interferindo no crescimento e/ou desenvolvimento de fungos e, consequentemente, impedindo sua proliferação. Os benefícios surtem efeito satisfatório também na candidíase oral.

Na forma de suco, a fruta também ajuda a eliminar da boca agentes nocivos, causadores de gengivite e periodontite.

5. Fortalece o sistema imunológico

A romã possui alta concentração de vitamina C, que é reconhecidamente um excelente protetor e fortalecedor do sistema imunológico, ajudando a manter afastados problemas como gripes e resfriados, pois aumenta a produção de anticorpos. A fruta ainda é rica em zinco e magnésio, auxiliando no combate às infecções urinárias.

6. Auxilia na prevenção do câncer de mama e de próstata

O extrato dessa fruta pode não somente prevenir o crescimento de células cancerosas, como eliminar algumas delas. Por isso, ela tem sido estudada como um potente antígeno ao câncer de mama e de próstata.

Acredita-se que esta é mais uma consequência da sua alta concentração de antioxidantes e flavonoides, que protegem as células e exercem papel curativo, impedindo a multiplicação das células cancerígenas.

Tabela nutricional

Porção de 100 gramas Quantidade por porção
Valor energético 51 Kcal
Proteína 0,4 g
Colesterol  –
Carboidrato 15,1 g
Fibra 0,4 g
Cálcio 5 mg
Fósforo 40 mg
Ferro 0,3 mg
Sódio 1 mg
Potássio 485 mg
Vitamina C 8,1 mg
Magnésio 13 mg

* Valores diários de referência com base em uma dieta de 2000kcal ou 8400kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas. Dados retirados do TACO, edição revisada e ampliada. (4)

Romã emagrece?

Sim, é verdade. A romã tem baixo teor de calorias, portanto pode ser consumida sem culpa, mas sempre com equilíbrio.

Deste modo, além de combater e prevenir doenças, ao ingerir um copo de suco de romã você ajuda na diminuição dos níveis de cortisol, que podem provocar o aumento de peso. Além disso, ela favorece o aumento da circulação e é diurético, o que ajuda a eliminar a celulite e a retenção de líquidos.

Como consumir?

Existem muitas maneiras deliciosas de fazer esse consumo. Uma delas é abrindo o fruto em duas ou quatro partes para facilitar a retirada das sementes encarnadas, parte comestível da fruta. Outra maneira é através do preparo de sucos. No entanto, uma das melhores formas de utilizá-la e obter seus benefícios é através do chá feito com as casca.

Segundo Vitor Boico, “na maioria das vezes a casca da romã é descartada, entretanto é a parte da fruta que possui maior potencial terapêutico. Um estudo recente da USP indicou que a casca possui 10 vezes mais potencial antioxidante que a polpa e também atua na prevenção do Alzheimer, favorecendo a sobrevivência dos neurônios e preservando a memória“, salientou o nutricionista.

Como preparar o chá de romã

Xícara com chá de romã

O chá é muito usado para aliviar dores de garganta e tratar aftas, gengivites e demais problemas bucais (Foto: depositphotos)

O chá de casca de romã é altamente eficaz no combate a dores de garganta, além de auxiliar no tratamento de aftas e prevenir cáries, por conta de seu efeito antisséptico e antibiótico natural.

Ingredientes

  • 6 g de casca de romã
  • 100 ml de água.

Modo de preparo

Segundo recomenda a ANVISA, coloque os ingredientes numa panela e ferva por 2 minutos. Desligue o fogo e deixe descansar por 10 minutos. Esse líquido não deve ser ingerido, apenas servir para bochechos e gargarejos.

É importante lembrar que todo e qualquer tratamento, seja ele com remédios naturais ou sintéticos, deve ser prescritos e supervisionados por um médico. A automedicação é perigosa.

Cuidados e contraindicações

A romã pode interferir negativamente na ação de alguns medicamentos, como: anticoagulantes, anticonvulsivantes e estatinas. Por conta de seu poder de baixar a pressão arterial, a fruta também deve ser evitada por pessoas com tendência à hipotensão, ou indivíduos que fazem uso de medicação para este fim.

Segundo o nutricionista Vitor Boico, “o uso da romã não é recomendado para gestantes, lactantes e crianças menores de dois anos”.

Curiosidades sobre a romã

A história da romã é mais antiga do que muita gente imagina. Com origem na Pérsia, hoje denominada Irã, a fruta ganhou força na Ásia Central e em muitos países do mediterrâneo.

No deserto, era apreciada pela capacidade de se manter suculenta mesmo em situações de calor e aridez, o que rendia um suco saboroso e capaz de saciar a sede durante as longas jornadas. Segundo a bíblia sagrada, ela foi uma das sete especiarias com as quais a terra de Israel foi abençoada.

A romã chegou ao Brasil pelas mãos dos portugueses, onde ganhou fama e condições adequadas para o cultivo.

*Artigo feito com a colaboração do nutricionista e coordenador do curso de nutrição da Anhanguera, Vitor Boico (CRN3 43159).

Referências

(1) SOHRAB, G; et al. Effects of pomegranate juice consumption on inflammatory markers in patients with type 2 diabetes: A randomized, placebo-controlled trial. J Res Med Sci. 2014 Mar;19(3):215-20. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24949028. Acesso em: 06 de novembro de 2019.

(2) ASGARY, S. et al. Clinical Evaluation of Blood Pressure Lowering, Endothelial Function Improving, Hypolipidemic and Anti‐Inflammatory Effects of Pomegranate Juice in Hypertensive Subjects. 21 March 2013. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/ptr.4977. Acesso em: 06 de novembro de 2019.

(3) MIRMIRAN, P; et al. Effect of pomegranate seed oil on hyperlipidaemic subjects: a double-blind placebo-controlled clinical trial. Br J Nutr., 2010, aug;104(3):402-6. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20334708. Acesso em: 06 de novembro de 2019.

(4) TACO, Tabela Brasileira de Composição de Alimentos. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. 2011. Disponível em: http://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/2017/03/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf . Acesso em: 06 de novembro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Bruna Souza
Paulista, geminiana e apaixonada pelo universo da leitura e da escrita, decidiu fazer desse mundo sua profissão e atua como redatora freelancer desde 2017.