Remédios caseiros para hiperidrose

O problema pode ser genético ou causado por alguma patologia. Entenda melhor

Sabia que existem remédios caseiros para hiperidrose? Quando se vive em um país tropical e de clima quente como o Brasil, é comum suar muito, principalmente no verão. Quando estamos nervosos e muito agitados, nosso corpo também costuma reagir com uma quantidade maior de suor, assim como durante a prática de atividades físicas e em várias outras situações do nosso dia a dia.

Mas, é preciso ficar atento, pois, em alguns casos, o suor pode representar um problema mais sério e que necessita de tratamento: a hiperidrose.

Tratamento com remédios caseiros para hiperidrose

A hiperidrose acaba se tornando muito desconfortável, pois muitas vezes interrompe as atividades diárias típicas, deixando a pessoa com vergonha e em situações embaraçosas.

Um dos efeitos desagradáveis de quem tem esse problema são as grandes manchas de suor na área das axilas, principalmente quando o tecido da roupa é colorido. Outra situação muito comum é o constrangimento ao se cumprimentar alguém com a mão úmida e, em alguns casos, o odor desagradável que o suor em excesso pode causar.

A boa notícia é que existem opções de tratamentos caseiros simples que podem ajudar a amenizar e aliviar esses desconfortos. Confira abaixo algumas receitas sugeridas por Katleen, com dicas e orientações da dermatologista:

Chá de Sálvia

Chá de sálvia

O chá de sálvia deve ser consumido duas vezes ao dia (Foto: depositphotos)

O chá de sálvia é um excelente medicamento para hiperidrose, pois possui propriedades anti-sudoríficas, ajudando a impedir e regular a produção de suor de forma excessiva. Para preparar, use 500 ml de água e duas colheres (de chá) de folhas de sálvia. Junte os dois ingredientes e deixe de repouso durante um período de, aproximadamente, 5 minutos. Coe e consuma em seguida, bebendo até duas vezes ao dia.

Talco e bicarbonato

Bicarbonato de sódio

Misture o bicarbonato de sódio com talco e use após o banho (Foto: depositphotos)

Misture uma colher de bicarbonato de sódio e uma colher de fécula de milho ao seu talco e use sempre após o banho. Aplique, principalmente, nas áreas propensas a sofrer com a transpiração.

Veja tambémSuor excessivo e mau cheiro nas axilas – Elimine com remédios caseiros

Limão

Limões

O limão elimina as bactérias e melhora o odor (Foto: depositphotos)

O limão é outra forma de combater essa transpiração excessiva. Ele funciona como um desodorante natural, mantendo um cheiro agradável e fresco, além de ajudar a eliminar as bactérias. Para isso, aplique um pouco do sumo do limão antes do banho, deixe um tempo e depois lave. Com isso, você poderá observar que a região ficará mais seca.

Vinagre de maçã

Vinagre de maçã

Consuma o vinagre de maçã diluído em água (Foto: depositphotos)

O vinagre de maçã, quando ingerido, ajuda a equilibrar o nível de pH do corpo. Coloque uma colher desse vinagre em um copo de água e consuma ao acordar. O vinagre de maçã deve ser consumido em jejum, ou seja, antes de consumir qualquer alimento.

Além dessas receitas, Katleen também recomenda outras dicas que podem ajudar a aliviar esses desconfortos. São elas: “evite se estressar e consumir alimentos que contenham cafeína em sua composição; beba bastante água e coma alimentos saudáveis para evitar o ganho de peso”.

Mas nunca esqueça que é imprescindível se consultar com um médico para avaliar especificamente o seu caso e, assim, iniciar o tratamento adequado com segurança.

Mas o que é exatamente a hiperidrose?

O suor comum é a transpiração fisiológica do ser humano. Produzimos suor, principalmente, para resfriar a superfície da pele e manter a temperatura do corpo, mas ele também tem outras funções, como hidratar a pele e eliminar metabólitos do organismo.

Já a hiperidrose é uma doença caracterizada pelo suor excessivo, ou seja, um aumento anormal da produção de suor, provocando desconforto. O problema pode atingir várias partes do corpo. Segundo a dermatologista Katleen Conceição, a pessoa que tem essa condição apresenta sudorese em excesso mesmo quando não está calor ou mesmo estando em repouso absoluto.

Veja também: Saiba como dar adeus aos suores da menopausa com remédios caseiros

As causas podem ter origem genética ou patológica. “A principal causa de hiperidrose é uma espécie de hiperatividade das glândulas sudoríparas. Isso significa que algum fenômeno está estimulando exageradamente essas estruturas. O agente causador mais comum é a hereditariedade, mas também pode ser ocasionada por fenômenos como a menopausa, doenças cardíacas, ansiedade, hipoglicemia, obesidade, diabetes, entre outros”, diz Katleen.

Tipos de hiperidrose

Existem dois tipos de hiperidrose, a primária e a secundária. Katleen explica que a hiperidrose primária é genética, ou seja, geralmente, o indivíduo tem pelo menos uma outra pessoa na família que também apresenta o mesmo problema. “Esse tipo de hiperidrose começa a se manifestar durante a infância ou, no máximo, durante os primeiros anos da adolescência. As áreas mais afetadas são as mãos, os pés, as axilas e o rosto”, afirma a dermatologista.

Já a hiperidrose secundária é causada, normalmente, por problemas de saúde; fenômenos naturais, como a menopausa já citada anteriormente; ou também como efeito colateral de algum medicamento. “Esse tipo de hiperidrose pode afetar qualquer parte do corpo, a qualquer momento do dia, inclusive durante a noite. Além disso, a hiperidrose secundária pode afetar pessoas de todas as idades, no entanto, é mais comum em indivíduos adultos”, explica a profissional.

Como evitar a hiperidrose?

Existem algumas recomendações que podem ajudar a evitar a hiperidrose secundária, já que a primária é um fator genético e, devido a isso, acaba sendo um pouco difícil de escapar dessa complicação.

Suor nas axilas

A hiperidrose primária é genética (Foto: depositphotos)

“A melhor forma de evitar à hiperidrose secundária é se prevenir contra as doenças que causam o problema. No entanto, algumas mudanças simples no estilo de vida podem evitar crises de suor excessivo”, diz Katleen.

Veja algumas medidas sugeridas pela dermatologista, que podem evitar a transpiração em excesso:

  • Use antitranspirantes

Criar o hábito de utilizar antitranspirantes é uma etapa importante no processo de prevenir o suor. Aplique o antitranspirante ao menos duas vezes ao dia – de preferência antes de dormir ou acordar, e logo após o banho. Mas, antes disso, não se esqueça de secar bem a região em que o produto será aplicado. Também vale aplicar um antitranspirante spray nos pés, incluindo as solas e entre os dedos, para evitar o acúmulo de suor e consequente mau cheiro na região.

  • Deixe os pés respirarem

Devido às exigências da rotina por um vestuário mais formal, é comum que não deixemos nossos pés respirarem adequadamente, pois estamos sempre usando sapatos apertados ou muito fechados. Sendo assim, separe algumas horas do dia para utilizar somente sandálias, chinelos ou mesmo ficar descalço por um tempo.

Veja também: Manchas de suor na roupa? Aprenda a remover com técnica caseira e prática

Para o dia a dia, experimente investir em sapatos fabricados em materiais naturais, como couro, por exemplo, ou com solados absorventes, especialmente pensados para quem sua muito. Outra saída é investir em tênis com furinhos especiais nas laterais e na frente, desenhados especialmente para que o pé possa ser arejado durante o uso do calçado.

*Informações sobre a especialista entrevistada

Dra. Katleen Conceição
Dermatologista Referência em Pele Negra
Dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia
Membership of Skin of color Society

Sobre o autor

Jornalista (MTB-RJ: 36167), formada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela PUC-Rio e especialização em Jornalismo Cultural, pela UERJ. Como redatora web, escreve matérias sobre assuntos diversos. Também atua na área de marketing de conteúdo e produção audiovisual.