Remédio caseiro para dor de dente

É comum procurarmos remédio caseiro para dor de dente, uma vez que esse problema bucal é bastante comum. Mas o que poucas pessoas sabem é que esse é apenas um sintoma, conforme explica o cirurgião dentista Lucas França.

“A maior causa das dores nos dentes são as cáries. Ela é o principal fator da dor, porém existem outras causas, por exemplo a gengivite, quando os dentes estão erupcionando (nascendo), fraturas dentais etc”, destaca o profissional.

Ainda segundo o dentista, o melhor a se fazer nesses casos é buscar ajuda de um especialista. Pois só um profissional da área está apto para indicar o melhor tratamento possível.

No entanto, enquanto você não marca uma consulta, pode utilizar-se de alguns tratamentos caseiros que podem amenizar as dores de dente. Apesar disso, é importante visitar um cirurgião dentista o quanto antes.

O que é bom para dor de dente?

Óleo de cravo, açafrão e alho são alguns dos remédios caseiros indicados para aliviar as dores de dente provocadas por cáries, inflamações etc.

Mulher com dor de dente

Entre os remédios caseiros estão especiarias, chás e óleos naturais (Foto: depositphotos)

De acordo com a literatura e alguns estudos, esses e outros produtos naturais podem contribuir com o alívio desse sintoma. Portanto, acompanhe a seguir como usar esses e outros métodos no controle da dor.

1. Óleo de cravo

O óleo de cravo-da-índia possui uma substância chamada de eugenol, que inclusive é a responsável pelo aroma dessa especiaria. Esse mesmo elemento apresenta efeitos anti-inflamatório, cicatrizante e analgésico, e por tudo isso, é eficaz na diminuição de bactérias presentes na boca. (1)

Além disso, é um produto natural com propriedades antibactericida, anestésica e antisséptica. Sendo assim, indicado para o alívio de dores de dente. (1)

Então, quem deseja utilizá-lo como remédio caseiro, deve passar o óleo de cravo pelas gengivas. (2) Com isso, o sintoma pode regredir até que você consiga marcar uma consulta.

2. Açafrão

O segundo remédio natural para o alívio de dores é o açafrão, também conhecido como cúrcuma. Entre as propriedades desse produto estão a ação anti-inflamatória, antibacteriana e sedativa. (3)

Com tudo isso, o açafrão é indicado para diminuir os sintomas de dentes inflamados. O uso pode ser feito através de um gargarejo com a infusão de 1,5 gramas de rizomas para 150 ml de água. Repita o tratamento até duas vezes por dia. (3)

3. Chá das folhas de goiabeira

Se utilizado como bochecho e gargarejo, o chá das folhas de goiabeira pode ser benéfico para tratar inflamações da boca e da garganta. Além disso, a bebida também possui ação analgésica, contribuindo para a diminuição da dor de dente.

Para aproveitar todos esses benefícios, basta preparar o chá por decocção. Sendo assim, você vai precisar de 30 gramas de folhas para 1 litro de água filtrada. Quando o remédio estiver pronto, use um xícara do líquido de três a cinco vezes por dia. (4)

4. Chá das folhas de batata-doce

Apesar de pouco comum no dia a dia, as folhas da batata-doce também possuem grandes benefícios para o organismo humano. Inclusive, seu consumo está sendo indicado por especialistas devido ao alto teor de vitaminas e minerais que elas possuem. (5)

Além disso, essa parte da batata-doce possui ainda um efeito anti-inflamatório, podendo ser utilizada no combate às inflamações bucais. Por isso, é recomendado fazer a infusão dessas folhas e com o chá morno, realizar bochechos. (2)

5. Alho

Esse remédio natural contra dores nos dentes é um velho conhecido das cozinhas brasileiras: o alho. Assim como o item anterior, esse famoso tempero é um anti-inflamatório. (6)

Sua ação contra as inflamações é tão forte que pesquisas comparam o alho com o ibuprofeno. Esse último remédio é facilmente encontrado nas farmácias, pois é um medicamento bastante utilizado no Brasil no combate à febre, inflamações e até mesmo dores. (7)

Por tudo isso, o alho é o nosso quinto método caseiro para tratar dores de dente. Para utilizá-lo, é preciso amassar um dente de alho e depois aplicá-lo na área dolorida. (2)

Remédio caseiro para dor de dente em grávidas

Nem todos os procedimentos de saúde podem ser adotados em gestantes, principalmente se tratando de métodos naturais. Por essa razão, o Remédio Caseiro trouxe um tópico especial para esse grupo de mulheres.

No caso das grávidas com dores de dente, o recomendado é utilizar do sumo das folhas de hortelã.(2) Essa erva já é uma velha conhecida das gestantes, pois contribui com o alívio de enjoos e vômitos durante essa fase.

Folhas de hortelã

Para usar dos benefícios dessa planta, é preciso fazer um sumo e aplicá-lo no dente (Foto: depositphotos)

Mas, o grande segredo dessa planta é o seu efeito analgésico, por isso é utilizada como remédio natural para dor de dente. (8) Sendo assim, o recomendado é colocar um chumaço de algodão, embebecido de sumo de hortelã, sobre o dente inflamado ou cariado.

Contudo, é importante lembrar que esse tratamento deve ser adotado de forma temporária. Nenhum remédio, caseiro ou não, consegue substituir o papel do cirurgião dentista diante desses problemas bucais.

Quais as causas de dor de dente?

Como visto no início desse artigo, o dentista Lucas França destacou as cáries como as campeãs de reclamações nos consultórios. Mas as dores de dente não surgem apenas desse fator, e sim de outras situações como o nascimento de novos dentes (siso), dentes quebrados e até mesmo problemas na gengiva.

Por exemplo, no caso do dente siso, também chamado de terceiro molar ou “dente queiro”, o incômodo pode surgir durante ou após o nascimento desse dente.

“Na maioria dos casos, esses dentes provocam dor pela inclusão dele no nosso osso (maxilar ou mandibular) e pela falta de espaço que a boca tem para esses dentes nascerem. Também existem casos em que os dentes sisos erupcionam em alguma posição desfavorável à higienização e isso cause consequências.”

Além disso, Lucas informa que problemas na gengiva podem causar as dores, como no caso da gengivite. Essa condição é uma inflamação do tecido gengival e se não for tratada pode evoluir para uma periodontite, afetando a sustentação do dente.

Como tratar problemas dentários?

De acordo com o cirurgião dentista, o tratamento feito em consultório vai depender do problema apresentado pelo paciente. Por exemplo, em casos de dentes “furados” ou cariados, o profissional vai buscar a restauração desse dente, que pode ser feita com resina (cor branca) ou amálgama (cor metálica).

Já se a cárie está muito profunda, atingindo o nervo dentário, o tratamento necessário é chamado de canal.

“Nesses casos, devemos abrir o dente e limparmos, com auxilio de substâncias químicas e mecânicas, para em seguida obturamos o dente com um material biocompatível com o corpo humano. Devolvendo ao paciente o alívio da dor e a função mecânica e mastigatória”, informa Lucas França.

Também há situações como a quebra de um dente, exigindo outras medidas do profissional da área.

“Quando o dente quebrar ou cair por inteiro (em casos de acidente), é recomendado que o paciente pegue o fragmento ou o elemento e não lave. Guarde-o em um copo com soro fisiológico e se não tiver soro, o paciente poderá usar a sua própria saliva e procurar o dentista imediatamente, para o mesmo avaliar o caso.”

Ainda segundo Lucas França, existem casos em que o profissional consegue reaproveitar o fragmento quebrado ou até mesmo devolver o dente perdido. Mas isso só é possível, caso o paciente busque por um atendimento emergencial.

Cuidados bucais para evitar dores de dente

Existem diversas formas de cuidar da saúde bucal, prevenindo o surgimento de cáries e outras doenças que causam dor e incômodo. Nesse sentido, o dentista Lucas França recomenda duas medidas simples: escovação e uso do fio dental.

Para o profissional, a escova dental e o creme dental devem ser companheiros diários dos pacientes. “Recomendo escovar os dentes sempre após as refeições e não esquecer de escovar os dentes antes de dormir.”

Além disso, o fio dental é essencial nesse processo. Isso porque, a escova não alcança os pequenos espaços existentes entre um dente e outro. “Recomendo também fazer uma consulta e limpeza dentária com um dentista de 6 em 6 meses”, finaliza o profissional.

Mas além dos cuidados com a higienização da boca, outros detalhes podem fazer a diferença quando o assunto é evitar problemas dentários. Por exemplo, diminuir o consumo de alimentos e bebidas ricas em corantes e açúcares.

No mais, procure sempre um profissional da sua confiança para tirar suas dúvidas. Como dito no início do artigo, os remédios caseiros para dor de dente não substituem a avaliação de um dentista, mas ajudam a aliviar o incômodo até a consulta ser marcada.

*Artigo feito com a colaboração do cirurgião dentista Lucas França (CRO-PE 12.521).

Referências científicas

Por fim, veja abaixo as referências científicas usadas na produção deste artigo. O Remédio Caseiro é um site comprometido com informações verdadeiras, conteúdo relevante e, claro, com a sua saúde. Sendo assim, fique sempre bem informado(a) em nosso site!

Referências

(1) SILVESTRI, Jandimara Doninelli Fior Silvest et al. “Perfil da composição química e atividades antibacteriana e antioxidante do óleo essencial do cravo-da-índia (Eugenia caryophyllata Thunb.)“. Rev. Ceres, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rceres/v57n5/a04v57n5.pdf. Acesso em 12 de abril de 2019.

(2) CAVALCANTE, Osmar C. “Remédios Caseiros Aprovados“. Editora EDIOURO.

(3) MARCHI, Juliana Pelissari et al. “Curcuma longa L., o açafrão da terra, e seus benefícios medicinais“. Arq. Cienc. Saúde UNIPAR, Umuarama, v. 20, n. 3, 2016. Disponível em: revistas.unipar.br/index.php/saude/article/view/5871. Acesso em 12 de abril de 2019.

(4) Repositório Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/114281/201736.pdf?…1. Acesso em 12 de abril de 2019.

(5) JOSÉ, António Elísio. “Compostos fenólicos e atividade antibacteriana em acessos de Ipomoea Batatas (L.) Lam (batata-doce)“. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2012. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/60480/000861944.pdf;sequence=1. Acesso em 12 de abril de 2019.

(6) Ministério da Saúde e Anvisa. “Monografia da espécie Allium sativum (Alho)“. Brasília, 2015. Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/setembro/11/Monografia-Allium.pdf. Acesso em 12 de abril de 2019.

(7) LOUISE, Bárbara. “A ciência usa o alho“. Revista Viva Saúde. Disponível em: http://sban.cloudpainel.com.br/source/A-ciAncia-usa-o-Alho.pdf. Acesso em 12 de abril de 2019.

(8) Silva, T.X. et al. “Propriedades terapêuticas de plantas medicinais cultivadas no projeto ‘Sementinha’“. UNISUAM, 2006. Disponível em: http://apl.unisuam.edu.br/augustus/pdf/ed23/rev_augustus_ed_23_07.pdf. Acesso em 12 de abril de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.