Benefícios da quina

Você já ouviu falar sobre os benefícios da quina? Essa plantinha tropical ainda é desconhecida por muita gente, mas é um grande produto natural para melhorar a saúde e prevenir doenças.

Aqui você vai descobrir tudo sobre os poderes medicinais dessa planta. E o melhor: tudo comprovado pela ciência e medicina!

Com o nome científico Cinchona officinalis, trata-se de uma planta nativa da América do Sul, mais precisamente das regiões tropicais.

É fonte de uma substância medicinal chamada quinina, o que acabou sendo referência para os seus nomes conhecidos, como: quina, quina-amarela, quina-quina, entre outros.

As partes mais utilizadas são as folhas e as cascas da raiz, do tronco e dos ramos. São produtos naturais muito comuns na produção de chás.

Além disso, possuem diversos benefícios saudáveis. Ficou curioso (a)? Confira essas e mais informações abaixo!

Quais são os benefícios da quina?

A quina é uma planta com vários benefícios, entre eles se destacam o auxilio no tratamento contra a malária e o combate aos fungos.

Entre os benefícios da quina estão o tratamento e a prevenção da malária (Foto: Jo Jan | Reprodução Wikipedia)

Confira abaixo todas as vantagens saudáveis da quina que já foram comprovadas pela medicina.

Ajuda no tratamento contra a malária

Em primeiro lugar, vamos destacar um benefício peculiar que faz a quina ser conhecida no meio científico: ela ajuda no tratamento e combate da malária (1).

Não chega a ser um remédio natural, mas é considerada uma planta que auxilia no tratamento dessa doença.

Na ciência, chamam a quina de planta “antimalarial”. Isso acontece porque a quinina é o composto ativo do quinino, principal medicamento utilizado para o tratamento da malária.

Sabemos que esse benefício é bem específico, e que a maioria das pessoas não procura essa planta por causa dele, mas é importante citá-lo pois ele é muito raro. Portanto, a quina é um dos poucos alimentos antimalariais que existem.

Além disso, um estudo realizado na França comprovou que o consumo da quina é capaz de prevenir a malária, além de ajudar no tratamento contra a doença (2).

Elimina bactérias e vírus

Outro benefício comprovado através de um estudo científico é o efeito antibacteriano da quina (3).

De acordo com a medicina, análises laboratoriais mostraram que a composição dessa planta é rica em substâncias capazes de combater diversos tipos de bactérias, sejam as que promovem doenças ou as mais comuns e inofensivas.

Além disso, o estudo traz a informação que há também o efeito antiviral. Ou seja, a planta é capaz de prevenir e combater vírus presentes no organismo.

Sendo assim, a planta pode ser muito importante em diversos tratamentos de doenças causadas por vírus, como a gripe, por exemplo.

Combate fungos

O mesmo estudo que obteve a resposta do poder antibacteriano da quina também provou para o mundo que a planta possui ação contra os fungos (3).

O efeito antifúngico também acontece devido à composição rica da planta, que pode matar agentes nocivos ao organismo.

É um parasiticida natural

Já que estamos falando de eliminar do corpo organismos que nos fazem mal, a quina também é considerada um alimento anti-helmíntico (3).

Esse é o nome dado aos remédios e produtos naturais capazes de combater e eliminar parasitas do organismo humano.

Contudo, vale destacar que esse benefício é um auxiliar no tratamento contra os parasitas.

Apenas consumir a quina ou o chá dessa planta não será suficiente para eliminar vermes intestinais, por exemplo. O chá e outros produtos derivados da quina devem ser usados para reforçar o tratamento apenas.

Como fazer chá de quina?

O preparo do chá de quina é bem simples e fácil de fazer. Tudo que você precisa é água quente e a planta.

Nesse caso, você pode usar as folhas ou a casca, pois ambas trazem os mesmos benefícios. Siga as instruções abaixo para fazer o melhor chá saudável de quina:

  1. Leve ao fogo uma panela com 1 litro de água
  2. Quando ferver, adicione 2 colheres da casca da planta e deixe por 10 minutos. Se for usar as folhas, não precisa deixar por esse tempo na fervura
  3. Desligue o fogo e deixe tampado por 10 minutos
  4. Por fim, coe e beba sem adoçar.
Cascas da quina

Tanto as folhas como as cascas da quina possuem efeitos benéficos para saúde (Foto: H. Zell | Reprodução Wikipedia)

É importante não adoçar esse chá de nenhuma maneira, pois os adoçantes e açúcares vão anular alguns dos principais benefícios.

Mas, se você quiser adoçar de qualquer maneira, opte por uma colher (de chá) de mel de abelha para cada xícara. Isso porque, pelo menos, você pode aproveitar os benefícios saudáveis do mel.

Quantas vezes e como tomar a infusão?

Esse chá deve ser tomado até três vezes ao dia, em caso de auxiliar tratamentos médicos.

Caso você apenas queira obter os benefícios, uma ou duas xícaras por dia são suficientes.

Mas atenção, não consuma mais do que o recomendado, pois as substâncias da planta podem acabar tendo um efeito contrário do que o esperado.

Onde comprar quina?

Como falamos antes, a quina é uma planta tropical, o que significa que é mais comum no Norte e Nordeste do Brasil.

Nessas regiões, é possível encontrar a quina em feiras livres, mercados e lojas de plantas. Para quem é de outras áreas, a melhor opção é procurar uma loja de produtos naturais online.

Além disso, a quina também pode ser encontrada em forma de cápsulas, mas é importante olhar no rótulo para ver se é a quina pura e verdadeira.

Algumas empresas optam por misturar as substâncias de várias plantas, o que resulta em benefícios e composições diferentes.

Por fim, você ainda pode procurar uma farmácia de manipulação da sua preferência e solicitar a produção de cápsulas com as substâncias encontradas na planta.

Seja qual for o jeito que você encontrar, temos certeza de que o consumo da quina vai lhe fazer bem, se for feito da forma correta.

Desenho da quina

A planta pode ser encontrada em lojas de produtos naturais ou feiras livres (Foto: depositphotos)

Cuidados e contraindicações

Ainda existem algumas dúvidas sobre quem pode e quem não pode consumir receitas e produtos à base de quina.

Sendo assim, há algumas recomendações importantes e cuidados necessários para esse consumo. Confira:

  • Não é indicado para mulheres grávidas ou lactantes
  • Não é indicado para crianças com menos de 6 anos
  • É proibido para quem sobre de doenças psicológicas, como ansiedade e depressão.

Todos esses pontos são, na verdade, prevenções. A ciência ainda não sabe como a planta reage nesses grupos de pessoas, por isso, é melhor evitar enquanto não há uma resolução concreta sobre os efeitos colaterais.

Além disso, é importante deixar claro que o consumo exagerado da quina pode trazer prejuízos à saúde, como mal-estar, tonturas, desconforto abdominal e náusea.

Para evitar o uso de forma errada, consulte um médico (a) e peça a opinião do mesmo sobre o uso da quina como remédio caseiro e natural.

Referências

(1) MALDONADO C, et al. “Phylogeny Predicts the Quantity of Antimalarial Alkaloids within the Iconic Yellow Cinchona Bark (Rubiaceae: Cinchona calisaya)“. 2017. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28382048. Acesso em 09 de jul. de 2019.

(2) GACHELIN G, GARNER P, FERRONI E, TROHLER U, CHALMERS I. “Evaluating Cinchona bark and quinine for treating and preventing malaria“. 2017. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28169590. Acesso em 09 de jul. de 2019.

(3) DVORKIN-CAMIEL L, WHELAN JS. “Tropical American plants in the treatment of infectious diseases“. 2008. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22436096. Acesso em 09 de jul. de 2019.

(4) ROJAS JJ, OCHOA VJ, OCAMPO SA, MUÑOZ JF. “Screening for antimicrobial activity of ten medicinal plants used in Colombian folkloric medicine: a possible alternative in the treatment of non-nosocomial infections“. 2006. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16483385. Acesso em 09 de jul. de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
24 anos, é jornalista e produtor de conteúdo especializado. Atua com produção jornalística há 4 anos. Vencedor do prêmio de empreendedorismo digital “Academic Winner 2017”, promovido pela DeVry University na Califórnia, Estados Unidos. Tem no currículo trabalhos em emissoras de televisão, jornal impresso, revistas e internet. É pernambucano e tem como hobbies escrever, jogar videogames, cinema e estudos sociais.