Queimou a língua? Veja remédios caseiros para tratar o problema

Além de saber o que ajuda, veja também o que evitar para não piorar o desconforto

Quem nunca queimou a língua depois de ingerir uma bebida ou um alimento muito quente, não é mesmo? Essa situação é muito comum de acontecer, principalmente durante o consumo de café, chá, chocolate quente e sopas. A sensação é bem incômoda e pode causar dor intensa e deixar a língua vermelha, rugosa, inchada e bastante sensível.

Mas, apesar do grande desconforto que esse problema pode causar, a boa notícia é que o preparo de receitas caseiras simples e fáceis podem ajudar a aliviar esses efeitos.

Remédios caseiros para tratar queimadura na língua

De acordo com a estomatologista Beatriz Venturi, assim que houver a queimadura, deve-se colocar compressas de água bem gelada, o que evita o edema. Após este cuidado inicial, ela sugere algumas outras opções eficazes e explica como usar corretamente cada uma delas:

  1. Iogurte natural gelado: Devido a sua textura, ao deslizar pela língua, o iogurte ajuda a reduzir a dor e o desconforto da queimadura. Além de trazer esse conforto, o iogurte também ajuda na recuperação da área queimada, porque refresca e hidrata a região. Espalhe na área e tente fazer isto repetidamente por uns 5 minutos.
  1. Gel de aloe vera: A aloe vera traz conforto, tem excelentes propriedades analgésicas e acelera a cicatrização. Você pode comprar o gel pronto ou então extrair da própria planta. Pode ser aplicado 3 vezes ao dia, até aliviar os sintomas.
  1.  Vitamina E: A vitamina E possui benefícios similares ao do aloe vera. Basta abrir as cápsulas e espalhar o conteúdo na língua queimada. Também pode ser usada 3 vezes ao dia.
Mulher queimou língua no café

A queimadura na língua sara em cerca de 48 horas, após isso procure um especialista (Foto: depositphotos)

Dicas para acelerar a recuperação

Uma dica muito importante para quem queimou a língua é evitar consumir certos tipos de alimentos que podem piorar a sensação de queimação e causar ainda mais desconforto. “Devemos evitar alimentos muito quentes, muito picantes ou muito salgados, pois eles podem intensificar os sintomas”, explica Beatriz.

Portanto, durante a recuperação, ou enquanto os sintomas permanecerem, evite consumir:

  • Sopas e bebidas quentes, pois, assim como o frio alivia e anestesia, o calor excessivo irrita ainda mais a sua língua escaldada.
  • Salgadinhos, azeitonas, pimentas, etc. Este tipo de comida também terá um efeito irritante sobre a mucosa lingual sensibilizada pela queimadura.
  • Alimentos muitos ácidos, como o maracujá e o abacaxi, por exemplo.
  • Cigarros e bebidas alcoólicas, já que ambos também são muito irritantes.

Veja também: Queimaduras do sol podem ser aliviadas com tratamentos caseiros

Além disso, beba bastante água. A água ajuda a balancear o pH da boca, reduzindo os níveis de acidez. A água também é responsável por manter a pele e mucosas bem hidratadas, o que ajuda na recuperação da queimadura.

Outras causas de queimadura na língua

Além de alimentos e bebidas excessivamente quentes, outros fatores também podem causar queimadura na língua. “Pode ser causada por medicamentos, como comprimidos ou enxaguatórios. O uso de água oxigenada ou água sanitária na boca, eventualmente, também pode causar”, aponta Beatriz.

Portanto, evite utilizar enxaguantes bucais a base de álcool e jamais tente ingerir ou levar à boca qualquer produto inadequado para este fim. Sempre consulte um médico antes de ingerir qualquer medicamento ou substância.

Quando se preocupar?

Beatriz diz que a sensação de queimação na língua, geralmente, passa em 48 horas. Mas, caso não melhore em sete dias, deve-se procurar um dentista para avaliar outras possíveis causas mais graves.

Também é preciso ficar atento quanto ao grau da lesão. Uma queimadura de primeiro grau causa dor, inchaço e vermelhidão na superfície da língua. A de segundo grau afeta a primeira e a segunda camada do músculo, podendo haver bolhas e uma aparência mais irritada. Já a queimadura de terceiro grau é capaz de afetar os tecidos mais internos da língua, causando uma cor branca ou preta. Neste caso, a pessoa pode sentir dormência e dor excessiva. A lesão também pode ocasionar a perda do paladar na área afetada, mas isso costuma melhorar de forma rápida.

Portanto, quando não existe uma melhora dos sintomas, quando a dor e o desconforto na língua são muito fortes ou quando existem sinais de ferida, procure ajuda médica, pois pode ter ocorrido uma queimadura mais grave e que necessita de tratamento médico.

Cuidados com a língua e outras regiões da boca

Segundo a profissional, devemos sempre evitar consumir alimentos muito quentes. O ideal é sempre deixar a comida esfriar um pouco, até ficar mais morna. Ela orienta também somente utilizar medicações conforme prescritas por médicos habilitados, pois qualquer automedicação é perigosa e pode causar problemas, incluindo, justamente, a queimadura na língua.

Outro cuidado essencial com a língua e outras regiões da boca é manter uma boa higiene bucal, pois bactérias em uma ferida aberta podem levar à infecção. “Algo muito importante é manter a boa higiene, pois a infecção secundária pode deixar sequelas, como cicatrizes ou perda da função”, explica Beatriz.

Veja também: Tire 5 dúvidas sobre saúde bucal e aprenda a limpar escova de dentes

Logo, para manter a boca saudável é necessário realizar a higiene bucal após as refeições. Isso envolve uma escovação eficiente, o uso do fio dental e uma limpeza caprichada da língua. Porém, no caso de uma queimadura no músculo, é recomendado evitar a escovação da língua até a lesão cicatrizar, pois o atrito da escova pode deixar o local ainda mais dolorido.

Sendo assim, depois de uma queimadura, escove os dentes completamente, passe o fio dental com cuidado, faça bochechos e beba muita água para lavar qualquer alimento ou bactéria acumulada na região.

*Informações sobre a especialista entrevistada

Dra. Beatriz Venturi
Especializada em estomatologia e patologia oral

Sobre o autor

Jornalista (MTB-RJ: 36167), formada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela PUC-Rio e especialização em Jornalismo Cultural, pela UERJ. Como redatora web, escreve matérias sobre assuntos diversos. Também atua na área de marketing de conteúdo e produção audiovisual.