Qual o tempero certo para cada alimento

Na antiguidade, esses temperos, que vinham da Índia, eram conhecidos por especiarias

Sabe aquela comida bem preparada que ninguém resiste ao seu cheiro, muito menos ao seu sabor? Pois bem, ela pode fazer parte do seu dia a dia a partir da forma e dos ingredientes utilizados para temperá-la.

O mercado oferece uma gama de temperos para dar aquele sabor especial no preparo dos pratos. Dessa forma, nada melhor que utilizá-los de forma correta para deixar o seu almoço ou jantar ainda mais saboroso.

Na antiguidade, esses temperos, que vinham da Índia, eram conhecidos por especiarias. A dificuldade de trazer os produtos até a Europa fez com que elas se tornassem um artigo de luxo.

Com o passar dos anos, essas especiarias se tornaram mais acessíveis. Dessa forma, não demorou muito para que elas fossem incorporadas na culinária de muitos povos, o que fez com que determinados pratos ganhassem ainda mais sabor.

O poder dos temperos

Entre os temperos mais conhecidos estão o alecrim, o orégano, o cominho e a pimenta

Os temperos proporcionam diferentes combinações aos pratos (Foto: depositphotos)

Na hora de combinar os temperos, seja com saladas, carne bovina, frango, peixes e até outros pratos, muita gente encontra dificuldades. Em alguns casos, essa combinação é comparada aos vinhos.

Porém, a partir da orientação de quem entende do caso, muita gente vai passar a ver essa dificuldade como mais um incentivo para experimentar as diferentes combinações as quais os temperos proporcionam aos pratos.

De acordo com a nutricionista Heloiza Muniz, investir na variedade dos temperos é uma ótima forma para reduzir a utilização de sal (sódio) no preparo dos alimentos e ainda, de quebra, deixá-los mais saborosos e saudáveis.

Dessa forma, os temperos são “ótimas opções para reduzir o sal na dieta, adicionar antioxidantes (sim, os temperos naturais são ricos em antioxidantes!) e variar o sabor da comidinha do dia a dia”, diz Heloiza.

Veja também: Deliciosos e saudáveis temperos naturais que substituem o sal

Saiba qual o tempero certo

Sopas, saladas e carnes ficam mais saborosas combinadas com salsa, orégano e tomilho

É importante adicionar os temperos corretos aos pratos (Foto: depositphotos)

Depois dessa breve introdução sobre o poder dos temperos, agora chegou a hora de conhecer qual o ingrediente correto para usar em determinado prato. Lembrando que as indicações são da nutricionista Heloiza Muniz.

Cominho: utilizar em preparações com carne, aves, sopas, queijos, pães e molhos. Combina com couve, arroz, e recheios.

Cúrcuma (açafrão da terra): utilizar em sopas, ensopados, peixes, molhos, ovos, queijos e saladas.

Curry: carnes, peixes, ovos, galinha, tomate recheado, sopa de peixe, moluscos, assados em geral e legumes cozidos.

Gengibre: picles, molhos para presuntos ou galinha, molho de tomate, preparações orientais, doces, bolos, pães e bebidas quentes, tortas, biscoitos e pudins, sopa de legumes e queijos.

Gergelim: sementes ao natural – Pães, biscoitos, bolos, doces e tortas.

Sementes torradas: saladas verdes ou de batata, queijo fresco, ensopado de frango e sopas.

Noz-moscada: peixes, preparações à base de queijo, molho branco, purês, bebidas quentes, bolos, tortas, pudins, molhos em geral, doces assados, rosquinha, estogonofe e polvilhada sobre legumes, como a couve-flor.

Páprica: batata, couve-flor, salada, peixe e frutos do mar.

Pimenta-do-reino Branca: peixes, molho branco, salada de batata, maionese.

Pimenta preta: carnes vermelhas e refogados.

Pimenta malagueta: pode ser usada em todos os tipos de preparações.

Aipo: ensopados, sopas, molhos, saladas, carnes.

Alecrim: carnes, aves, sopas, molhos, batata, chás, carneiro, cabrito e vitela.

Cebolinha: omelete, sopas, molhos, legumes cozidos, bolinho de carne ou peixe, saladas, molho tártaro, molho verde, adicionada ao queijo minas ou ricota para sanduíches e canapés.

Coentro: refogados, peixes, mariscos, camarão, sopas e saladas.

Erva-cidreira: sopas, saladas de fruta, gelatina, molho de ervas, saladas e verduras, chás.

Erva-doce: peixes, saladas, assados, sopas, molhos, costeletas. Usar as sementes em pães, torta de frutas, molho para macarrão, bolo de carne, feijão.

Veja tambémAprenda a congelar os temperos no azeite

Hortelã: batata, cenoura, suco de frutas, verduras, chás, ervilhas, beterraba, porco assado, cordeiro assado, molhos em geral.

Louro: sopas, feijão, ensopados, assados, peixes, aves, batatas, cenoura, presunto, carnes, picadinhos, arroz-doce.

Manjericão: salada de tomate, pizzas, carnes, aves, ovos mexidos, molho de tomate.

Orégano: pizzas, molho de tomate, carnes, ensopados, peixe ao forno, sopas, molhos em geral.

Salsa: carnes, aves, peixes, sopas, vegetais e saladas.

Sálvia: carnes, aves, peixes, vegetais, saladas, ovos, queijos, salsicha e linguiça.

Tomilho: sopas, peixes, carnes, aves, tomate, beterraba, cenoura, cebola, ovos e queijos.

Bouquet Garnier: amarrado de salsa, louro, tomilho e cebolinha, que se coloca nas preparações para dar mais sabor. Usar em sopas, caldos e molhos. Retira-se na hora de servir.

O benefício dos temperos

Uma vantagem dos temperos naturais, é serem ricos em substâncias antioxidantes

A cebolinha é um tempero muito usado na culinária oriental (Foto: depositphotos)

Além de agregar ainda mais sabor para os pratos, os temperos também apresentam alguns benefícios para a saúde humana. Dessa forma, é bom ficar de olho e passar a contar também com essas vantagens no seu dia a dia.

Veja também: Temperos que ajudam a emagrecer

“Uma das principais vantagens dos temperos naturais, dar-se ao fato de que por serem ricos em substâncias antioxidantes, podem sim auxiliar na prevenção contra o envelhecimento precoce, na melhora da circulação sanguínea, entre diversos outros benefícios”, orienta a nutricionista Vanessa Lodi.

Alguns dos temperos citados acima possuem propriedades digestivas, antioxidantes, que estimulam o sistema imunológico, com ação anti-inflamatória, além de controlar a ansiedade e a compulsão por comida.

O orégano, por exemplo, “é antibacteriano, antibiótico, analgésico, antifúngico e sedativo. Auxilia no tratamento de gripes e resfriados e no tratamento e controle de micoses e problemas fúngicos”, informa Vanessa Lodi.

Já o manjericão é rico em ferro, cálcio, potássio, magnésio. “A presença de magnésio ajuda a melhorar a saúde do sistema cardiovascular, o fluxo sanguíneo e reduzindo o risco de arritmias cardíacas”, certifica a nutricionista.

Tempero como o açafrão, por exemplo, atua como laxante, antineoplásica e ainda protege do câncer. Enquanto o gengibre combate infecções e doenças cardiovasculares e auxilia no emagrecimento.

O cominho estimula a secreção de enzimas pancreáticas, substâncias necessárias para uma boa digestão e assimilação dos nutrientes. Além do mais, segundo Vanessa, ele “é diurético e auxilia no tratamento de flatulência (gases)”.

Para finalizar, a pimenta auxilia na digestão, pois aumenta a produção de suco gástrico. “Além disso, têm propriedades anti-inflamatórias e aceleram o metabolismo, o que auxilia no processo de emagrecimento”, acrescenta a nutricionista.

Sobre o autor

Formado em Jornalismo pela UniFavip | Wyden. Já trabalhou como repórter e editor de conteúdo em um site de notícias de Caruaru e em três revistas da região. No Jornal Extra de Pernambuco e Vanguarda de Caruaru exerceu a função de repórter nas editorias de Economia, Cidades, Cultura, Regional e Política. Hoje é assessor de imprensa do Shopping Difusora de Caruaru-PE, Seja Digital (entidade responsável pelo desligamento do sinal analógico no Brasil), editor da revista Total (com circulação em Pernambuco) e redator web do Remédio Caseiro.