Quais chás não são recomendados para quem tem problemas gástricos

Alguns chás podem piorar o incômodo decorrente da azia, da gastrite e do refluxo, por exemplo

Existem chás que não devem ser consumidos por quem tem problema gástrico. Hoje em dia, se deparar com uma pessoa com problemas gástricos não é difícil. Isso porque, essa doença vem se tornando cada vez mais frequente em decorrência de certos hábitos adotados.

Como acontece na maioria dos problemas decorrentes à saúde, buscar tratamentos naturais à base de chás pode ser uma boa solução. Porém, existem alguns tipos que você deve ficar bem longe.

A gastrite nada mais é do que uma inflamação do epitélio estomacal, capaz de causar muita dor e desconforto.

Algumas das consequências apontadas como causadoras desse mal vem da falta de cuidado com a alimentação, sobretudo com o aumento no consumo de fast foods e dos níveis de estresse, já que problemas acontecem a todo instante e precisam ser resolvidos.

Uma pessoa com problemas gástricos deve evitar certas comidas e alguns chás

As dores no estômago muitas vezes são sintomas de alguma enfermidade no órgão (Foto: depositphotos)

Quando algum sintoma relacionado ao aparelho gástrico começar a ser identificado, a dica é procurar logo um medito. Além de recomendar o melhor tratamento, ele também pode sugerir formas alternativas para você se ver livre da doenças, sobretudo com a utilização de chás.

Veja também: Sintomas da gastrite

Porém, mesmo tratando-se de substâncias naturais é preciso tomar cuidado, já que certos chás podem agravar os problemas gástricos.

Chás não indicados para tratar problemas gástricos

O tratamento à base de chás já é uma realidade na vida de muitas pessoas. Mas, assim como acontece com os medicamentos comprados na farmácia, é preciso tomar certos cuidados na hora de incluí-los em qualquer que seja o tratamento.

As substâncias presentes em algumas ervas podem atrapalhar o tratamento. No caso dos problemas gástricos, o chá preto e o chá mate devem ser evitados.

Chá preto

O chá preto aumenta as chances de quem tem problemas gástricos ter azia e refluxo

O chá preto, por ser rico em cafeína, deve ser evitado por quem tem gastrite e afins (Foto: depositphotos)

O chá preto é uma substância rica em cafeína, isso faz com que algumas partes do corpo sejam beneficiadas em decorrência da sua presença.

A principal delas é o cérebro que é estimulado a funcionar melhor. Ele protege as células do organismo contra o envelhecimento natural, pois tem efeito antioxidante; ajuda a hidratar o organismo; diminui o apetite e acelera o metabolismo.

Porém, quando o assunto está relacionado aos problemas gástricos, o chá preto é considerado um verdadeiro vilão. Em decorrência da quantidade de cafeína que existe na bebida, alguns efeitos indesejáveis podem aparecer. Entre eles estão o aumento das chances do aparecimento de refluxos e azia.

Veja também: Saiba mais a respeito do chá preto e seus benefícios!

Chá mate

O chá mate deve ser evitado por quem tem azia, refluxo e gastrite pois pode acentuar esses sintomas

Assim como o chá preto, o chá mate é rico em cafeína (Foto: depositphotos)

Entre os benefícios acarretados com o consumo do chá mate estão: redução do colesterol ruim, também conhecido por LDL; combate a esteatose hepática; possui ação diurética; combate o envelhecimento precoce das células; ajuda a combater os problemas relacionados ao coração; ajuda no controle da diabetes e aumenta a queima calórica, auxiliando nos regimes.

O chá mate também possui efeito estimulante, sobretudo no que diz respeito aos nervos e músculos. Ele também combate a fadiga muscular.

Mas, assim como acontece com o chá preto, o chá mate também é contraindicado para os casos de problemas gástricos, justamente pelo mesmo motivo: presença forte da cafeína, o que pode aumentar o incômodo causado na região.

Veja também: Nutróloga lista os incríveis efeitos benéficos do chá mate

Consequências da cafeína no sistema gástrico

Partindo para a área da digestão, o corpo produz alguns hormônios que ajudam nessa tarefa, entre eles, dois reagem ao consumo da cafeína: a gastrina, que estimula a secreção do suco gástrico e a colecistocinina, que estimula o pâncreas e a vesícula biliar.

Dessa forma, a partir da presença da cafeína, o estômago libera um alto nível de suco gástrico, um componente que ajuda o organismo a quebrar as proteínas dos alimentos.

Com isso, outra quantidade de ácido clorídrico também é liberada. Isso faz com que os níveis de acidez no estômago seja aumentado, o que acarreta em um grande desconforto na região.

Sobre o autor

Formado em Jornalismo pela UniFavip | Wyden. Já trabalhou como repórter e editor de conteúdo em um site de notícias de Caruaru e em três revistas da região. No Jornal Extra de Pernambuco e Vanguarda de Caruaru exerceu a função de repórter nas editorias de Economia, Cidades, Cultura, Regional e Política. Hoje é assessor de imprensa do Shopping Difusora de Caruaru-PE, Seja Digital (entidade responsável pelo desligamento do sinal analógico no Brasil), editor da revista Total (com circulação em Pernambuco) e redator web do Remédio Caseiro.