Pele negra requer ainda mais cuidado quando exposta ao sol. Entenda

Apesar de possuir mais firmeza e elasticidade que as demais dermes, a pele negra necessita tanto quanto as outras de cuidados específicos

Quem possui pela negra tem várias vantagens trazidas pela “mãe natureza” quando comparadas às demais pigmentações. O tom dessa derme possui grandes quantidades de melanina, que funciona como um filtro solar natural e ainda torna a pele mais resistente aos efeitos do envelhecimento.

Devido ao fibroblastos, responsáveis pela produção de colágeno, as peles negras também dão mais firmeza e elasticidade na pele. Mas apesar de tantas vantagens, ao contrário do que se imagina, a pele negra também necessita de cuidados específicos.

Segundo a dermatologista da Clínica Pele Recife, Gleyce Fortaleza, um dos erros mais cometidos em quem possui pele negra é achar que o filtro solar não é necessário. Mas a verdade é que esse tipo de pele tem predisposição à hiperpigmentação e protegê-la das radiações é fundamental.

“É preciso ter muita atenção, pois a pele negra não fica avermelhada quando é superexposta ao sol e, por isso, não dá o alerta de que está sendo prejudicada. Além disso, a falta de proteção eleva o risco de câncer de pele; o recomendado pela especialista é utilizar, pelo menos, o fator de proteção 30, diariamente”, aconselha a especialista.

Pele negra requer ainda mais cuidado quando exposta ao sol. Entenda

Foto: depositphotos

Pele negra também precisa de proteção

A dermatologista conta que além do uso diário do filtro solar, outros cuidados são essenciais para manter a pele sempre bonita. O ideal é consumir no mínimo 2 litros de água por dia, fazer limpezas profundas e aplicar um adstringente logo pela manhã.

Durante o período noturno os cuidados devem continuar. Antes de dormir, limpar sempre a pele com sabonete apropriado para cada tipo de derme, aplicar adstringente e complementar com um creme hidratante que contenha vitamina C ou hidroxiácidos.

A pele negra também necessita de procedimentos redobrados antes e depois de tratamentos estéticos. “Quando agredido, esse tipo de pele ativa a melanina e o colágeno, elevando o risco de surgirem cicatrizes e manchas escuras. Mas, isso não significa que é preciso passar longe dos tratamentos estéticos. Existem peelings mais superficiais e aplicações de lasers específicos, que são mais suaves e agridem menos a pele”, afirma a profissional.

Cuidados com a pele negra

Excesso de oleosidade

A presença dos fibroblastos garantem a firmeza da pele, mas em compensação aumentam a oleosidade. O problema pode resultar no surgimento de acnes e até mesmo manchas. O recomendado é higienizar o rosto duas vezes ao dia com sabonetes anti-oleosidade, preferencialmente líquidos.

Manchas

Os fatores que mais contribuem para o surgimento de manchas nas peles negras são problemas como acnes, queimaduras, procedimentos cirúrgicos e estéticos, excesso de exposição a radiação solar, gestação e o uso de anticoncepcionais. Para evitar esse tipo de problema nas peles negras, a dermatologista indica tratamentos feitos com agentes menos agressivos, que apesar de serem mais demorados, também são mais eficazes.

Foliculite

Quando uma pele é muito oleosa e ainda existe a presença de pelos encaracolados, isso facilita o surgimento de pelos encravados, que podem inflamar e virar foliculite. Segundo Gleyce, muitas vezes a foliculite também pode causar manchas. Para evitar o problema, a profissional indica fazer semanalmente uma esfoliação nos locais mais afetados.

Hidratação

Toda pele precisa de hidratação, mas a negra necessita ainda mais. A epiderme mais espessa desse tipo de derme, faz com que ela seja mais resistente a agressões externas mas, por outro lado, impede que ela absorva corretamente os ativos hidratantes.

Devido a esse fator, é normal que apareçam pontos ressecados ou manchas brancas pelo corpo. A especialista indica fazer uso de um creme hidratante diariamente, especialmente nas regiões mais ressecadas. “Banhos longos e excessivamente quentes não são recomendados, assim como o uso de buchas e outros esfoliantes que possam agredir a pele e causar um ressecamento ainda maior”, aconselha.

Sobre o autor

Formada em Jornalismo pela Unicap, pós-graduada em Comunicação Empresarial e Mídias Digitais pela Devry, fez intercâmbio na ETC School, em Bournemouth (UK) e tem experiência nas áreas de assessoria de comunicação, produção de vídeo e foto e redação.