8 óleos vegetais para os cabelos

Você já usou óleo vegetal para cabelos danificados? Pois saiba que os óleos extraídos das sementes ou polpa dos frutos podem ser substitutos naturais poderosos para os tratamentos capilares convencionais.

A maior parte desses benefícios ocorre devido às composições desses materiais, pois elas costumam ser a base de ácidos graxos, lipídios e tipos variados de vitaminas.

Todos eles são componentes importantes na estrutura dos fios. Também são essenciais para manter as madeixas saudáveis, mesmo com as agressões do dia a dia. (1)

Neste post, você irá ver os oito melhores óleos vegetais para se usar nas madeixas e quais os seus benefícios para manter os fios sempre saudáveis e bonitos. Além de descobrir como usá-los e como escolher o ideal para seu tipo de cabelo.

Benefícios dos óleos vegetais para os cabelos

Os óleos vegetais vem ganhando cada vez mais destaque por causa dos seus benefícios para o tratamento dos cabelos. Principalmente com o crescimento das tendência de no e low poo, técnicas que abolem o uso de derivados de petróleo no tratamento dos fios.

Aplicando óleo no cabelo

Óleos vegetais são extraídos de frutas ou sementes (Foto: depositphotos)

Os benefícios de usar esse material para tratamento capilar são inúmeros. Os principais deles são os efeitos umectante e condicionante presentes na maioria dos óleos, que ajudam a dar brilho e força aos fios.

Cada tipo de óleo, no entanto, possui propriedades diferentes e servem para funções específicas, quando usados nos cabelos. Veja quais são os 8 melhores óleos para se usar nos cabelos e para que cada um deles serve.

Óleo de coco

Um dos queridinhos não só para tratamentos capilares, mas também na alimentação, é o óleo de coco. Esse tipo de óleo é extraído da polpa do fruto e tem 65% da sua composição formada por ácidos graxos.

Esses, como já foi citado, são partes essenciais da estrutura dos fios de cabelos. Além disso, o óleo de coco é totalmente formado por lípidos e ajudam a evitar a oxidação dos cabelos. Assim ajuda a prevenir os danos causados pelo sol, vento e produtos químicos como tinturas e alisamentos.

Outro benefício dele é que o óleo é bem fino, logo é absorvido rapidamente pela fibra capilar. Por esse motivo, é bastante indicado para tratar cabelos muito ressecados e quebradiços. (2)

Esse benefício se deve principalmente ao fato do óleo extraído da polpa do coco conseguir formar uma espécie de barreira protetora em volta dos fios de cabelo. Isso não só reduz a perda de umidade para o ambiente, mas também previne danos e diminui o frizz. (3)

Óleo de coco

Para diminuir o frizz, aplique o óleo de coco nos cabelos e deixe agir por algumas horas (Foto: depositphotos)

O óleo de coco pode ser usado de três formas diferentes. A primeira delas é ele puro, na forma de umectação. Nesse caso, aplica-se o produto em todo o fio, desde a raiz e deixa que o cabelo absorva. O ideal é deixar agir por algumas horas ou até mesmo durante a noite. Para enxaguar basta aplicar shampoo nos cabelos secos e só depois molhar.

A segunda opção de uso é junto ao seu creme de tratamento preferido. Para isso, basta misturar os dois produtos bem e aplicar diretamente nos fios. Por fim, o óleo de coco também funciona como um finalizador.

Quando aplicado em pequenas quantidades e apenas nas pontas dos cabelos ele serve para manter os fios alinhados e sem frizz por mais tempo.

Óleo de macadâmia

Perfeito para cabelos crespos e cacheados, o óleo de macadâmia é bastante usado pela indústria cosmética. Principalmente por causa do seu alto valor nutritivo, que penetra nos fios e deixa as madeixas saudáveis de dentro para fora.

Entre os principais componentes desse óleo estão: a maior concentração de ácidos graxos entre todas as nozes, diversos minerais e vitaminas como a C, E, e do complexo B.

Ainda por cima ele tem ação antioxidante. Dessa maneira, penetra no interior do fio e previne não só o envelhecimento, mas também os danos causados por influências externas. (4)

Óleo de macadâmia

Esse tipo de óleo é ideal para cabelos crespos e cacheados (Foto: depositphotos)

Tudo isso faz com que o óleo macadâmia seja considerado um dos melhores para a saúde dos fios. Pois ele proporciona hidratação, maciez, controle do volume e do frizz. Além disso, funciona promovendo a recuperação de danos no dia a dia e ajudando na definição dos cachos.

Esse óleo pode ser usado como umectação, aplicando desde a raiz do fio e deixando que ele seja absorvido. Ou ainda, misturando a cremes de tratamento da sua escolha.

Óleo de linhaça

A linhaça é uma das oleaginosas mais usadas no mundo, especialmente devido ao valor nutricional que possui. Contudo, os resíduos dela também são usados na fabricação de tinturas e na confecção de tecidos.

Em relação a sua composição, o óleo vegetal de linhaça é formado principalmente por lipídios, entre eles uma grande quantidade de ácidos graxos, proteínas e fibras. E isso tudo faz com que ele tenha ação hidratante e fortificante.

Óleo de linhaça

Mesmo com um aroma forte, esse produto promove maciez e brilho aos fios (Foto: depositphotos)

Quando aplicado diretamente nos cabelos, ele age ajudando a suprir os nutrientes perdidos com procedimentos químicos, dando brilho e diminuindo o frizz. (5)

O óleo de linhaça pode ser usado na umectação, que serve para nutrir profundamente os cabelos ou como um finalizador natural. Para isso, basta aplicá-lo diretamente nos fios, sempre do meio para as pontas ou colocar algumas gotas no creme de pentear.

Contudo, vale ressaltar que esse óleo possui uma textura mais grossa que os outros da lista, bem como cor e aroma bem fortes. Portanto, caso se incomode com o cheiro, é melhor usá-lo antes da lavagem.

Óleo de argan

O óleo de argan já é figura garantida quando se trata de óleos vegetais, estando presente também em vários cremes de tratamentos industrializados. Ele é extraído da árvore de argan, que cresce principalmente na região do Marrocos, mas que se tornou popular em todo o mundo.

Parte dessa popularidade se deve ao fato dele trazer diversos benefícios para os cabelos. Por exemplo, esse ingrediente natural previne a queda, o ressecamento e os danos causados pelo sol, vento e uso de secador e chapinha.

Óleo de argan

É possível usar o óleo de argan como finalizador (Foto: depositphotos)

Por ser composto por ácidos graxos e vitamina E, o argan age nutrindo profundamente as madeixas. Outro benefício desse tipo de óleo é a sua ação antioxidante, fazendo com que ele previna o envelhecimento precoce e a deterioração das fibras capilares. (3)

Além de ser benéfico para os cabelos, o óleo de argan é bastante versátil. Por isso, pode ser usado para umectação, misturado a cremes de tratamento e como óleo finalizador para deixar as pontas alinhadas.

Também pode ser aplicado em todo o fio antes de entrar na piscina ou no mar. Assim, ele forma uma camada protetora e protege os cabelos dos danos causados pels agentes externos.

Óleo de girassol

O óleo de girassol é bastante usado na alimentação, mas ele também traz diversos benefícios quando usado diretamente nos cabelos. Por ter uma textura leve, ele é perfeito para quem tem cabelos oleosos. Também é mais indicado para ou nunca usou óleos vegetais e tem medo de usar produtos mais encorpados.

Já em relação a composição o óleo de girassol possui 65% de ácidos graxos, além de vitaminas C, E e K. Isso faz com que ele atue contra o ressecamento dos fios e não deixe o cabelo com um aspecto pesado ou oleoso.(2)

Óleo de girassol

Produto natural ideal para cabelos oleosos (Foto: depositphotos)

Esse óleo pode ser usado para umectação. Por ser leve e fino ele é rapidamente absorvido pelos fios e garante nutrição e maciez. Para quem não precisa de um tratamento intensivo ele pode ser misturado ao creme de tratamento ou de pentear diário.

Por fim, o óleo de girassol também é um ótimo finalizador e pode substituir os feitos a base de silicones.

Óleo de oliva

O óleo de oliva é um ingrediente culinário que pode ser usado nos cabelos. Esse óleo é considerado um dos mais importantes e antigos do mundo e traz vários benefícios para a saúde dos fios. Tudo isso devido à sua composição rica em ácidos graxos.

Além disso, ele possui em sua composição vitaminas E, A e K, além de aminoácidos e minerais importantes para a manutenção da estrutura dos cabelos.

Tudo isso permite que o azeite atue protegendo os fios contra agressões externas, na prevenção do envelhecimento precoce e na hidratação e alinhamento. Mesmo com o uso de tratamentos químicos e fontes de calor.

Óleo de oliva

A melhor maneira de usar o óleo de oliva é através da umectação (Foto: depositphotos)

Outro benefício que faz com que o óleo de oliva seja bastante usado é a sua capacidade calmante. Isso faz com que ele diminua irritações e melhore o crescimento dos cabelos, podendo ser aplicado tranquilamente na raiz dos fios. (6)

Por ter um cheiro bem característico, a melhor maneira de utilizar o azeite de oliva nos tratamentos capilares é na umectação. Para isso, basta aplicar em toda extensão do fio, inclusive na raiz, e deixar agir por algumas horas.

Após esse procedimento, lave e finalize como de costume. Não é preciso preocupação com o cheiro, até porque ele sai completamente com a lavagem.

Óleo de jojoba

A jojoba é um arbusto perene nativo das Américas do Norte e do Sul. Da semente dele dele é extraída uma cera líquida que forma 97% da composição do chamado óleo de jojoba.

Composto principalmente por cera líquida, ácidos graxos e vitaminas A, E e algumas do complexo B, o óleo de jojoba ajuda na diminuição da oleosidade, no tratamento da caspa e na proteção dos fios contra danos.

Óleo de jojoba

Essa é uma boa opção para quem deseja estimular o crescimento dos fios (Foto: depositphotos)

O óleo extraído da jojoba ajuda a manter os cabelos hidratados, diminui a quebra, controla o frizz e proporciona força, elasticidade e maciez. Ele é também um poderoso antioxidante, prevenindo o envelhecimento precoce das madeixas.

Além disso, ele é considerado um estimulante. Dessa maneira, quando aplicado diretamente no couro cabeludo atua auxiliando no crescimento dos cabelos. (7)

O melhor de tudo é que o óleo de jojoba é bastante versátil. Podendo então ser usado na etapa de umectação, misturado a cremes de tratamento ou como finalizador.

Óleo de abacate

O último óleo da lista é de abacate, que é extraído da polpa dessa fruta e é uma bomba de nutrição para os cabelos. Por ser rico em vitaminas A, B e E, além de proteínas e ácidos graxos, esse óleo serve como condicionante. Por essa razão, atua na regeneração de cabelos porosos, ressecados e quebradiços.

Isso serve para deixar os fios mais macios e sem frizz ao longo do dia. A vitamina E também atua diretamente na proteção contra danos causados por tratamentos químicos, bem como na prevenção do ressecamento e contra a quebra causada pela escovação.

Óleo de abacate

É muito indicado para cabelos quebradiços e ressecados (Foto: depositphotos)

Além disso, ele tem ação antioxidante, ajudando a prevenir o envelhecimento da fibra dos fios. Ainda age prevenindo e tratando as caspas e outros problemas que aparecem na raiz. (3)

Assim como a maioria dos óleos dessa lista, o de abacate pode ser usado na umectação, misturado aos cremes tradicionais de tratamento ou puro como finalizador. Essa última forma de uso é perfeita para os fios crespos ou cacheados, especialmente porque eles precisam de uma dose maior de hidratação.

Como escolher os óleos vegetais?

Em primeiro lugar, é preciso saber que todo óleo vegetal para cabelos precisa ser extravirgem. Ou seja, devem ser extraídos a frio e sem uso de nenhum tipo de solvente. Isso faz com que eles sejam mais puros e possuam um maior valor nutricional.

Diferente dos óleos refinados, que são aquecidos e passam por diversos processos químicos. Tudo com objetivo de que eles rendam uma maior quantidade, resultando assim em um óleo pobre nutricionalmente e que não traz nenhum benefício para a saúde dos fios.

Outro ponto a ser levado em consideração na hora de escolher um tipo de óleo vegetal é o resultado desejado. Isso porque, existe um óleo específico para cada finalidade, como evitar o ressecamento, para crescimento ou proteção dos fios.

Só para exemplificar, cabelos muito ressecados ou quebradiços precisam de óleos mais encorpados. Por isso, o ideal é usar o de abacate, oliva ou linhaça. Já quem possui madeixas com uma estrutura mais fina ou sofre com oleosidade e caspa deve usar os óleos de jojoba, oliva ou girassol.

O óleo de coco, por sua vez, serve para todos os tipos de fios. Outra dica é que óleos mais pesados são melhores para cabelos crespos ou cacheados.

Cuidados que se deve ter com o uso

Por ser um produto natural todo mundo pode usar os óleos vegetais nos cabelos. No entanto, é importante ter cuidado ao escolher produtos extravirgens.

Também é necessário retirar completamente o óleo após a aplicação, principalmente quando for realizada a umectação. Isso porque, deixar óleos no cabelo por muito tempo pode resultar em fios pesados e oleosos.

Outra atenção é com possíveis alergias. Sendo assim, sempre teste antes do uso e a qualquer sinal de irritação, suspenda o tratamento e procure um médico especializado.

Referências

(1) OLIVEIRA, Ricardo A.G. et al. “A química e toxicidade dos corantes de cabelo“. Química Nova, v. 37, n. 6, p. 1037-1046, 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5935/0100-4042.20140143. Acesso em 19 de março de 2019.
(2) SOUZA, Rafael Damiane Santos. “Estudo de substâncias químicas em óleos de coco, copaíba, calêndula e girassol utilizados no tratamento de feridas: uma abordagem teórica“. 2018. Disponível em: https://monografias.ufma.br/jspui/handle/123456789/2357. Acesso em 19 de março de 2019.
(3) LUZ, Gládia Fernanda Silva da. “Desenvolvimento de formulações cosméticas com óleos vegetais para cabelos cacheados“. 2018. Disponível em: http://www.monografias.ufop.br/handle/35400000/1075. Acesso em 19 de março de 2019.
(4) FREITAS, Jullyana Borges; NAVES, Maria Margareth Veloso. “Composição química de nozes e sementes comestíveis e sua relação com a nutrição e saúde“. Revista de Nutrição, v. 23, n. 2, 2010. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732010000200010. Acesso em 19 de março de 2019.
(5) MANDARINO, José Marcos Gontijo et al. “Óleos alimentos funcionais“. Londrina: Embrapa Soka, 2005. Disponível em: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/468843. Acesso em 19 de março de 2019.
(6) LIMA, Mariana Augusta Moura et al. “Azeite e seus benefícios. Simpósio paraibano de saúde: tecnologia, saúde e meio ambiente à serviço da vida“. 2012. Disponível em: http://www.institutobioeducacao.org.br/docs/LIVRO%20simposio%20paraibano%20de%20sa%C3%BAde.pdf. Acesso em 19 de março de 2019.
(7) SHAAT, Nadim A. “As maravilhas da jojoba“. Disponível em: http://docplayer.com.br/23681683-As-maravilhas-do-jojoba.html. Acesso em 19 de março de 2019.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (Mtb-PE: 6770) com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio. Atualmente atua na área de redação para web, nas áreas de educação, beleza e saúde alternativa. Além da formação no curso superior, possui experiência em produção de vídeo, diagramação de livros e revistas e marketing.