Medicamentos descongestionantes e antigripais podem prejudicar a saúde

Além do efeito rebote, o uso indiscriminado pode acarretar no aparecimento de problemas cardíacos

Dependendo do tipo de doença, sobretudo as mais simples, comumente a população acha que a consulta ao médico pode ser dispensada. Porém, não é bem assim que acontece. A automedicação é um problema amplamente discutido que pode trazer sérias consequências para a saúde. Mesmo assim, é uma prática ainda muito corriqueira no dia-a-dia das pessoas.

Às vezes não é preciso nem que a pessoa seja atingida pela doença em si, só na aparição dos primeiros sintomas, lá vem aquele remedinho indicado pela amiga ou que você mesmo tem ao alcance. A falta de controle por parte dos órgãos competentes, assim como o desconhecimento da população acerca dos prejuízos dessa ação, possibilita a aquisição de medicamentos sem receita médica.

No caso do descongestionante nasal, apesar de parecer um medicamento “inofensivo”, pode trazer sérios riscos à saúde, segundo orienta o médico Marco Antônio. “Os descongestionantes nasais podem ser extremamente prejudiciais à saúde das pessoas. Tendo como princípio básico uma ‘vasodilatação’ momentânea das vias respiratórias, a maioria destas medicações provocam um alívio imediato dos sintomas, entretanto, às custas de possíveis efeitos colaterais”.

Medicamentos descongestionantes e antigripais podem prejudicar a saúde

Foto: depositphotos

A congestão nasal

Para entender mais sobre o problema chamado congestão nasal, veja explicações mais detalhadas:

A congestão nasal é um problema de ordem respiratória que ocorre quando os vasos sanguíneos que revestem o nariz ficam inchados. Além do mais, outros fatores podem ocasionar esse tipo de problema, como traumas da região nasal e desvio de septo. Esse último caso, porém, só pode ser resolvido mediante cirurgia.

Muitas pessoas recorrem aos descongestionantes nasais sem saber do real risco que estão correndo. O medicamento em questão, ajuda a alivia a sensação de entupimento nasal. Ele atua reduzindo o fluxo sanguíneo, o que vai diminuir o inchaço na região e facilitar a respiração.

Vale ressaltar que o uso indiscriminado e sem prescrição médica pode causar dependência a medicação.

Consequências do uso

O uso indiscriminado e sem orientação médica dos famosos descongestionantes nasais, antigripais e dos remédios que vêm em versão dia e noite podem não apenas gerar um efeito rebote – que consiste em um efeito diretamente proporcional ao mal, onde, quanto mais se usa, mais aumentam os sintomas – mas também ocasionar problemas mais sérios.

“O aumento da pressão arterial sistêmica; aumento dos batimentos cardíacos, que pode induzir o aparecimento de arritmias cardíacas; irritação dos locais onde frequentemente são aplicados; dependência da medicação; e até a presença de choque e parada cardíaca em situações mais raras”, são alguns dos problemas que podem surgir, segundo destaca o médico Marco Antônio.

Sobre o autor

Formado em Jornalismo pela UniFavip | Wyden. Já trabalhou como repórter e editor de conteúdo em um site de notícias de Caruaru e em três revistas da região. No Jornal Extra de Pernambuco e Vanguarda de Caruaru exerceu a função de repórter nas editorias de Economia, Cidades, Cultura, Regional e Política. Hoje é assessor de imprensa do Shopping Difusora de Caruaru-PE, Seja Digital (entidade responsável pelo desligamento do sinal analógico no Brasil), editor da revista Total (com circulação em Pernambuco) e redator web do Remédio Caseiro.