Malva: o alívio das tendinites

A tendinite é um problema que acomete muitas pessoas. Conheça a malva, seus benefícios e propriedades, e aprenda como usá-la para tratar o problema

Ao realizar um movimento, o corpo exerce força em três estruturas principais, são elas: ossos, músculos e tendões. De acordo com o ortopedista Adriano Leonardi, especialista em traumatologia do esporte, os tendões servem como suporte de carga para o tecido muscular e, por serem ligados aos ossos, exercem o trabalho de contração muscular. Mas devido a esta função, esta parte do corpo pode sofrer com inflamações chamadas de tendinites.

“Ao contrário dos músculos, os tendões possuem pouca capacidade de dissipação de energia cinética por alongamento e, quando o fazem, produzem calor, podendo desencadear a reação inflamatória”, explica Leonardi em um artigo publicado no próprio site.

Em outras palavras, os tendões possuem pouca perfusão sanguínea e por isso têm baixo potencial de cicatrização. Assim, quando ocorre uma inflamação, produzida por movimentos repetitivos, estas regiões do corpo apresentam dificuldade em recuperar a degradação e, consequentemente, surgem as dores conhecidas por tendinites.

Para tratar deste problema existem diversos métodos que variam entre cirúrgico, não cirúrgico e até mesmo natural. No caso deste último, é possível dizer que há uma maneira de eliminar esta inflamação usando uma planta com propriedades medicinais, estamos falando da malva. Antes de saber mais sobre esta hortaliça, é interessante ficar por dentro sobre o que é esta doença e como ela afeta a saúde dos tendões.

Malva: o alívio das tendinites

Foto: depositphotos

Tendinite: Causas, sintomas e diagnóstico

“As tendinites são inflamações dos tendões e suas bainhas desencadeadas por microtraumas devidos aos movimentos de repetição, o que provoca déficit da oxigenação tecidual, aumento do ácido lático, desencadeando a ativação de enzimas que degradam a matriz tendínea”, define o ortopedista Euclides José Martins Amaral, em um artigo publicado pela Academia Brasileira de Medicina Militar (Abmm).

Ainda segundo o especialista, existem diversos tipos de inflamações de tendões, mas os principais são: tendinite de ombro, tendinite de cotovelo, tendinite de Quervain, tenossinovite estenosante de flexores da mão, tendinite patelar e tendinite de Aquiles.

De uma maneira geral, a inflamação dos tendões surge após exercícios físicos intensos ou pela prática de atividades do dia a dia consideradas repetitivas, como usar o computador, torcer roupas na hora da lavagem, pintar paredes etc. Quando o paciente desenvolve a tendinite, é comum sentir dores fortes na área afetada, dificuldade de mover a região onde está o tendão inflamado e até mesmo inchaço.

Observando estes sintomas, o médico ortopedista pode pedir alguns exames para comprovar a doença como raio-x e ressonância magnética. Além de realizar outros testes especiais durante a consulta. Após diagnosticado o problema e a sua suposta causa, o médico decidirá qual melhor tratamento a ser seguido.

Como esta planta pode tratar tendinite?

Em paralelo ao tratamento indicado pelo especialista, o paciente com inflamação nos tendões pode aproveitar também dos benefícios da malva. A planta é reconhecida cientificamente por suas ações terapêuticas. “Apresenta diversas propriedades medicinais como a ação curativa e alívio de irritação graças aos ácidos múcicos, óleos essenciais e ácidos tânicos que fazem parte da sua constituição”, explica o artigo do Portal de Plantas Medicinais, Aromáticas e Condimentares (Ppmac).

Por esta razão, é possível dizer que a hortaliça age como sedativo natural e consegue combater as inflamações, inclusive as que são formadas nos tendões. Contudo, para que isso funcione é necessário preparar um chá com as folhas da malva, que pode ser usado tanto para ingerir como também para aplicar diretamente na área afetada pela tendinite.

Preparando o chá de malva

O primeiro passo é colocar um litro de água no fogo e esperar ferver. Em seguida, deve-se adicionar um punhado das folhas de malva. Antes de desligar o fogo, é preciso deixar a mistura em ebulição durante uns cinco minutos. Após o tempo determinado, tire a panela do fogo e espere a infusão ficar pronta depois de 15 minutos.

Para consumir o ideal é não adicionar açúcar ou adoçante. Já quem deseja colocar como compressa na área afetada, é necessário esperar esfriar e só depois usá-lo. O recomendado, em ambos os casos, é não usar o chá de malva mais de três vezes ao dia.

História e características desta hortaliça

A malva é uma planta originária da Europa e da Ásia Ocidental. Tem como nome científico Malva sylvestris L., mas também é conhecida por outros nomes de acordo com o Ppmac, a exemplo de:  malva-dasboticas, malva-das-hortas, malva-grande, malva-lisa, malva-maior, malva-silvestre e até mesmo por malva-verde.

Além de tratar problemas nos tendões, a hortaliça possui outras atribuições. Neste sentido, o chá feito com suas folhas pode servir ainda no tratamento dos seguintes problemas de saúde:

  • Aftas;
  • Diarreias;
  • Doenças da via respiratória;
  • Prisão de ventre;
  • Problemas de estômago;
  • Retenção hídrica;
  • Úlceras da córnea.

Outros métodos para tratar inflamação nos tendões

De acordo com o ortopedista Marcos Britto da Silva, em seu blog pessoal, os métodos não cirúrgicos servem para amenizar a dor provocada pela tendinite e alerta para o tempo que os tratamentos levam para funcionar. “Mesmo com o tratamento precoce, a dor pode durar mais de três meses.”

Mesmo assim, o médico indica alguns cuidados que podem ajudar a aliviar as dores, como o descanso. “O primeiro passo na redução da dor é diminuir ou mesmo parar as atividades que pioram a dor”, orienta o especialista. Além disso, ele recomenda a aplicação de compressas de gelo na área, bem como a fisioterapia e alongamentos.

Sobre o autor

Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.