Leite de soja: benefícios e como fazer o seu em casa

Com a busca constante por alimentos de alto valor nutricional, capazes de driblar restrições alimentares, os supermercados ficaram cada vez mais cheios de bebidas alternativas, como leite de arroz, de amêndoas e o famoso leite de soja.

Mas você já se perguntou se esta é, de fato, uma boa escolha em termos de saúde? Quais os benefícios do leite de soja? Em que termos ele é melhor do que o leite de origem animal? Descubra a resposta para estas e outras perguntas neste artigo.

Quais os benefícios do leite de soja para a saúde?

Não há um consenso entre os cientistas quanto ao leite de soja ser melhor ou pior do que o leite de vaca. Em termos nutricionais, graças ao processo de enriquecimento, ambos são bastante parecidos e fazem bem para a saúde. Portanto, caso você não tenha nenhuma restrição alimentar, vale a pena alternar entre os dois tipos para uma dieta equilibrada.

O leite de soja é uma alternativa ao leite animal para os intolerantes à lactose (Foto: depositphotos)

Segundo a nutricionista, Eliane dos Santos, “a soja é considerada um alimento funcional, pois possui o composto bioativo isoflavona, pertencente à família dos fitoestrógenos”. 

As isoflavonas são substâncias de origem vegetal, presentes abundantemente na soja e seus derivados e que possui grande semelhança com o estrogênio, principal hormônio feminino.

Elas são de grande importância para preservar as diversas funções do organismo, tais como:

Controlar a pressão arterial

As isoflavonas liberam óxido nítrico, uma das principais moléculas produzidas pelo organismo e que atuam na dilatação dos vasos sanguíneos. Também por isso, ele é cada vez mais comum em medicamentos para controlar a pressão sanguínea, melhorar o desempenho esportivo, controlar a diabetes e até impotência sexual. (1)

Reduzir as taxas de colesterol

Este efeito é possibilitado através da união das proteínas da soja com as isoflavonas. Além do alto teor de gorduras boas, como o ômega-6, que diminui o colesterol ruim e ajuda a preservar a saúde do coração.

Evitar o câncer

A ação das saponinas e dos ácidos fenólicos reduzem as chances do aparecimento de canceres, pois inibem a multiplicação das células cancerosas e dos esfingolipídeos, que destroem as células anormais. (2)

Favorecer a função dos rins

A perda da função renal é um problema que pode ocorrer devido a doenças pré-existentes, como o lúpus, uso de medicação, insuficiência hepática, infecção grave e o próprio estilo de vida. Há evidências de que o consumo das proteínas da soja preserva o bom funcionamento dos rins, sendo considerado um bom substituto da proteína animal. (2)

Alivia os sintomas da menopausa

O consumo do leite de soja abranda as ondas de calor muito frequentes na menopausa. (2) Isso acontece por conta dos altos níveis de isoflavonas, substância que simula o estrogênio. E que, por isso, consegue regular o humor, preparar o corpo para a gravidez, além de regular o ciclo menstrual e proteger o sistema cardiovascular. 

Aumenta a fertilidade

O consumo diário de soja pode aumentar a fertilidade e, consequentemente, ajudar mulheres que estão tentando engravidar. Uma pesquisa identificou essa influência principalmente no aumento da qualidade da ovulação. (3)

Em outro estudo, mulheres submetidas a fertilização in vitro que consumiram 1.500 mg de fitoestrogênio de soja por dia tiveram taxas mais altas de implantação da gravidez do que as que não tomaram. (4)

O que é leite de soja?

O leite de soja é uma bebida frequentemente associada como uma alternativa ao leite de vaca. Ele possui textura cremosa e sabor agradável, com perfil nutricional interessante.

No entanto, é importante ressaltar que o termo “leite de soja” é indevido. Segundo Eliane dos Santos, “o correto é extrato de soja, pois o conceito leite deriva de todo produto ordenhado de mamíferos. O extrato de soja é o produto obtido após a hidratação dos grãos de soja que em seguida poderá ser macerado liberando o extrato para ser consumido”.

Valor nutricional

A soja é uma leguminosa reconhecida por seu alto valor nutritivo, sendo rica em magnésio, ferro, fósforo, zinco, cobre, isoflavonas e vitaminas. Por outro lado, só possui 29% do cálcio presente no leite de vaca.

Porção de 100 gramas Quantidade por porção
Valor energético 39 Kcal
Proteína 2,4 g
Colesterol  –
Carboidrato 4,3 g
Fibra 0,4 g
Cálcio 17 mg
Fósforo 53 mg
Ferro 0,4 mg
Sódio  57
Potássio 121 mg
Vitamina C
Magnésio 15 mg

* Valores diários de referência com base em uma dieta de 2000kcal ou 8400kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas. Dados retirados do TACO, edição revisada e ampliada. (5)

Leite de soja tem lactose?

A lactose é um composto polêmico que ganhou considerável destaque nos últimos anos. A substância, que nada mais é do que o açúcar do leite, não é digerida por uma parcela da população, causando a chamada intolerância à lactose. Entre os sintomas estão uma série de desconfortos gastrointestinais, como diarreia, gases e inchaço abdominal.

Este é um dos fatores que contribuem para a popularidade do leite de soja, visto que a bebida é isenta de lactose e, portanto, pode ser consumida por pessoas intolerantes com tranquilidade.

Extrato de soja faz mal. Mito ou verdade? Existem contraindicações?

Assim como outros alimentos, para obter todos os benefícios sem prejudicar o organismo, é preciso ingerir a bebida com equilíbrio, evitando os exageros.

Segundo a nutricionista, “o consumo excessivo do leite de soja pode ocasionar cálculos renais; inibir a ação da enzima tripsina; reduzir a absorção de ferro e zinco; ocasionar disfunções na tireoide; entre outros problemas”.

Ele não possui restrições quanto a seu consumo, no entanto indivíduos alérgicos à soja e seus derivados devem evitar o uso. Essa bebida também só deve ser oferecida aos bebês com autorização do pediatra.

Leite de soja é saudável?

Por se tratar de um alimento industrializado, o consumo do leite de soja deve ser moderado. Um copo da bebida por dia já é suficiente para adquirir todos os seus benefícios.

Com relação ao leite de caixinha encontrado nos supermercados, a nutricionista é enfática. “Do ponto de vista higiênico sanitário a caixinha que está armazenando o extrato de soja poderá defendê-lo dos ataques de microrganismos aumentando o tempo de validade do produto em questão. Porém, no que tange aos aspectos nutricionais, há pequenas perdas durante o processamento do extrato, não reduzindo a viabilidade de consumo”.

Existe uma maneira de driblar este problema e obter um leite de soja adequado para consumo sem qualquer aditivo: preparando ele em casa.

Como fazer leite de soja em casa?

Fazer esse preparo em casa é uma alternativa para aqueles que querem saber exatamente o que estão consumindo e não gostam de alimentos industrializados. No vídeo a seguir acompanhe o passo a passo:

*Artigo feito com a colaboração da nutricionista e coordenadora do curso de nutrição e dietética na Famesp, Eliane Cristina dos Santos (CRN-3 17.645).

Referências

(1) TOKEDE, O.A; et l. Soya products and serum lipids: a meta-analysis of randomised controlled trials. Br J Nutr., 2015 Sep. 28;114(6):831-43. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26268987. Acesso em: 20 de novembro de 2019.

(2) TAKU, K; MELBY, M.K; KRONENBERG, F; KURZER, M.S; MESSINA, M. Extracted or synthesized soybean isoflavones reduce menopausal hot flash frequency and severity: systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. Menopause, 2012 Jul;19(7):776-90. Disponível em:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22433977
. Acesso em: 20 de novembro de 2019.

(3) KOHAMA T; KOBAYASHI, H; INOUE, M. The effect of soybeans on the anovulatory cycle. J Med Food. 2005 Winter;8(4):550-1. Disponível em:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16379571
. Acesso em: 20 de novembro de 2019.

(4) UNFER, V; CASINI, M.L; GERLI, S; COSTABILE L.; MIGNOSA, M; DI RENZO, G.C. Phytoestrogens may improve the pregnancy rate in in vitro fertilization-embryo transfer cycles: a prospective, controlled, randomized trial. Fertil Steril, 2004, Dec;82(6):1509-13. Disponível em:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15589851
. Acesso em: 20 de novembro de 2019.

(5) TACO, Tabela Brasileira de Composição de Alimentos. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. 2011. Disponível em: http://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/2017/03/taco_4_edicao_ampliada_e_revisada.pdf . Acesso em: 20 de novembro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Bruna Souza
Paulista, geminiana e apaixonada pelo universo da leitura e da escrita, decidiu fazer desse mundo sua profissão e atua como redatora freelancer desde 2017.